Fernando Machado

Blog

Tag brasileira

Os 70 da televisão by Muciolo Ferreira

BarbosaFilo, Luiz Geraldo, Carmen Towar  e Albuquerque Pereira (Fotos:  Ampla/Acervo de CT)

Falar sobre os 70 anos da televisão brasileira é o mesmo que  mergulhar no universo artístico e tecnológico nos mínimos detalhes: nuances e transformações que o veículo. Da primeira imagem gerada no dia 18 de setembro de 1950 pela TV Tupi de São Paulo até ontem à noite quando fui dormir muita coisa mudou. Portando, vou logo avisando: esse comentário não será cronológico e nem obedecerá datas. Será um depoimento individual e personalíssimo sobre o que vi e gostei na minha telinha conforme sugeriu o editor do blog. Quem sabe não coincida com a preferência de algum leitor?

Carmen Peixoto e June Sarita na A Moça do Sobrado Grande (Foto: Televisão Pernambucana)

Adorava assistir Durango Kid, Perdidos no Espaço, As Aventuras do Rin Tin Tin; Jeane é um Gênio. Preferido das adolescentes, o lutador italiano, Ted Boy Marino, do Telecatch, da TV Excelsior tinha Ibope garantido na nossa sala. Mesmo com imagens não muito nítidas os programas infantis, os de auditórios, os de teleteatros, as novelas, os telejornais eram apresentados por quem tinha muito talento. Isso era visível, pois a programação era ao vivo. Apresentadores, garotas-propagandas não podiam errar o texto e nem sair do script.

A apresentadora Floriza Rossi (Foto: Acervo FR)

A novela que não esqueço nunca foi Beto Rockfeller, da TV Tupi, com o ator Luis Gustavo. Outra, Pantanal, escrita por Benedito Ruy Barbosa para a extinta TV Manchete. Na nossa telinha os programas de auditórios, os de calouros e os humorísticos tinham lugar cativo. Chacrinha e Flávio Cavalcanti eram os preferidos. Não perdia Chico City, Ronaldo Golias, Dercy Gonçalves e Consuelo Leandro, pois mandavam nossas tristezas embora.

Violeta Botelho e Alex (Reprodução do JC)

Todavia o apresentador de telejornais que marcou nossa sala foi Edson Almeida, no Repórter Esso da TV Jornal do Commercio. Quando se fala dos 70 Anos da Televisão Brasileira me bate uma nostalgia… Lembro-me dos antigos programas locais das pioneiras TV Rádio Clube (Canal 6) e TV Jornal do Comércio (Canal 2). Sinto vontade de revê Você Faz o Show com Fernando Castelão ao lado de Lolita Rodrigues; Noite de Black Tie com Luiz Geraldo e Barbosa Filho, ambos, na TV Jornal do Commercio.

Aldemar Paiva (Foto: Televisão Pernambucana)

Marcos Mascena e Nair Silva no Bossa-2; Aldemar Paiva no Cidade contra Cidade; José Maria Marques no Meu Bairro é o Maior; Jorge Sá no A Hora do Chau; Carmen Towar e Albuquerque Pereira como mestres de cerimônia da era de ouro do Miss Pernambuco; aos domingos a pedida era Hora do Coquetel com Alex e Violeta Botelho; diariamente curtia Top Set com João Alberto e Thaís Notare; Carmen Peixoto vivendo a donzela da novela A Moça do Sobrado Grande; Floriza Rossi fazendo propaganda das Lojas Boa Vista – “as mais famosas da cidade”. Com isso tento homenagear todos que fizeram a televisão brasileira. (Texto de Muciolo Ferreira)

Chacrinha e as chacretes (Foto: Internet)

Corrida Brigadeiro Eduardo Gomes

O brigadeiro César Farias Guimarães presidirá, amanhã a abertura da II Corrida Brigadeiro Eduardo Gomes, com largada do Parque Dona Lindu marcada às 6h30. E desta vez, haverá a presença de atrações musicais como a Banda de Musica do CINDACTA III, orquestra de frevo do Galo da Madrugada, dos cantores Cezzinha e Pedro Matanna, além de área de lazer para crianças, tenda de massagem, estandes e entrega de brindes dos parceiros, exposição da FAB e muito mais.

A Corrida faz parte das comemorações alusivas ao mês da Força Aérea Brasileira, que em 23 de outubro, são comemorados o dia da Força Aérea Brasileira e do Aviador, em celebração ao aniversário do primeiro voo do 14 Bis, que ocorreu neste dia em 1906, no Campo de Bagatelle, em Paris, e consagrou o brasileiro Alberto Santos Dumont como o pai da aviação. Além disso, a Corrida terá um viés social com arrecadação de alimentos não perecíveis na entrega dos kits, para serem doados ao Projeto Natal do Sertão.

Olimpíada Brasileira de Matemática

Segunda-feira, 575 jovens de todo o país participaram da premiação da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, promovida pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada, em Salvador, na Bahia. Pelo quinto ano consecutivo, a Bolsa do Instituto TIM-OBMEP beneficia 50 medalhistas selecionados pelo IMPA. O Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – Marcos Pontes – esteve no evento.

O ministro Marcos Pontes ao lado de Lucas de Souza, Bernardo Quintão, João Matheus e Rafael Magno (Foto: Divulgação)

Rafael Magno e Lucas de Souza da Paraíba, Renan Paixão do Espírito Santo, Bernardo Quintão de São Paulo e João Matheus de Minas Gerais (Foto: Divulgação)

Ele acredita que a educação matemática é fundamental para o desenvolvimento do país. A Bolsa do Instituto TIM-OBMEP dá apoio financeiro para que jovens talentos oriundos de famílias de baixa renda possam cursar a universidade. O valor de R$ 1.200 mensais é destinado a alunos que conquistaram medalhas de ouro, prata ou bronze em alguma edição do OBMEP e ingressaram na graduação em faculdades públicas.

Maria da Glória é Miss Beleza Internacional

Há 45 anos em Tóquio, no Japão, a brasileira Maria da Glória Carvalho, era eleita Miss Beleza Internacional de 1968, por sinal a única representante do Brasil ganhar este título. Elena Restrepo da Bolivia foi escolhida Miss Simpatia, Rungtip Pinyo da Tailândia ficou como Miss Fotogenia e Rosário Villam faturou o troféu de melhor traje típico.

bi-68-maria-da-gloira-carvalho-traje-cruzeiro

Maria da Glória de traje típico (Foto: O Cruzeiro)

As 15 semifinalistas foram Maria da Glória Carvalho (Brasil), Rosário Villa (Colombia), Kim Hee (Coreia do Sul), Dorrit Frantzen (Dinamarca), Marie Smith (Escócia), Ann Macquarrie (Estados Unidos), Nenita Tuazon (Filipinas), Nancy Gallerne (França), Sumita Sem (India), Daniela Hod (Israel), Yoko Sunami (Japão), Nádia Leets (Nicaragua), Annika Hemminge (Suécia), Irene Stierli Smith (Suíça) e Rungtip Pinyo (Tailandia).

bi-maria-da-gloria-carvalho

Maria da Glória entre as quatro finalistas (Foto: O Cruzeiro)

No final foram escolhidas Maria da Glória como Miss Beleza Internacional de 1968; Annika Hemmeinge da Suécia em segundo; Ann Macquarrie dos Estados em terceiro; Dorrti Frantzen da Dinamarca em quarto e Rungtip Pinyo da Tailândia em quinto. Participaram do concurso 49 candidatas.