Fernando Machado

Blog

Tag universo

Anthony Clarinda é o Mister Universo de 2018

Kevin Montes entregando a faixa para Anthony Clarinda (Foto: Concurso)

Anthony Clarinda com a faixa e o troféu e ao lado de Roberto Flores (Foto: Concurso)

O Anfiteatro Puerto Plata, localizado em Santo Domingo, na Republica Dominicana, sexta-feira à noite estava lotado para assistir a escolha do Mister Universo de 2018 (Men Universe 2018). Mas, somente nas primeiras horas de sábado é que foi conhecido o vencedor. E pela primeira vez, em 11 anos, de realizações, um negro vencia o festival de beleza masculino. Estamos no referindo ao deus de ébano Anthony Clarinda, de Curaçao.

Jason Brj, Bradley Zee, Sebastian Gasañol, Anthony Clarinda, Jaime Betancourt e Samuele Carenzi (Foto: Concurso)

O Mister Universo de 2018 tem 1m98 de altura, nasceu no dia 24 de julho de 1998. Anthony é muito elegante e estiloso, só tem um defeito não sabe rir para os fotógrafos. Ao ser proclamado vitorioso não conseguiu esconder o entusiasmo e gritou de alegria e deve ter chorado. O cenário pobre e a transmissão péssima não dava para fazer uma boa reportagem. Participaram do evento 37 jovens, pois quatro desistiram.

O Top 12 em traje de gala (Foto: Concurso)

Depois de desfilarem de sunga com direito a rebolado e traje típico o diretor Roberto Flores anunciou o Top 12: Daniel Basualto (Chile), Anthony Clarinda (Curaçao), Bradley Zee (Holanda), Amit Mehra (Índia), Samuele Carenzi (Filipinas), Abraham Urdaneta (Ilha Margarita), Pétr Koulka (Republica Checa), Edisson Tineo (Republica Dominicana), Jason Brj (Tunisia), Rony Smolyaev (Ucrânia), Sebastian Gasañol  (Uruguai) e Jaime Betancourt (Venezuela).

A explosão de alegria de Anthony Clarinda sendo aplaudido pelo uruguaio (Foto: Concurso)

Então eles desfilaram de traje de noite e foram entrevistados. Então Roberto Flores chama o top 6: Sebastian Gasañol  (Uruguai), Anthony Clarinda (Curaçao), Jaime Betancourt (Venezuela), Samuele Carenzi (Filipinas), Jason Brj (Tunisia) e Bradley Zee (Holanda). Também tivemos a entrega dos seguintes prêmios: Melhor Traje Típíco Anthony Clarinda (Curaçao), o mais fotogênico Lalou Sitayeb (França), o mais elegante foi Abraham Urdaneta (Ilha Margarita), e o que melhor desfilou foi Jean Claude de Silva (Peru).

Mister Uruguai Sebastian Gasañol o melhor corpo (Foto: Concurso)

E finalmente foi divulgado o resultado final: em 6º lugar Bradley Zee (Holanda), em 5º Jason Brj (Tunisia), em 4º Samuele Carenzi (Filipinas), em 3º Jaime Betancourt (Venezuela), em 2º Sebastian Gasañol  (Uruguai) e em primeiro lugar Anthony Clarinda (Curaçao) que recebeu a faixa do Mister Universo de 2017, Kevin Montes. Senti falta de Leandro Tejeta da Argentina, Daniel Basualto do Chile, Antônio Pareja da Espanha, Evan Daniel Peix de Guadalupe, Christopher Murillo da Ilha de Coco, Amit Mehra da India, Riccardo Pagan da Italia e Jon Rive de Porto Rico. Depois farei um post sobre eles.

O mais fotogênico foi Mister França Lalou Sitayeb (Foto: Concurso)

O mais elegante foi Abraham Urdaneta, Mister Ilha Margarita (Foto: Concurso)

O traje típico mais bonito foi de Anthony Clarinda, Mister Curaçao (Foto: Concurso)

Quem será o Mister Universo de 2018

Os candidatos em tempo de bronze (Foto: Men Universe Model)

Hoje, às 21h, no Anfiteatro Puerto Plata, na Republica Dominicana, será escolhido entre 41 candidatos o Mister Universo de 2018, também chamado de Men Universe Model. O primeiro Men Universe Model foi Iván Cabrera da Espanha. O concurso foi criado em 2008 por Roberto Flores. O vencedor desta noite será coroado pelo Mister Universo de 2017, Kevi Montes, de Porto Rico.

