Fernando Machado

Blog

Categoria Miss

Réquiem para Martha Rocha

O blog está inconsolável, com o falecimento sábado da mulher que transformou o concurso de Miss Brasil num acontecimento. Com a morte da eterna Miss Brasil, Maria Martha Hacker Rocha, que ajudou a escrever os momentos mais curiosos, encantadores e corajosos das jovens que pretendiam ser miss, nunca mais os concursos de belezas serão os mesmos. Somente os missologos originais sabem o que esta mulher de sorriso iluminado representou para nós.

Martha sendo beijada pelos atores Jeff Chandler e Tony Curtis (Foto:  O Cruzeiro)

Maria Martha Hacker Rocha que nasceu no dia 19 de setembro de 1932, em Salvador, na Bahia, filha de Hansa e Álvaro Rocha era uma referencia da beleza brasileira. Foi eleita Miss Brasil, no dia 26 de junho de 1954, Quitandinha, em Petrópolis, e ficou no segundo lugar no Miss Universo de 1954, realizado em Long Beach, na Califórnia, no dia 24 de julho de 1954. Casou-se no dia 2 de fevereiro de 1956, em Mar Del Plata, na Argentina, com banqueiro português Álvaro Piano, teve dois filhos Álvaro Luiz e Carlos Alberto.

Martha entre as cinco candidatas ao Miss Brasil de 1954 (Foto: O Cruzeiro)

No dia 17 de janeiro de 1958, ele faleceu, na Argentina, num desastre de avião. Três anos depois, 18 de maio de 1961, Martha  casou novamente, na Igreja da Candelária, tendo a cerimônia presidida por Dom Helder Câmara, com o empresário Ronaldo Xavier de Lima. A recepção aconteceu no Copacabana Palace. Com ele, Martha teve uma filha Claudia. A primeira Miss Brasil da era dos Diários Associados teve uma vida cheia de glória.

Diante da Comissão julgadora, Martha é a terceira da direita para a esquerda (Foto: O Cruzeiro)

Todavia na sua caminhada encontrou muitas barreiras também. Vivia reclusa morando modestamente em Niterói. Não queria receber os amigos. Em 2016 colocou a filha, a artista plástica Claudia Xavier de Lima, na justiça pedindo pensão alimentícia devido está passando necessidade. Teve câncer de mama, mas ficou curada e foi artista plástica. Sem dúvida alguma Martha Rocha, na sua área, foi a mulher do século 20, pois virou uma referencia nacional de beleza.

Martha Rocha no Top 5 do MIss Universo de 1954 (Foto: O Cruzeiro)

A parte engraçada da sua trajetória como Miss Brasil, dizem que Martha ficou em 2º lugar, ou seja perdeu o título de Miss Universo de 1954 para a norte-americana Miram Stevenson por conta duas polegadas a mais nos quadris. O segundo lugar deu a Miss a fama absoluta. A história das duas polegadas foi uma invenção de jornalista João Martins, da revista O Cruzeiro, para consolar o orgulho brasileiro. Tudo foi combinado com os demais jornalistas brasileiros que estavam em Long Beach.

Martha Rocha, João Martins e Miriam  Stenvenson (Foto: O Cruzeiro)

A própria Martha autorizou a versão, conforme consta em sua autobiografia, apesar de nem ela saber se essa história de duas polegadas foi verdadeira. Outra curiosidade, em 1956 a Chevrolet lançou no Brasil a picape 3100 com duas polegadas (5 cm) a mais na distância entre eixos que nos modelos convencionais. O veiculo é ainda apelidado de Marta Rocha. A partir de 1996, passou a aparecer em júris de concursos de beleza se tornando a primeira miss a cobrar cachê para tanto.

Alvaro Piano e Martha Rocha na cerimonia do casamento e e os dois em lua-de-mel (Fotos: Manchete)

Em uma entrevista publicada em abril de 2006 pela revista IstoÉ, Martha explicou que era uma necessidade, pois no ano anterior perdera todo o dinheiro que tinha com a falência de uma instituição financeira (a Casa Piano) comandada pelo seu cunhado. Em 2000, descobriu ser portadora de câncer de mama. A partir daí, Martha passou a ter outro estilo de vida. Com sua morte, sábado, o mundo miss, sofreu uma grande baixa. A partir de amanhã publicarei depoimentos de várias pessoas.

