Fernando Machado

Blog

Tag Brasil

Anotações do Cotidiano

A chef Anuska Azevedo retoma aos afazeres do funduê, que seu pai, Antistens Azevedo, chamado La Maison. Agora ela está negociando pela plataforma Ifood, além da entrega gratuita esse longo final de semana, tem 10% off, em todo menu. Eis o cardápio: Fundue de carne (com batata palito, salada com tomate, cebola,  brócolis, tomate cereja e 6 molhos com sabores de alho, queijo, cebola, salsa, pimenta e azeitona preta), Fundue de Queijo (com batata palito, brócolis, tomate cereja, cubos de goiabada); Fundue de Chocolate (com quatro tipos de frutas da época, wafer e marsmallow). Ainda opcional massa fina de espaguete ao molho de alho e óleo. Pedidos no @lamaison.fundueemmolhosemcasa,  @lamaison.fundueemmolhos ou (81) 98672.4201.

De amanhã e até domingo mais de sete mil universitários do Brasil participarão do evento sobre empreendedorismo Universitário e esse número ainda pode crescer, pois as inscrições continuam abertas. O 27ª Encontro Nacional de Empresas Juniores, este ano não será presencial, mas pela primeira vez em sua história, de modo online. Realizado pela Brasil Júnior, Confederação Brasileira de Empresas Juniores, leia-se a presidente Ana Beatriz Cesa, o encontro já bateu o número de inscritos do ano passado, e deve movimentar cerca de R$ 270 mil. Para participar, adquirir um ingresso ou obter mais informações sobre o ENEJ 2020, é preciso acessar o link. 

Maria Edilene brilha agora no céu

Maria Edilene no Top 8 do Miss Brasil (Foto: O Cruzeiro)

Ela deixou de desfilar pelas ruas de São José do Egito, pelas do Recife, pelas do Rio de Janeiro e finalizou nas de Londres. Achou pouco veio arrasar na passarela do Miss Pernambuco, depois na do Miss Brasil e finalmente nas do Miss Mundo. Do alto dos seus 1m71 de altura, 56kg de peso, busto e quadris 92cm, coxa e cintura 58cm, era uma figura feminina deslumbrante. Sem dúvida tinha um corpo escultural. Estamos nos referindo a Maria Edilene Vidal Torreão que desde domingo foi brilhar no céu.

Maria Edilne de traje de noite by Victor Moreira e maiô by Catalina (Foto: Revista O Cruzeiro)

Somente os missologos, e nem todos, sabem o que esta mulher de sorriso tímido representou para nós. Quando Maria Edilene passava era um murmúrio geral. Nascida no dia 21 de abril de 1944, em 1959 foi Miss Clube Náutico Capibaribe, no ano seguinte Miss Santa Futebol Clube e Miss Pernambuco. No dia 11 de junho, num Maracanãzinho lotado, mais de 28 mil pessoas, dividiu a passarela ao lado de 22 jovens. No final faturou o 3º lugar e foi representar o Brasil, em Londres.

As concorrentes no Lyceum Ballroom Theatre (Foto: Alamy)

A Miss Brasil foi Gina Macpherson, da Guanabara. No dia 8 de dezembro lá estava ela no Lyceum Ballroom Theatre, em Londres disputando o Miss Mundo de 1960, ao lado de 38 candidatas. Retornou ao Brasil como uma das 10 mulheres mais bonitas do Mundo. A vencedora foi a Miss Argentina Norma Gladys Cappagli. Pois bem essa sertaneja faleceu domingo por ter contraído COVID 19 num Hospital de Boa Viagem.

Maria Edilene Torreão (Foto: Revista Manchete)

Quando essa noticia chegou me encobriu de tristeza, pois Edilene ajudou a escrever os momentos mais marcantes dos concursos de misses. Não posso dizer quem era mais bela, se Maria Edilene miss, ou Maria Edilene gente. Maria Edilene teve dois filhos Roberto Phaelante da Camara Filho (que mora em Salt Lake City) e Vicente de Paula Phaelane da Câmara Neto. E deixou oito netos e e três bisnetos. Assistam parte do concurso de Miss Mundo no link: https://www.youtube.com/watch?v=zvsC9q2FY2Y.

Maria Edilene Torreão antes de partir até Londres (Foto: Revista Mundo Ilustrado)

Fatos Diversos

Os galeristas Alexandre Roesler e Renata Castro revelam os detalhes de sua casa no Jardim Europa, capital paulista na edição deste mês da revista Casa Vogue. Projetado por Angelo Bucci, do SPBR Arquitetos, o espaço abriga a coleção de obras de arte do casal e traz elementos naturais que transformam a residência urbana em um refúgio paradisíaco em meio ao caos da cidade.

Renata Castro e Alexandre Roesler (Foto: Fran Parente)

Cerca de 7 a 15% dos idosos no Brasil são acometidos pela doença de Alzheimer. Para os interessados no tema, no próximo dia 17, às 17h, via a plataforma Zoom Meeting, estará na pauta, sendo abordadas suas diferentes vertentes. A médica Diana Campos e Rodolfo Cunha vão esclarecer as dúvidas. Inscrição no 99517.778.

Ieda Vargas vence o Miss Universo de 1963

O dia 20 de julho de 1963 foi muito importante para os missologos brasileiros. Foi nesta data nos tirou aquele complexo de segundo lugar. Em 1954 Martha Rocha, em 1957, Terezinha Morango em 1958, Adalgisa Colombo, ficaram no segundo lugar no concurso, que acontecia em Long Beach, na Califórnia. Pois bem, há 57 anos Ieda Maria Vargas, Miss Rio Grande do Sul e posteriormente Miss Brasil, era eleita no Miami Beach Auditorium, na Flórida, a primeira Miss Universo brasileira. Vamos ler a matéria ouvindo a canção das misses:   https://www.youtube.com/watch?v=4MNANgFCYpk .

