Fernando Machado

Blog

Tag vernissage

Esquinas do Mundo

Resultou num sucesso o vernissage da Galeria Nara Roesler, em Ipanema, no Rio de Janeiro, quinta-feira, do artista plástico Vik Muniz, intitulada de Handmade. Nara Roesler para quem não sabe é pernambucana.  A mostra com 70 peças tem a curadoria de Luisa Duarte.

Ricardo Castro, Nara Roesler e Vanja Chermont de Brito (Foto: Marco Rodrigues)

Beatriz Milhazes e Vik Muniz na Galeria Nara Roesler (Foto: Marco Rodrigues)

A socialite norte-americana Paris Hilton já avisou aos amigos que vem passar o Carnaval na Bahia. Vai ficar no Camarote Salvador e ainda vai mandar ver nas picapes como DJ. O que essa criatura não vai aprontar. Essa nota pincei do blog Society Rio/São Paulo de Yuri Antigo.

Fatos Diversos

O documentário da premiada cineasta pernambucana Dea Ferraz, Câmara de Espelhos, estreia hoje, no Cinema São Luiz, no Recife; no Cine Teatro Recreio em Rio Branco; no Cinema Dragão, em Fortaleza e no Cine Vitória em Aracaju. Depois segue para Cuiabá, São Paulo, Belo Horizonte e Curitiba.

O cineasta Dea Ferraz (Foto: Beto Figueiroa)

Hoje e amanhã, a Praça do Carmo, em Olinda, será palco do 17º Festival de Empreendimentos Criativos, Arte e Cultura da Nossa Terra promovido pela FOCCA. O evento é aberto ao público e será realizado das 17h às 22h, reunindo exposição de artesanato, moda, empreendedorismo, música, dança, comidas típicas, arte e cultura.

Francisco e Nenen Brennand, Pedro Frederico e Maria Helena Brennand (Foto: Fernando Machado)

O Espaço Brennand, em Boa Viagem, deve ficar lotado hoje à noite por conta do vernissage da sua Coletiva de Natal. Nas paredes obras de Francisco Brennand, Reynaldo Fonseca, João Câmara, José Claudio, para citar apenas estes nomes. A curadoria é de Pedro Frederico de Almeida.

De volta para o passado

Há 105 anos, concluía seu curso de Direito pela Faculdade de Direito do Recife, Catharina Moura. Por ter sido laureada ganhou uma viagem para Europa. Ela nasceu na Paraíba em 20 de dezembro de 1883.

Há 80 anos, acontecia no Gabinete Português de Leitura, vernissage do artista plástico Carlos Amorim.

Há 70 anos, era inaugurado na Madalena, o Iate Clube do Recife. O primeiro comodoro foi Jorge Dantas Bastos. O projeto foi do engenheiro Jorge Martins.

Há 60 anos, acontecia no Cabanga Iate Clube, a prévia Carnaval em Preto e Branco.

Há 55 anos, chegava ao Recife, o Padre e poeta Michel Quoist (1921/1997)., onde proferiu várias palestras.

Há 30 anos, morria em Pernambuco, o jornalista Paulo Viana, que nasceu no dia 2 de agosto de 1922.

Há 25 anos, morria na França, o estilista Emilio Pucci, que nasceu no dia 20 de novembro de 1914.

Há 20 anos, morria em Pernambuco, a senhora Magdalena Freyre, que nasceu no dia 18 de julho de 1921.

Há cinco anos, morria em São Paulo, o jornalista Joelmir Betting, que nasceu no dia 21 de dezembro de 1936.

Há cinco anos, morria em Pernambuco, a executiva Clarissa Gonçalves de Lima, que nasceu no dia 30 de março de 1947.

Há cinco anos, morria em Pernambuco, o fotografo Aluísio Arruda, que nasceu no dia 11 de abril de 1950.

Há cinco anos, morria em Pernambuco, o arquiteto Zenildo Sena Caldas, que nasceu no dia 16 de abril de 1937.

Há um ano, morria na Colômbia, o jogador Cleber Santana, que nasceu no dia 27 de junho de 1981.

Há um ano, acontecia em Medelín, na Colômbia, a queda de um avião LaMia, trazendo a bordo a equipe do Chapecoense. Morreram 71 passageiros.

Parabéns, Maria Digna e Patrícia Pessoa de Queiroz!

Maria Digna Pessoa de Queiroz com as filhas Tereza e Patricia (Foto: Fernando Machado)

O Shopping da Decoração em Boa Viagem reuniu ontem à noite, parte do arco da sociedade pernambucana para o vernissage da mostra Do Tradicional ao Contemporâneo. São tapetes criados pelas tapeceiras Casa Caiada, dirigida por Maria Digna Pessoa de Queiroz e sua filha Patrícia.  As peças que são bordadas à mão, estão sendo vendidas na Maria Casa Decor. A mostra fica em cartaz até a próxima quarta-feira.

Maria Digna ao lado das tapeceiras Alcione, Mocinha, Lea e Maria Helena (Foto: Fernando Machado)

Anamaria Coelho, com a filha Ana Maria e a neta arquiteta Elisa Coelho (Foto: Fernando Machado)

A produção dos Tapetes Casa Caiada começou em 1966, numa pequena Casa Caiada, em Iputinga, sob a direção de Maria Digna Pessoa de Queiroz e a cunhada Edith Pessoa de Queiroz. Então o local se tornou o ponto de encontro das artesãs, por isso a inspiração do nome do tapete genuinamente brasileiro. Depois de algum tempo Edith deixou a sociedade e Maria Digna assumiu o seu comando com a ajuda das filhas.

Silvia Pessoa de Queiroz e a filha Maria Silvia (Foto: Fernando Machado)

Vandinha Coutinho e Demazinho Gomes (Foto: Fernando Machado)

Depois os Tapetes de Casa Caiadas se mudaram para Boa Viagem e agora está em Camaragibe, num prédio de mais de 200 anos que pertenceu ao empresário Antônio Carlos Menezes. O vernissage aconteceu no hall do Shopping da Decoração e para sua montagem Maria Digna e Patrícia convidaram o arquiteto Murilo Santiago.

Julieta Queiroz, Liliana Figueiredo e Paula Queiroz (Foto: Fernando Machado)

Sandra Brandão e Angela Vieira (Foto: Fernando Machado)

Os tapetes ficaram suspensos dando mais um toque de requinte. Também foram colocados, nas paredes, recortes de revistas e jornais que citavam a famosa grife. É por lembrar que 70% da produção é vendida para os Estados Unidos (Nova Iorque, Chicago e Dallas). O fundo musical, maravilhoso, foi com Lucio Azevedo no teclado e Clênio no sax.

Patricia Petribu, Patricia Pessoa de Queiroz e Lourdes Brennand (Foto: Fernando Machado)

Murilo Guimarães, Ricardo Pessoa de Queiroz e José Carlos Penna (Foto: Fernando Machado)

No set list jazz, blues, MPB e Bossa Nova. O bufê foi outro destaque. Preparado pela filha Teresa Pessoa de Queiroz, que reside em São Paulo, foi inspirado na gastronomia árabe. No cardápio Homus, bazergon, espetos de tomate com queijo e pasta de queijo. Tudo isso regado a vinhos tinto e branco.

Ricardo Pessoa de Queiroz à côté Maria Digna (Foto: Fernando Machado)