Fernando Machado

Blog

Tag faleceu

Anotações do Cotidiano

Faleceu ontem, em Pernambuco, o artista plástico Anchises Azevedo. O pintor, gravador, desenhista e muralista era irmão de Antístes Azevedo. Anchises Azevedo nasceu em Salvador, na Bahia, no dia 5 de agosto de 1933, cursou entre 1947/51 na Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, onde estudou com Raimundo Cela. Em 1955 veio residir no Recife, tendo aulas com Giordano Severi e tomou parte no Ateliê Coletivo. Em1956 participou do XV Salão de Pintura no Museu do Estado de Pernambuco. Em 1959 participou da V Bienal Internacional, no MAM/SP. Em 1960 estudou desenho no Liceu de Artes e Ofícios, do Recife e em 1975, Anchises Azevedo executou um mural em concreto no Edifício Saara em Boa Viagem, no Recife.

O artista plástico Anchises Azevedo que faleceu ontem (Foto: Instagram)

Sem poder ir aos salões de beleza ou recorrer aos seus profissionais de confiança, algumas celebridades que ainda não se sentem prontas para assumir os brancos por completo – como a atriz Gloria Pires  que afirmou “Eu achei que estivesse pronta para encarar os meus brancos, mas cheguei à conclusão de que ainda é cedo” – aprenderam a colorir os cabelos em casa durante o isolamento social. Entre elas,  Eva Longoria e Letícia Spiller, que retocaram suas raízes sem ajuda, e Larissa Manoela e Fernanda Gentil que cuidaram dos fios de suas mãe e esposa, respectivamente, em casa, todas com Imédia Excellence de L’Oréal Paris.

Réquiem para Tereza de Souza Campos

O Grand Monde perdeu, ontem, a última deusa do high society. Foi à última das famosas listas de elegantes, do ano dourado. Estamos nos referindo à princesa Tereza de Orleans e Bragança, que casou pela primeira vez com Eduardo de Souza Campos, e viúva do Príncipe João de Orleans de Bragança (1916/2005). Passou seis meses morando em Maceió decorando o apartamento de Lilibeth e Fernando Collor de Mello.

A divina Thereza Souza Campos (Foto: Cruzeiro)

Do primeiro casamento nasceu Diduzinho que faleceu ano passado. No dia 11 de janeiro a princesa Tereza de Orleans e Bragança celebrou 93 anos, que adorava vestidos pretos. Quanta saudade dos tempos das divas Carmen Mayrink Veiga, Dolores Guinle, Elisinha Moreira Sales, Fernanda Colagrossi, Josefina Jordan, Lais Gouthier, Lourdes Catão, Maria Eudocia Cunha Bueno e Tereza Souza Campos.

Flashes

Será no dia 14 de julho, às 14h, a press conference do Mister Beach Man Tailandia.

A senhora Vera Cohim, adora uma bos leitura, está fazendo comentários dos livros que está lendo, no seu Facebook.

Tia Lola que levou muita alegria para os baixinhos por mais de 20 anos (Foto: Acervo Família)

Uma noticia triste: faleceu quarta-feira, aos 100 anos, a jornalista Loyde Alves Marques, que escrevia no Diário de Pernambuco, como Tia Lola.

Carlos Alberto Decotelli da Silva o novo ministro da Educação, é um deus de ébano, mais os movimentos negros não deram um piu.

O jornalista Ernesto Lacombe foi demitido da Band, mas ao que tudo indica irá para o SBT. Quem tem competência não se perde.

 

Rejane Costa vence o Miss Brasil de 1972

Hoje, faz 48 anos, que acontecia no Maracanãzinho, o concurso de Miss Brasil de 1972. Participaram do festival da beleza 26 candidatas. A vencedora foi Rejane Vieira Costa, Miss Rio Grande Sul, deslumbrante num modelo de Clodovil, que foi coroada pela Miss Brasil de 1971, Eliane Parreira Guimarães. Em 2º lugar ficou Ângela Maria Favi (SP) que representou o Brasil no Miss Mundo, e em 3º Jane Vieira Macambira (GB), que representou o Brasil no Miss Internacional, também foi eleita Miss Simpatia. O show foi com Elza Soares, Beth Carvalho, Osmar Milito e o Quarteto Forma.