Mister Chile Daniel Basualto e Mister El Salvador Endy Morffi querem vencer o Mister Universo (Fotos: Concurso)

Vão participar do concurso Leandro Tejeta (Argentina), Cristian Andrés Rojo (Bolivia), Antonyel Márquez (Basil), Daniel Basualto (Chile), Andrés Felipe Grajales (Colômbia), Fernando Ramirez (Costa Rica), Anthony Clarinda (Curaçao), Santiago Dillon Anda (Equador), Endy Morffi (El Salvador), Antônio Pareja (Espanha), Branden Cruz (Estados Unidos), Lalou Sitayeb (França), Samuele Carenzi (Filipinas), Antonin Irodia (Gibraltar), Sony Roset (Guadalupe).

Antonin Irodia de Gilbratar e Edisson Tineo da Republica Dominicana na passarela do Mister Universo (Fotos: Concurso)

Ainda Evan Daniel Peix (Guatemala), Bradley Zee (Holanda), Amit Mehra (Índia), Agung Wira Jaya (Indonésia), Christopher Murillo (Ilha do Coco), José Miguel Mancero (Ilha Galápagos), Abraham Urdaneta (Ilha Margarita), Camilo Sánchez (Ilha Soana), Riccardo Pagan (Itália), Sergio Herrera (México), Myin Myat Kyaw (Myanmar), Ram Chand Thakuri (Nepal), Fredd Bustamante (Nicarágua).

Sebastian Gasañol do Uruguai e Jaime Betancourt da Venezuela disputam o Mister Universo (Fotos: Concurso)

E finalmente Edwin Solis (Panamá), Daniel Ortiz (Paraguai), Jean Claude de Silva (Peru), Jon Rive (Porto Rico), Pétr Koulka (Republica Checa), Edisson Tineo (Republica Dominicana), Ignacio Eduardo (Salar de Uyuni), Manchana Tharaka (Sri Lanca), Jason Brj (Tunisia), Sezer Özdemir (Turquia), Rony Smolyaev (Ucrânia), Sebastian Gasañol  (Uruguai) e Jaime Betancourt (Venezuela).

Mister Guadalupe Sony Roset e Mister México Sérgio Herrera estão na guerra para o Mister Universo (Fotos: Concurso)

Luz Marina Zuluoga: Miss Universo de 1958

A foto oficial das candidatas ao Miss Universo de 1958 (Foto: Manchete)

Hoje, faz 60 anos, que Luz Marina Zuluoga, Miss Colômbia, era eleita no Long Beach Municipal Auditorium, na Califórnia, Miss Universo de 1958, que foi coroada pela Miss Universo de 1957, Gladys Zender. Participaram do concurso 35 candidatas. Eugenia María Valverde Guardia, Miss Costa Rica, foi desclassificada por ser de menor de idade. A Miss Holanda, Corine Rottschafer, ficou no Top 15 e foi eleita Miss Mundo de 1959. Uma observação importante tanto Luiz Marina como Adalgisa já faleceram.

O Top 15 (Foto: Manchete)

O Top 15 foi formado por Marlies Behrens (Alemanha), Adalgisa Colombo (Brasil), Raquela Urrutia(Chile), Luz Marina Zuluoga (Colômbia), Evy Norlund (Dinamarca), Eurlyne Howell (Estados Unidos), Marily Kalimopoulou (Grécia), Geri Hoo (Havai), Corine Rottschafer (Holanda), Miriam Hadar (Israel), Tomoko Moritake  (Japão), Beatriz Boluarte (Peru), Alicya Bobrowska (Polonia), Birgitta Gardman(Suécia) e Gertrud Gummels (Suriname).

Adalgisa Colombo, Geri Hoo, Luz Marina Zuluoga, Eurlyne Howell e Alicya Bobrowska (Foto: Divulgação)

Tomoko Moritake do Japão foi eleita Miss Simpatia, Corine Rottschafer da Holanda Miss Fotogenia e Astrid Lindholm da Austrália a Garota Popular. Finalmente, o apresentador Byron Palma, chamou o Top 5: em 5º lugar ficou Alicja Bobrowska da Polônia, em 4º lugar Eurlyne Howell dos Estados Unidos, em 3º lugar Geri Hoo do Havaí, em 2º lugar Adalgisa Colombo do Brasil e a vencedora foi Luz Marina Zuluagada Colômbia.