Ângela Vasconcelos vence o Miss Brasil de 1964

A foto das 16 das 24 candidatas (Manchete)

Ângela Vasconcelos e Vera Lucia Couto de traje típico e vestido (Fotos: Manchete Cruzeiro)

Maria Isabel Avelar de traje típico e vestido, Cecilia da Rocha do Rio e Neli Padilha do Rio Grande do Norte (Fotos: O Cruzeiro)

Há 56 anos, acontecia no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, o concurso de Miss Brasil de 1964. Um público estimado em 20 mil pessoas testemunhou a vitória Ângela Vasconcelos, Miss Paraná, ser coroada pela Miss Brasil e Miss Universo de 1963, Ieda Maria VargasTelma Lobo de Carvalho (Amazonas) foi eleita Miss Simpatia e Maria Isabel de Avelar Miss Fotogenia e o melhor Traje Típico. Ângela tinha 1m70 de altura, 90 cm de busto, 93 cm de quadris, e 64 cm de cintura.

Ana Maria Costa Caldas de traje típico e vestido de noite (Fotos: Manchete e Cruzeiro)

Os apresentares foram Paulo Max e Marly Bueno. A comissão julgadora foi composta por Pomona Politis, Justino Martins, Tônia Carrero, Accioly Neto, Mitzy de Almeida, Almeida Magalhães, Oscar Santamaria, Edith Pinheiro Guimarães, Helio Beltrão, Eda Luttis, Leão Velloso e Edilson Cid Varela.

O top 9 Ceará, Rio Grande do Norte, Guanabara, Paraná, Sergipe, Pernambuco, Rio de Janeiro e Minas Gerais (Foto: Manchete)

No top 9 ficaram Ana Maria Carvalhedo (Ceará), Vera Lucia Couto (Guanabara), Marília Dirceu da Silva (Minas Gerais), Ângela Vasconcelos (Paraná), Ana Maria Costa Caldas (Pernambuco), Cecília Rangel Martins (Rio de Janeiro), Neli Cavalcanti (Rio Grande do Norte), Rosa Maria Galas (Rio Grande do Sul) e Maria Isabel de Avelar (Sergipe).

Vera Lucia, Ieda Vargas e Ângela Vasconcelos; Ieda coroando Ângela (Fotos: O Cruzeiro e Manchete)

Na classificação final tivemos em 5º lugar Neli Cavalcanti do Rio Grande do Norte, em 4º lugar Ana Maria Caldas de Pernambuco, em 3º lugar Maria Isabel de Avelar de Sergipe, em 2º lugar Vera Lucia Couto da Guanabara e a Miss Brasil de 1964 foi Ângela Teresa Reis Vasconcelos.

Ângela Vasconcelos, Vera Lúcia Couto, Inês Avelar e Ana Maria Costa (Foto: O Cruzeiro)

Participaram do concurso 24 jovens: Laura Aranha (Acre), Teresinha Granja (Alagoas), Telma Carvalho (Amazonas), Elvira Falcão (Bahia), Ana Carvalhedo (Ceará), Marli Igliori (Distrito Federal), Justina Ramos (Espírito Santo), Eny Camilo Machado (Goiás), Vera Lucia Couto (Guanabara), Tereza Boblitz (Maranhão),Kátia Escudero (Mato Grosso), Marília Dirceu Silva   (Minas Gerais), Maria Esther Bentes (Pará).

Maria Isabel Avelar, Ana Maria Caldas, Regina Almeida e Marília de Dirceu (Fotos: Manchete e Cruzeiro)

Ainda Rosalma Andrade (Paraíba), Ângela Vasconcelos (Paraná), Ana Maria Costa (Pernambuco), Maricildes Ferreira da Costa (Piauí), Cecília Rangel Martins Rocha (Rio de Janeiro), Neli Cavalcanti Padilha (Rio Grande do Norte), Rosa Maria Gallas (Rio Grande do Sul), Regina de Almeida (Rondônia), Salete Maria Chiarad (Santa Catarina), Cecília Alves Ferreira (São Paulo) e Maria Isabel de Avelar (Sergipe).

