Fernando Machado

Blog

Tag universo

Akiko Kojima: Miss Universo de 1959

Akiko Kojima sendo coroada por Luz Marina Zuluaga (Foto: Divulgação)

Há 58 anos em Long Beach Municipal Auditorium, na Califórnia, a japonesa Akiko Kojima era eleita Miss Universo 1959, que foi coroada pela Miss Universo de 1958, Luz Marina Zuluaga, da Colômbia. Participaram do concurso 34 candidatas e foi o último realizado em Long Beach. A nova sede passou ser Miami, na Florida. Apresentador Byron Palma.

Foto oficial das candidatas (Foto: O Cruzeiro)

A comissão julgadora foi composta por Maxwell Amow, Claude Berr, Ghislaine R. De Amador, Chritisne Fox, Palmi Ingvarsson, James H. Noguer, Vion Papamichalis, Joseph Ruttemberg, Vincent Trotta e Paul Wellmann. A Miss Simpatia foi Sodsai Venitwatana (Tailândia), a Miss Fotogenia foi Pamela Anne Searle (Inglaterra) e Garota Popular Oh Hyun Joo (Coréia do Sul).

Foto oficial das demais candidatas (Foto: O Cruzeiro)

O Top 15 foi formado por Carmela Künzel (Alemanha), Hélène Savigny (Bélgica), Olga Pumajero Korkor(Colômbia), Oh Hyunjoo (Coréia do Sul), Françoise St-Laurent (França), Zoidsa “Zoe” Kouroukli (Grécia), Sigridur Thorvaldsdóttir (Islândia), Rina Isaacov (Israel), Zuzanna Cembrowska (Polónia) e Marie-Louise Ekström (Suécia).

Vera, Terri, Akiko, Jorun e Pamela (Foto: O Cruzeiro)

E resultado final ficou assim: em 5º lugar Vera Regina Ribeiro do Brasil, em 4º lugar Pamela Anne Searle da Inglaterra, em 3º lugar ficou Terri Lynn Huntingdon dos Estados Unidos em 2º lugar ficou Jorunn Kristjansen da Noruega e a Miss Universo de 1959 foi Akiko Kojima do Japão, tinha de 22 anos, 1m68 de altura, 94cm de busto, 58,5cm de cintura e 96,5 de quadris.

O Top 15 (Foto: Getty Images)

Participaram do concurso Carmela Künzel (Alemanha), Liana Cortijo (Argentina), Christine Spatzier (Áustria), Hélène Savigny, (Bélgica), Than Than Aye (Birmânia), Corina Taborga (Bolívia), Vera Regina Ribeiro (Brasil), Eileen Butter (Canadá), Olga Pumajero Korkor, (Colômbia), Oh Hyun Joo (Coréia do Sul), Ziane Monturiel (Costa Rica), Irma Buesa Mas (Cuba).

Akiko Kojima de maiô e traje de noite (Foto: O Cruzeiro)

Ainda Lisa Stolberg (Dinamarca), Carlota Elena Ayala, (Equador), Terri Lynn Huntingdon (Estados Unidos), Françoise St-Laurent (França), Zoidsa “Zoe” Kouroukli (Grécia), Rogelia Cruz Martínez (Guatemala), Patricia Visser (Havai), Peggy Erwich, (Holanda), Pamela Anne Searle (Inglaterra), Sigridur Thorvaldsdóttir (Islândia).

Vera Ribeiro de maiô e vestido,  e Pamela Anne Searle de maiô (Foto: O Cruzeiro)

E finalmente Rina Isaacov (Israel), Maria Grazia Buccella (Itália), Akiko Kojima (Japão), Josée Pundel (Luxemburgo), Mirna García Dávila (México), Jorunn Kristjansen (Noruega), Guadalupe Mariátegui Hawkis (Peru), Zuzanna Cembrowska (Polónia),  Marie-Louise Ekström (Suécia), Sodsai Venitwatana (Tailândia), Ezel Olcay (Turquia) e Claudia Bernat (Uruguai).