As cinco finalistas em dois momentos (Foto: O Cruzeiro)

A nova Miss Universo, Luz Marina Zuluaga (1938/2015) tinha 1m62 de altura, 52 kg de peso, 90cm de busto e quadris e 60cm de cintura. Era a primeira vez que seu país participava do concurso. Já a Miss Brasil, que ficou no segundo lugar, Adalgisa Colombo (1940/2013), repetia o feito de Maria Martha Hacker Rocha, em 1954, tinha 1m71 de altura, 62 kg de peso, 90cm de busto, 91cm de quadris e 62cm de cintura.

Luz Marina Zuluoga e Gladys Zender (Foto: O Cruzeiro)

Participaram do concurso Eleonor Moses (Alasca), Marlies Jung Behrens (Alemanha), Celina Mercedes Ayala (Argentina), Astrid Tanda Lindholm (Austrália), Liliane Taelmans (Bélgica), Adalgisa Colombo(Brasil), Eileen Cindy Conroy (Canadá), Raquela Molina Urrtia (Chile), Marion Willis (Cingapura), Luz Marina Zuluaga (Colômbia), Oh Geumsoon (Coreia do Sul), Arminia Pérez y Gonzalez (Cuba), Evy Vallejo Eljuri (Equador), Eurlyne Howell (Estados Unidos), Monique Boulinguez (França), Marily Kalimopoulou (Grécia).

Adalgisa Colombo e Luz Marina Zuluaga comemorando no céu (Foto: O Cruzeiro)

Ainda Maya Glinz (Guatemala), Clyo Fernandez (Guiana Inglesa), Geri Hoo (Havaí), Corine Rottschafer(Holanda), Angela Tong (Índias Ocidentais), Dorothy Hazeldine (Inglaterra), Miriam Hadar (Israel), Clara Copella (Itália), Tomoko Moritake (Japão), Elvira Leticia Risser (México), Greta Andersen (Noruega), Graciela Scorza Leguizamón (Paraguai), Beatriz Boluarte (Peru), Alicja Bobrowska (Polônia), Birgitta Elisabet Gardman (Suécia), Gertrud Gummels (Suriname), Irene Augustyniak (Uruguai) e Ida Margarita Pieri Pérez (Venezuela).

O tradicional desfile de carros na Pacific Ocean Drive, era sempre um sucesso (Foto: Divulgação)

Ieda Maria Vargas: Miss Universo de 1963

O dia 20 de julho de 1963 foi muito importante para os missologos brasileiros. Foi nesta data nos tirou aquele complexo de segundo lugar. Em 1954 Martha Rocha e em 1957, Terezinha Morango ficaram no segundo lugar no concurso, que acontecia em Long Beach, na Califórnia. Pois bem, há 55 anos Ieda Maria Vargas, Miss Rio Grande do Sul e posteriormente Miss Brasil, era eleita no Miami Beach Auditorium, na Flórida, a primeira Miss Universo brasileira.

Foto oficial de metade das concorrentes (Foto: O Cruzeiro)

Em 1930, tivemos no Brasil um concurso no Rio de Janeiro, chamado Desfile Internacional de Beleza, onde a vencedora foi outra gaucha Yolanda Pereira. Todavia ele não é reconhecido oficialmente pelo Miss Universe Organization. Em 1963 participaram do concurso 50 candidatas. A primeira novidade da competição foi a presença da Miss Okinawa, Reiko Uehara, que causou interesse da imprensa por ser uma representante à parte do Japão. Então ocupada pelos norte-americanos.

Foto oficial das demais concorrentes (Foto: O Cruzeiro)

Algumas misses de belezas diferentes tornaram-se as favoritas, como as misses Aino Korva (Dinamarca), Lalaine Bennett (Filipinas), Helga Ziesemer (Alemanha), Marlene McKeowan (Irlanda), e a brasileira Ieda Maria Vargas, de sorriso largo e figura perfeita, transformada na favorita número 1 da América do Sul. A Miss Inglaterra, Susan Pratt, foi atropelada por um carro nas vésperas do concurso, quebrando uma perna e não pode desfilar. Mesmo assim, foi apresentada ao público na noite da final, entrando no palco em cadeira de rodas.

