Fernando Machado

Blog

Categoria futebol

O Dia do Goleiro e de Manga

Manga na sua juventude e adulto (Fotos: Divulgação)

Hoje, no Brasil, é o Dia do Goleiro. Uma homenagem ao pernambucano Hailton Correia de Araujo, mas conhecido como Manga, que nasceu no dia 26 de abril de 1937 e tem 1m86 de altura. Começou a atuar no Sport Clube do Recife na sequencia seguiu para o Botafogo do Rio de Janeiro, Nacional do Uruguai, Internacional de Porto Alegre, Operário do Mato Grosso do Sul, Coritiba do Paraná, Grêmio de Porto Alegre, e Barcelona de Guayaquil no Equador.

Manga quando jogava no Botafogo carioca (Foto: Divulgação)

O Mito Manga, deverá ser cumprimento no Retiro dos Artistas, pelos 83 anos de idade, onde está residindo, teve uma carreira brilhante. Aposentou-se em 1982, aos 45 anos de idade. Jogou na seleção brasileira, na Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra. Sobre sua vida familiar pouco se sabe apenas que foi casado duas vezes. Do primeiro casamento teve dois filhos Adilson que morreu em 2011 e Wilson Pereira de Arruda. Manga foi, segundo a crítica especializada, um dos melhores goleiros da história do futebol brasileiro.

Manga se encontro com o filho Wilson de pois de duas décadas (Foto: Igor Castello Branco)

Adrien no Soccer Festival 2020

Adrien Vanegue, de camisa verde, se prepara para fazer o primeiro gol (Foto: Julien Vanegue)

O meu sobrinho neto, Adrien Vanegue, que joga no Asphalt Green de New York, e disputou em Orlando, no inicio do mês a Bronze Cup da Disney President’s Day, pelo Soccer Festival 2020. Contra o West Florida Flames, Adrien fez os dois gols do Asphalt, mas infelizmente perdeu por 3×2. Também participaram do torneio o Pinellas County United e Inter of Miami. Apesar de apenas 10 anos, Adrien tem sido uma revelação no ataque do seu time.

Adrien marcando seu segundo tento (Foto: Julien Vanegue)

Morre Cabral, um ídolo tricolor

O deus de ébano tricolor Cabral (Foto: Luiz Gonzaga)

Enquanto o Brasil comemorava, sábado, o bicampeonato do Flamengo, na Libertadores, o futebol pernambucano perdia um ídolo. Estamos nos referindo ao lateral José Paes Cabral, que nasceu no dia 1 de janeiro de 1948, Pernambuco. Foi campeão pelo Santa Cruz em 1969, bi em 1970, tri em 1971, tetra em 1972 e penta em 1973.

Gena, Rivaldo, Valter, Detinho, Antonino e Cabral; agachados: Miruca, Givanildo, Fernando, Santana, Luciano e Ramon (Foto: Memórias do Santa Cruz)

Cabral tinha 1m79 de altura, jogou começou sua carreira, aos 19 anos pelo Clube Ferroviário do Recife. Em 1974 jogou pelo Rio Negro do Amazonas, pelo Sporting de Portugal e pelo America do Recife, em 1975. Era viúvo e encerrou sua vida esportiva em 1986, aos 38 anos, jogando pelo Paulistano de Pernambuco.

Cabral O bicampeão pernambucano Cabral (Foto: Memórias do Santa Cruz)

Seleção Cacareco de 1959

Há 60 anos, Pernambuco era escolhido para representar o Brasil no Campeonato sul-americano de futebol, em Guaiaquil, no Equador. O técnico Gentil Cardoso convocou os 22 jogadores para a seleção brasileira que recebeu o apelido de Cacareco.

O selecionado brasileiro by Pernambuco antes do embarque (Foto: Reprodução do DP)

Santa Cruz 9 atletas: Walter Serafim, Jorge Carvalho, Edson Santos, Biu (Severino Silva), Servilho (José de Lucas), Dodô (Haroldo Silva), Tião (Sebastião dos Santos), Moacir Francisco dos Santos, Mainha (Rinaldo Amorim Maia), Zé de Melo (José Inacio de Melo), Goiano (Clemilton Ataide Cavalcanti), e Clóvis Pinheiro Santos.

A delegação na abertura dos jogos (Foto: Reprodução do DP)

Nautico 7: Paulo Pisaneshi, Waldemar Chiarelli, Givaldo Cordeiro, Zequinha (José Pereira Miná), Nancildo Nepomuceno, Hémilton Freitas, Geraldo José da Silva, Elias Oliveira e Fernando Salvador.

A delegação da Cacareco ainda na abertura dos jogos (Foto: Reprodução do DP)

Sport 7: Bria (Cosme Rodrigue de Mélo), Nei Bezerra Andrade, Zé Maria (José Maria Salles), Tomires de Souza Galvão, Bé (Roberto Bocaelli), Oswaldo Martins e Zeca (José Cardoso Reis).

O time Cacareco no Equador (Foto: Reprodução do DP)

Ferroviário 3: Zeca (José Carlos Reis), Neco (Manuel Pereira dos Santos) e Amâncio (José Américo Silva). Ibis 3: Vantu (Vantil Santos), Paraíba (Inaldo Lima Silva) e Jovelino Candido Fernandes. Asas: Manoelzinho (Manoel Bezerra).

  • 1 2 4