Pamela Anne Searle de vestido, Terri Lynn Huntingdon de maiô e vestido (Foto: O Cruzeiro)

Maria Grazia Buccella da Itália de vestido; Jorunn Kristjansen de maiô e vestido (Foto: O Cruzeiro)

Miriam Steveson: Miss Universo de 1954

Foto oficial das candidatas (Foto: Manchete)

Amanhã fará 63 anos, que acontecia no Long Beach Municipal Auditorium, na Califórnia, o concurso de Miss Universo de 1954, com a participação de 33 candidatas. Tivemos um desfile, na Pacific Ocean Drive, das candidatas de maiô, num carrinho puxado por marinheiros. Era a primeira vez que o Brasil participava do concurso. A vencedora foi Miriam Stevenson (Miss Estados Unidos) e em segundo lugar Martha Rocha (Miss Brasil). A brasileira era considerada o mais bonito rosto do concurso, favorita absoluta entre os 200 jornalistas e fotógrafos que cobriam o evento.

Doze candidatas das 16 (Foto: O Cruzeiro)

O Top 16 (Foto: O Cruzeiro)

Elas empataram no primeiro lugar e o júri formado por nove membros decidiu que o corpo de Miriam (36-23-36) estava mais perfeito. Martha (36-23-38) tinha duas polegadas a mais nos quadris. Na época o Miss Estados Unidos acontecia paralelamente ao Miss Universo. A comissão foi formada pelas atrizes Julie Adams, Piper Laurie e Susan Ball, pelos artistas plásticos Alberto Varga, Milo Anderson e Vincent Trota, pelo escultor Yucca Salamunich, pelo maquiador Bud Westmore e pelo fotografo Tom Kelly.

As misses no palco em traje de noite. Martha Rocha é a segunda da esquerda para direita (Foto: Getty)

 

Apresentador Bob Russell apresentou as 16 semifinalistas. Regina Ernst (Alemanha), Ivana Kislinger (Argentina), Martha Rocha (Brasil), Gloria Mesina (Chile), Marian McKeown (Costa Rica), Miriam Stevenson (Estados Unidos), Blesilda Ocampo (Filipinas), Jacqueline Beer (França), Rika Diallina (Grécia), Virgínia Chün (Hong Kong), Maria Teresa Paliani (Itália), Mona Stornes (Noruega), Liliana Torre (Panamá), Isabella Velarde (Peru), Ragnhild Olausson (Suécia) e Ana Moreno (Uruguai).

Todas as candidatas em traje de noite no palco (Foto: Divulgação)

Efi Andoroulakakis (Grecia) foi eleita Miss Simpatia e Martha Rocha a Garota mais Popular do concurso. Efi ficou em segundo lugar no Miss Grécia e foi enviada ao Miss Universo, porque a vencedora Rika Diallina, teve problemas na imigração, que depois foi resolvido. E finalmente saiu o resultado em quinto lugar ficou Ragnhild Olausson (Suécia), em quarto lugar Regina Ernst (Alemanha), em terceiro lugar Virgínia Chün (Hong Kong), em segundo lugar Martha Rocha (Brasil) e em primeiro lugar Miriam Stevenson (Estados Unidos).

Virginia June Lee, Martha Rocha, Miriam Stevenson, Regina Ernst e Ragnhild Olausson (Foto: Divulgação)

Participaram do concurso Charlein Lander (Alasca), Regina Ernst (Alemanha), Ivana Kinslinger (Argentina), Shirley Bliss (Austrália), Christiane Neckaerts (Bélgica), Martha Rocha (Brasil), Joyce Landry (Canadá), Gloria Legisos (Chile), Marjorie Lee (Cingapura), Kae Sun-Hae (Coréia d Sul), Marian McKeown (Costa Ricar), Isis Garcia (Cuba), Myrna Ros Orozco (El Salvador), Miriam Stevenson (Estados Unidos), Blesilda Ocampo (Filipinas), Lenita Airisto (Finlândia), Jacqueline Beer (França).

Miriam Stevenson depois de coroada pela Miss U 53, Cristiane Martel (Foto: Cruzeiro)

Ainda Rika Dialina (Grécia), Liliam Padilha (Honduras), Virginia June Lee (Hong Kong), Evelyn Andrade (Indias Ocidentais), Aviva Peer (Israel), Maria Teresa Paliani (Itália), Mieko Kondo (Japão), Elvira Olvera (México), Mona Stornes (Noruega), Moananui Manley (Nova Zelandia), Liliana Torre (Panamá), Isabella Dancuart (Perú), Lucy Santiago (Porto Rico), Ragnhild Olausson (Suécia), Am-maa Atsavanon (Tailandia) e Ana Moreno (Uruguai).

