Fernando Machado

Blog

Tag estilista

Há 50 anos morria sua majestade Chanel 

Coco Chanel no Hotel Ritz de Paris (Foto: Divulgação)

Há 50 anos, morria sozinha no Hotel Ritz, em Paris, uma daquelas estilistas mágicas, uma mulher de ouro para a moda. Estamos nos referindo a Coco Chanel, que do alto dos seus 87 anos deixava um legado infinitamente rico. Coco era muito além do seu tempo. Foi amante, entre outros, do compositor Igor Stranvinski (1882/1971), que era casado e foi morar com a mulher Katarina e quatro filhos na casa de Coco Chanel.

Coco Chanel em clima de relax mas sem esquecer o cigarro (Foto: Divulgação)

Tudo que fazia era objeto de desejo. Seus tailleurs são referencia até hoje, por conta deles Chanel conseguiu colocar a mulher no nível dos homens nas empresas. Suas roupas passaram a vestir as grandes estrelas de Hollywood. Em 1920 criou o perfume Chanel Nº 5, arrasou quarteirão, graças à diva do cinema Marilyn Monroe (1926/1962) confessando que dormia nua apenas com uns pingos de Chanel Nº 5.

Marilyn Monroe e seu perfume preferido Chanel Nº 5 (Foto: Divulgação)

Durante a II Guerra Mundial Chanel fechou sua Maison, mas permaneceu morando na Cidade Luz. Como não poderia deixar de ser teve um relacionamento com Hans Dincklage, da inteligência alemã, que atuava na França. Em 1954 reabriu sua casa de costura, mas os franceses que condenaram esse romance viraram as costas para sua loja. Por conta disso Chanel passou por dificuldades financeiras e decidiu terminar o namoro.

Chanel sempre ao lado do cigarro (Foto: Divulgação)

Chanel dividia seu tempo entre a França e a Suíça, onde se relacionou amorosamente com banqueiros, empresários, condes, duques e políticos. Graças a então primeira dama dos Estados Unidos Jacqueline Kennedy (1929/1994) sua cliente, retomou para as paginas das revistas de moda, com seus tailleurs. Depois Chanel retornou a residir em Paris. Por conta da sua idade foi morar em hotéis, pois não se sentia sozinha. Gabrielle Bonheur Chanel nasceu na França em 19 de agosto de 1983.

Chanel e o bailarino russo Serge Lifar (Foto: Divulgação)

De Volta para o Passado

Há 340 anos, morria em Pernambuco, o herói João Fernandes Vieira, que nasceu na Ilha da Madeira em 1610.

Há 105 anos, nascia no Rio de Janeiro, o carnavalesco Clóvis Bornay, que morreu no dia 9 de outubro de 2005.

Há 80 anos, acontecia a apresentação das alunas de Miss Gatis, no Teatro de Santa Isabel, com renda para a Cruz Vermelha.

Há 70 anos, era inaugurado o prédio dos Correios e Telégrafos, na Avenida Guararapes.

OdilonAzevedo e Dulcina Moraes (Foto: Divulgação)

Há 65 anos, era encenada pela primeira vez no Recife, no Teatro de Santa Isabel, a peça Figueira do Inferno, de Joracy Camargo, com Dulcina Moraes e Odilon Azevedo.

Há 60 anos, era anunciada a realização do I Baile Municipal do Recife, no dia 10 de fevereiro, no Clube Internacional. A ideia ao prefeito Miguel Arraes partiu do jornalista Alexandrino Rocha.

Há 50 anos, morria na França, a estilista Coco Chanel que nasceu no dia 19 de agosto de 1883.

Há 15 anos, morria em Pernambuco, o radialista Emanuel Rezende, que nasceu no dia 22 de setembro de 1936.

Há cinco anos, morria na Inglaterra, o cantor David Bowie, que nasceu no dia 8 de janeiro de 1947.

Emilio Pucci by Christelle Kocher

Apostando em uma mistura de sofisticação e sportswear, a collab da estilista Christelle Kocher para a Emilio Pucci é marcada pela inovação. A nova coleção da marca apresenta uma mistura de estilos, cores e materiais tecnológicos, além de trazer looks masculinos, pensando além do gênero.

Os modelos em tempo de Pucci (Foto: Divulgação)

As peças já estão disponíveis na Emilio Pucci do Shopping Cidade Jardim e no e-commerce o cjfashion.com. Christelle aposta ainda em grafismos e looks geométricos, um dos outros destaques da coleção. A inspiração vem do icônico vestido Marilyn, reinterpretando com novos volumes e proporções, com tecidos inovadores, como um jacquard sem costura.

Esquinas do Mundo

Hoje o blog vai homenagear duas pessoas maravilhosas. A primeira é o estilista Victor Moreira e a segunda a Miss Brasil Mundo de 1960, Maria Edilene Torreão, falecida recentemente. Vamos voltar até junho de 1960 para descrever o belíssimo vestido que Victor criou para Maria Edilene usar no concurso Miss Brasil de 1960. Era um modelo de veludo verde esmeralda. O acabamento no busto era branco e todo bordado by Iracema de Oliveira , assim como o próprio vestido, com pingentes de esmeraldas. Coube a modista Inês Peixe costurar essa peça de arte.

Maria Edilene Torreão e Victor Moreira (Fotos: O Cruzeiro/Acervo de VM)

TV Cultura, a Embaixada e os Consulados dos Estados Unidos no Brasil firmaram uma parceria de incentivo à arte e à cultura, principalmente, ao teatro musical. Dois artistas norte-americanos dividirão suas experiências no concurso musical Talentos, apresentado por Jarbas Homem de Mello na emissora pública. Por meio do programa Arts Envoys os professores Marlies Yearby e Telly Leung darão uma palestra virtual amanhã, para os inscritos e participantes do programa da TV Cultura, que teve cerca de 1.000 candidatos.