Fernando Machado

Blog

Pausa Poética

“E entre os seus dedos cruzados, fendidos, tão longos e longos, nasceu uma flor, / repara-lhe as mãos”. Gilberto Osório de Andrade (1912/1986)

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.