Foto oficial de metade das concorrentes (Foto: O Cruzeiro)

Em 1930, tivemos no Brasil um concurso no Rio de Janeiro, chamado Desfile Internacional de Beleza, onde a vencedora foi outra gaucha Yolanda Pereira. Todavia ele não é reconhecido oficialmente pelo Miss Universe Organization. Em 1963 participaram do concurso 50 candidatas. A primeira novidade da competição foi a presença da Miss Okinawa, Reiko Uehara, que causou interesse da imprensa por ser uma representante à parte do Japão. Então ocupada pelos norte-americanos.

Foto oficial das demais concorrentes (Foto: O Cruzeiro)

Algumas misses de belezas diferentes tornaram-se as favoritas, como as misses Aino Korva (Dinamarca), Lalaine Bennett (Filipinas), Helga Ziesemer (Alemanha), Marlene McKeowan (Irlanda), e a brasileira Ieda Maria Vargas, de sorriso largo e figura perfeita, transformada na favorita número 1 da América do Sul. A Miss Inglaterra, Susan Pratt, foi atropelada por um carro nas vésperas do concurso, quebrando uma perna e não pode desfilar. Mesmo assim, foi apresentada ao público na noite da final, entrando no palco em cadeira de rodas.

O Top 15 e Ieda Maria Vargas com seu traje de gaúcha estilizada criação de Djalma Santos (Fotos: Divulgação)

O Top 15 foi composto por Ellen Leibenberg (África do Sul), Helga Ziesemer (Alemanha), Olga Galuzi (Argentina), Gertrude Bergner (Áustria), Ieda Maria Vargas (Brasil), Ellen Leibenberg (Coréia do Sul), Cristina Alvárez (Colômbia), Aino Korva (Dinamarca), Marite Ozers (Estados Unidos), Lalaine Bennett (Filipinas), Riita Hellevi (Finlandia), Monique Lemaire (França), Gianna Serra (Itália),  Marlene McKeowan (Irlanda) e Noriko Ando (Japão). O melhor traje típico foi de Sherine Ibrahim (Israel), a Miss Fotogenia foi Marlene McKeown  da Irlanda e a Miss Simpatia foi a escocesa Grace Taylor.

Dois momentos lindos. O primeiro Norma Nolan sendo apresentada ao Top 15 (Foto: Manchete)

E na comissão julgadora estavam Edilson Cid Varela (coordenador do Miss Brasil), os atores Cesare Danova e Peter Sellers, os jornalistas Earl Wilson e Kiyoshi Hara, e ilustrador Russell Patterson. Finalmente, o Mestre de Cerimônias Gene Rayburn,  anunciou as cinco finalistas, depois de desfiles trajes típicos, maiô Catalina e vestido de baile: Quinto lugar ficou Kim Myoungja (Coréia do Sul), quarto lugar Lalaine Bennett (Filipinas), terceiro lugar Marlene McKeown (Irlanda), segundo lugar Aino Korva (Dinamarca) e a grande vencedora foi a brasileira Ieda Maria Vargas.

Norma Nolan depois de ter coroado Ieda Maria Vargas e Gene Rayburn (Foto: Manchete)

Participaram do concurso: Ellen Leibenberg (África do Sul), Helga Ziesemer (Alemanha), Olga Galuzzi(Argentina), Gertrude Bergner (Áustria), Sandra Young (Bahamas), Irene Godin   (Bélgica), Ana Maria Gutiérrez (Bolivia), Ieda Maria Vargas (Brasil), Jane Kmita (Canadá), Manel da Silva (Ceilão), Maria Cristina González (Colômbia), Kim Myoungia (Coreia do Sul), Sandra Chryssopulos (Costa Rica), Alicia Chia (Cuba livre), Philomena Zielinski (Curaçao), Aino Korva (Dinamarca).

Ieda Vargas ladeada por Marlene McKeowan, Aino Korva, Lalaine Bennett e Kim Myoungia (Foto: Divulgação)

Também Patricia Córdoba (Equador), Grace Taylor (Escócia), Maria Rosa Gómez (Espanha), Marite Ozers(Estados Unidos), Lalaine Bennert (Filipinas), Riita Kautianinen   (Finlandia), Monique Lemaire (França), Despina Orgetta (Grecia), Gloria Flackman (Guiana Inglesa), Elsa Onstenk (Holanda), Marlene McKeown (Irlanda), Theodora Thordardóttir (Islândia),   Sherine Ibrahim (Israel), Gianna Serra (Itália), June Bowman (Jamaica), Noriko Ando (Japão), Mia Dahm (Luxemburgo), Selma Rahal (Marrocos).

Ieda Maria Vargas no trono como Miss Universo de 1963 (Foto: O Cruzeiro)

E finalmente Leda Sánchez (Nicarágua), Eva Carlberg (Noruega), Regina Scandroff (Nova Zelândia), Reiko Uehara(Okinawa), Maureen Thomas (País de Gales), Amélia Benitez  (Paraguai), Dora Toledano Godier (Peru), Jeanette Blascocechea (Porto Rico), Carmen de Benito (República Dominicana), Kerstin Jonsson (Suécia), Diana Tanner (Suíça), Brigitta Hougen (Suriname), Jean Sotodart (Trindad), Guler Sumaray(Turquia), Graciela Pintos (Uruguai) e Irene Morales Machado (Venezuela).