O Top 15 e Ieda Maria Vargas com seu traje de gaúcha estilizada criação de Djalma Santos (Fotos: Divulgação)

O Top 15 foi composto por Ellen Leibenberg (África do Sul), Helga Ziesemer (Alemanha), Olga Galuzi(Argentina), Gertrude Bergner (Áustria), Ieda Maria Vargas (Brasil), Ellen Leibenberg (Coréia do Sul), Cristina Alvárez (Colômbia), Aino Korva (Dinamarca), Marite Ozers (Estados Unidos), Lalaine Bennett (Filipinas), Riita Hellevi (Finlandia), Monique Lemaire (França), Gianna Serra (Italia),  Marlene McKeowan (Irlanda) e Noriko Ando (Japão). O melhor traje típico foi de Sherine Ibrahim (Israel), a Miss Fotogenia foi Marlene McKeown  da Irlanda e a Miss Simpatia foi a escocesa Grace Taylor.

Dois momentos lindos. O primeiro Norma Nolan sendo apresentada ao Top 15 (Foto: Manchete)

E na comissão julgadora estavam Edilson Cid Varela (coordenador do Miss Brasil), os atores Cesare Danova e Peter Sellers, os jornalistas Earl Wilson e Kiyoshi Hara, e ilustrador Russell Patterson. Finalmente, o Mestre de Cerimônias Gene Rayburn,  anunciou as cinco finalistas, depois de desfiles trajes típicos, maiô Catalina e vestido de baile: Quinto lugar ficou Kim Myoungja (Coréia do Sul), quarto lugar Lalaine Bennett (Filipinas), terceiro lugar Marlene McKeown (Irlanda), segundo lugar Aino Korva (Dinamarca) e a grande vencedora foi a brasileira Ieda Maria Vargas.

Norma Nolan depois de ter coroado Ieda Maria Vargas e Gene Rayburn (Foto: Manchete)

Participaram do concurso: Ellen Leibenberg (África do Sul), Helga Ziesemer (Alemanha), Olga Galuzzi(Argentina), Gertrude Bergner (Áustria), Sandra Young (Bahamas), Irene Godin (Bélgica), Ana Maria Gutiérrez (Bolivia), Ieda Maria Vargas (Brasil), Jane Kmita (Canadá), Manel da Silva (Ceilão), Maria Cristina González (Colômbia), Kim Myoungia (Coreia do Sul), Sandra Chryssopulos (Costa Rica), Alicia Chia (Cuba livre), Philomena Zielinski (Curaçao), Aino Korva (Dinamarca).

Ieda Vargas ladeada por Marlene McKeowan, Aino Korva, Lalaine Bennett e Kim Myoungia (Foto: Divulgação)

Patricia Córdoba (Equador), Grace Taylor (Escócia), Maria Rosa Gómez (Espanha), Marite Ozers(Estados Unidos), Lalaine Bennert (Filipinas), Riita Kautianinen (Finlandia), Monique Lemaire (França), Despina Orgetta (Grecia), Gloria Flackman (Guiana Inglesa), Elsa Onstenk (Holanda), Marlene McKeown (Irlanda), Theodora Thordardóttir (Islândia), Sherine Ibrahim (Israel), Gianna Serra (Itália), June Bowman (Jamaica), Noriko Ando (Japão), Mia Dahm (Luxemburgo), Selma Rahal (Marrocos).

Ieda Maria Vargas no trono como Miss Universo de 1963 (Foto: O Cruzeiro)

Leda Sánchez (Nicarágua), Eva Carlberg (Noruega), Regina Scandroff (Nova Zelândia), Reiko Uehara(Okinawa), Maureen Thomas (País de Gales), Amélia Benitez (Paraguai), Dora Toledano Godier (Peru), Jeanette Blascocechea (Porto Rico), Carmen de Benito (República Dominicana), Kerstin Jonsson (Suécia), Diana Tanner (Suíça), Brigitta Hougen (Suriname), Jean Sotodart (Trindad), Guler Sumaray(Turquia), Graciela Pintos (Uruguai) e Irene Morales Machado (Venezuela).