Eny Machado, Telma Carvalho, Tereza Boblitz e Elvira Falcão (Fotos: O Cruzeiro)

Olha a passarela do Maracanãzinho em forma de armadura (Foto: O Cruzeiro)

Maria Raquel de Andrade vence o Miss Brasil de 1965

Sandra Rosa, Maria Raquel de Andrade e Berenice Lundardi (Foto: Manchete)

Sandra, Berenice, Marilena, Maria Raquel, Rosemary, Solange, Ilce e Marilda (Foto: Divulgação)

Há 55 anos, 40 mil pessoas testemunhavam, no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, Maria Raquel de Andrade, da Guanabara, ser eleita Miss Brasil 1965. A vencedora foi vaiada por quase 10 minutos, foi coroada pela Miss Brasil de 1964, Ângela Teresa Vasconcelos, do Paraná. Maria Raquel tinha 1m70 de altura, 90 cm de busto e quadris, 56 cm de coxa e 21 cm de tornozelos. Em 2ª lugar ficou Sandra Penno Rosa (SP), e em 3º Berenice de Oliveira (MG).

Adail Franco, Mary Grace Oiticica Bandeira e  Jane Barbosa (Foto: O Cruzeiro)

Marilda Mascarenhas, Suely Tavares e Iassodara Cavalcante (Foto: O Cruzeiro)

O júri foi presidido pela escritora Dinah Silveira de Queiroz,  contou com a participação de Oscar Santamaria, Evandro Castro Lima, Claude Berr, Altamiro Rocha de Oliveira, Augusta Teixeira, Pomona Politis e Alberto DinesIlce Hasselmann, do Estado do Rio foi eleita Miss Simpatia e Miss Fotogenia. A favorita Marilene de Oliveira, Miss Mato Grosso, ficou no quarto lugar e ganhou o prêmio de Melhor Traje Típico. Pela primeira vez, os apresentadores foram Paulo Max e Marly Bueno.

Solange Leão, Ilce Ione Hasselamnn, e Maria Aparecida Silva (Foto: O Cruzeiro)

Glauciene de Souza, Cleide Lira Pedrosa e Rosemary Raduhy (Foto: O Cruzeiro)

O Top 8 foi formado por Marilda Mascarenhas (Bahia), Solange Leão (Espírito Santo), Ilce Ione Hasselmann (Estado Rio), Maria Raquel de Andrade (Guanabara), Marilena de Oliveira (Mato Grosso), Berenice Lunardi (Minas Gerais), Rosemary Raduhy (Paraná) e Sandra Penno Rosa (São Paulo). A Miss Espírito Santo era a mais alta com 1m70 e a Miss Sergipe a mais baixa com 1m62. A Miss Pernambuco tinha o maior busto 0,94 cm, e as misses Mato Grosso e Alagoas os maiores quadris 0,96 cm.

Alda Maria Simonette, Maria Graça Melo e Laurinete Bezerra (Foto: O Cruzeiro)

Tania Luppi, Aurian Chaves e Ana Maria Rocha (Foto: O Cruzeiro)

As 25 concorrentes foram Adail Franco (Acre), Mary Grace Oiticica Bandeira (Alagoas), Jane Fátima Barbosa (Amazonas), Marilda Mascarenhas (Bahia), Suely Tavares (Brasília), Iassodara Cavalcante (Ceará), Ilce Ione Hasselmann (Estado do Rio), Solange Leão (Espírito Santo), Maria Aparecida Silva (Goiás), Maria Raquel de Andrade (Guanabara), Sônia Maria Malta Mendes (Maranhão), Marilena de Oliveira Lima (Mato Grosso).

Sônia Pinho, Sandra Rosa e Maria Luiza Vieira da Cruz (Foto: O Cruzeiro)

Sonia Malta Mendes, Marilena de Oliveira Lima e  Berenice Lunardi (Foto: Cruzeiro)

Ainda Berenice Lunardi (Minas Gerais), Glauciene de Souza (Pará), Cleide Lira Pedrosa (Paraíba), Rosemary Raduhy (Paraná), Alda Maria Simonetti Maia (Pernambuco), Maria da Graça Melo (Piauí), Laurinete Bezerra (Rio Grande do Norte), Tânia Lupi (Rio Grande do Sul), Aurian Chaves (Rondônia), Ana Maria Rocha (Roraima), Sônia Maria Pinho (Santa Catarina),   Sandra Penno Rosa (São Paulo) e Maria Luiza Vieira Cruz (Sergipe).