As candidatas desfilando na passarela (Foto: O Cruzeiro)

A comissão julgadora do Miss Brasil de 1972 (Foto: Manchete)

Rejane Vieira Costa nasceu no dia 15 de novembro de 1954 e faleceu no dia 26 de dezembro de 2013. Era vendedora de uma loja de sapatos quando foi convidada para ser Miss Pelotas. Ficou em segundo lugar no Miss Universo de 1972. Foi atriz da TV Globo nas novelas Ti, Ti, Ti, Felicidade, A Viagem, e Era Uma vez e cinema, quando atuou ao lado de Grande Otelo, no filme O Negrinho do Pastoreio. Casou com Rubens Goulart e Italo Granato. Deixou dois filhos Rodrigo e Julia.

Dois momentos da coroação: Eliane passando a faixa e a coroa para Rejane (Fotos: Manchete)

O júri foi presidido pelo Secretario de Turismo do GB, Rui Pereira da Silva e integrado pelos costureiros Marcilio Campos e Flávio Delgado, da modista Nicole de La Riviere, dos jornalistas Jorge Audi Justino Martins, da Miss Brasil de 1958 Adalgisa Colombo, das senhoras Maria Cecília Mendonça Mello e Maria Helena Brito, Felinto Rodrigues Netto, José Eduardo de Mello, Jorge Ferreira, deputado gaucho Victor Facioni e o ator Jece Valadão.

Rejane de traje típico e com as misses Ângela Favi e Jane Macambira (Fotos: Manchete)

Depois dos desfiles de traje típicos, vestidos e maiôs Catalina, os apresentadores Paulo Max e Marly Bueno apresentaram o Top 8: Maria Bayma Souza Keth (CE), Maria Gariglio (ES), Jane    Vieira Macambira (GB), Hilma Nascimento (MG), Maria Madalena Jácome (PE), Rejane Vieira Costa (RS), Marlene Machado (SC) e Ângela Maria Favi (SP). O resultou final ficou assim 5º lugar Maria Garigilio, em 4º lugar Maria Madalena Jácome, em 3º lugar Jane Vieira Macambira, em 2º lugar Ângela Maria Favi e o 1º lugar foi Jane Vieira Costa.

Jane Macambira, Hilma Nascimento, Madalena Jácome e Jane Vieira Costa (Fotos: Manchete)

Participaram do concurso Ana Maria do Rosário Lerner (Alagoas), Kátia Mara Houat (Amapá), Maria Suely Souza (Amazonas), Maria Adélia Junqueira (Bahia), Maria Bayma  Souza   (Ceará), Maria Célia Coelho Pereira (Distrito Federal), Maria Imaculada Gariglio (Espírito Santo), Maria Tereza Azevedo (Goiás), Jane Vieira Macambira (Guanabara), Fátima Elaine da Silva (Maranhão), Ivone de Barros (Mato Grosso), Hilma Nascimento (Minas Gerais).

Maria da Glória Carvalho, Miss Internacional de 1968; Rejane Vieira Costa e Lucia Tavares Petterle Miss Mundo de 1971 (Foto: Manchete)

Ainda Erinete Menezes Costa (Pará), Bernardete Fernandes Martins (Paraíba), Maria Dolores Peres Bordin (Paraná), Maria Madalena Jácome (Pernambuco), Carlota Maria de Carvalho (Piaui), Marli Pereira Carneiro (Rio de Janeiro), Tázia Bezerra de Sá (Rio Grande do Norte), Rejane Vieira Costa (Rio Grande do Sul), Kátia Fernanda Oliveira (Rondônia), Dacilda Socorro Amora (Roraima), Marlene Machado (Santa Catarina), Ângela Maria Favi (São Paulo) e Jocenyr Monteiro Santos (Sergipe).