Maria Raquel de Andrade, Sandra Rosa, Berenice Lunardi e Marilena de Oliveira Lima (Fotos: Fatos & Fotos / O Cruzeiro)

Maria Raquel na capa de O Cruzeiro e na capa da Manchete sendo coroada por Ângela Vasconcelos

Gina MacPherson vence o Miss Brasil de 1960

Tempos bons, onde o Maracanãzinho ficava lotado (Foto: O Cruzeiro)

Com um Maracanãzinho lotado, mais de 28 mil pessoas, 23 jovens disputaram no dia 11 de junho de 1960, o concurso de Miss Brasil 1960, cuja eleita foi Gina Macpherson, da Guanabara, que recebeu a coroa da Miss Brasil de 1959, Vera Regina Ribeiro. Participaram do concurso 23 jovens. O 2º lugar foi para Magda Renate Pfrimer, de Brasília e o 3º lugar foi para Maria Edilene Torreão, de Pernambuco.

Um grupo de candidatas (Foto: Revista Mancete)

O outro grupo de candidatas (Foto: Revista Manchete)

A Miss Brasil, casou com o capitão tenente da Marinha, Ademar Garcia, e devido a sua transferência morou alguns anos no Recife. Os apresentadores foram Paulo Porto e Lourdes Mayer da Rádio Nacional. O júri foi formado por Helena Silveira, Leda Ribeiro, Eunice Modesto Leal, Martha Rocha, Herbert Moses, Leão VelosoOscar Santa Maria, Zacharias do Rego Monteiro, Carlos Machado, João Calmon e José Amádio.

O Top 8 (Foto: O Cruzeiro)

No Top 8 ficaram Vania Nobre Jacob (Amazonas), Magda Renata Pfrimer (Brasilia), Gina MacPherson (Guanabara), Mercedes Elizabeth Del Carmen Carrascosa Von Glehn (Minas Gerais), Maria Edilene Torreão (Pernambuco), Marzy Moreira (Rio de Janeiro), Edda Logdes (Rio Grande do Sul) e Érika Bertha Zirkus (São Paulo).

Gina MacPherson, Magda Phriman e Marzy Moreira (Foto: O Cruzeiro)

Alba Terezinha de Lima, Merle Aguiar Salmen e Eliseana Havenrroth (Foto: O Cruziero)

Participaram do concurso Lunalva Lamenha da Costa (Alagoas), Glória Maria Celso Portugal (Amapá), Vanja Nobre Jacob (Amazonas), Eliana Miranda (Bahia),Magda Renate Pfrimer   (Brasilia), Wanda Lúcia Gomes de Mattos Medeiros (Ceará), Jocy Santana de Morais (Espírito Santo), Marzy Moreira (Rio de Janeiro), Iara Aparecida Moreira (Goiás), Gina MacPherson (Guanabara), Merle Aguiar Salmen (Maranhão), Alba Terezinha de Lima (Mato Grosso).

Maria das Mercês Morais, Idjanira de Araujo Costa e Glória Maria Portugal (Foto: O Cruzeiro)

Maurina Kassemache, Iara Aparecida Moreira e Zélia Maria Pinheiro (Foto: O Cruzeiro)

Ainda Mercedes Elizabeth Del Carmen Carrascosa Von Glehn (Minas Gerais), Edna Azevedo (Pará), Maria das Mercês Morais (Paraíba), Maurina Kassemache (Paraná), Maria Edilene Torreão (Pernambuco), Idjanira Portela de Araújo Costa (Piaui), Zelia Maria Pinheiro (Rio Grande do Norte), Edda Logges (Rio Grande do Sul), Eliseana Yoshman Havenrroth (Santa Catarina), Érika Bertha Zirkus (São Paulo) e Mara Bandeira de Melo Labuto (Sergipe).

Maria Edilene Torreão, Edna Azevedo e Vanja Nobre Jacob (Foto: O Cruzeiro)

Edda Loges, Jocy Santana de Morais e Eliana Miranda (Foto: O Cruzeiro)

Marzy Moreira, do Rio de Janeiro, foi eleita Miss Simpatia. As candidatas mais aplaudidas da noite foram Mercedes Von Glehn (MG), Maria Edilene Torreão (PE), Gina MacPherson (GB) e Marzy Moreira (Rio). Magda Renata Pfrimer foi Miss Goiás de 1958. Miss Amazonas, Vanja Nobre Jacob, em 1959 ficou em quarto lugar no Miss Guanabara, representando o Botafogo

Lunalva Lamenha da Costa e Mercedes Elizabeth Von Glehn (Fotos: O Cruzeiro e Manchete)

Vanda Lúcia Medeiros, Erica Zirkus e Mara Bandeira de Mello Labuto (Fotos: O Cruzeiro)