Foto 7 – Os atores Jeff Chandler e Tony Curtis aproveitaram para beijar Martha Rocha (Foto: O Cruzeiro)

Informação importante: Miriam Stevenson tinha 36 polegadas de busto e de quadris e sua cintura 24 polegadas. Já Marta Rocha tinha 36 polegadas de busto, 38 polegadas de quadris e 23 polegadas de cintura. Foi o jornalista João Martins, da revista O Cruzeiro, quem criou a lenda das duas polegadas a mais. Então Pedro Caetano, Alcyr Pires Vermelho e Carlos Renato compuseram a marchinha carnavalesca, Duas Polegadas, gravada pela própria Martha Rocha. Ouça a musica e partes da vida da Brasileira do Século.  https://www.youtube.com/watch?v=Mr2MD4uxRL8

Martha Rocha na Pacific Ocean Drive sendo puxado por marinheiros (Fotos: O Cruzeiro)

Hillevi Rombin: Miss Universo 1955

Foto oficial das participantes do Miss Universo e Miss Estados Unidos (Foto: O Cruzeiro)

Faz 62 anos, hoje que acontecia no Long Beach Auditorium, na Califórnia, EUA, o Miss Universo de 1955, com a participação de 33 candidatas. Coube ao apresentador Bob Russell anunciar que Hillevi Rombin (1933/1996), da Suécia, como Miss Universo de 1955, que foi coroada pela Miss Universo de 1954, Miriam Stevenson. Pela primeira vez o concurso era transmitido pela televisão, mas apenas para alguns lugares dos Estados Unidos. A Miss Simpatia foi Maribel Gálvez de El Salvador e a Garota Popular Margaret Rowe da Inglaterra.

O Top 15 e Hillevi Rombin antes de ser eleita Miss Universo (Foto: O Cruzeiro)

A comissão Julgadora foi formada por Vincent Trotta (artista plástico), Milo Anderson (Costureiro), Robert Palmer (Universal), Earl Wilson (escritor), Samuel Heavenrich (artista plastico), Tom Kelly (fotografo), George Roney (escritor), Ginny Simms (cantora), Alberto Vargas (artista plástico), Roger Zeiler (promoter francês), Myrna Hanen (Miss Estados Unidos de 1953) e Oscar Weinhardt (promotor do Miss U).

O Top 15 de maiô diante do jurado, de frente e de costa (Foto: O Cruzeiro)

No Top 15 ficaram Margit Nünke (Alemanha), Hilda Sarli (Argentina), Nicole Meyer (Bélgica), Maria Emilia Correa Lima (Brasil), Cathy Diggles (Canadá), Maureen Hingert (Ceilão), Maribel Gálvez (El Salvador), Carlene Johnson (Estados Unidos), María del Rosario Molina (Guatemala), Keiko Takahashi (Japão), Pastora Pagán (Honduras), Margaret Rowe (Inglaterra), Solveig Borstad (Noruega), Hillevi Rombin (Suécia) e Carmen Zubillaga (Venezuela).

Margit, Maribel, Hivelli, Maureen e Keiko (Foto: O Cruzeiro)

A eleita foi Hillevi Rombin da Suécia, em segundo lugar Maribel Gálvez de El Salvador, em terceiro lugar Maureen Hingert do Ceilão, em quarto lugar Margit Nünke da Alemanha e em quinto lugar Keiko Takahashi do Japão. Hivellin, que faleceu em acidente aéreo na Califórnia, no dia 19 de junho de 1996. Também foram escolhidas Miss Simpatia Maribel Gálvez de El Salvador e a Garota Popular Margaret Rowe da Inglaterra.

Maria Emilia de baiana e de maiô Catalina (Fotos: O Cruzeiro)

 

Participaram do Miss Universo de 1955 Lorna McLeod (Alasca), Margit Nünke (Alemanha), Hilda Sarti (Argentina), Nicole de Meyer (Bélgica), Maria Emilia Correa Lima (Brasil), Cathy Diggles (Canadá), Maureen Hingert (Ceilão), Rosa Catala (Chile), Kim Mee-Chong (Coreia do Sul), Clemencia de Montins (Costa Rica), Gilda Marín (Cuba), Maribel Gálvez (El Salvador), Leonor Rodriguez (Equador), Carlene King Johnson (Estados Undios), Yvonne Berenguer (Filipinas).

Hillevi Rombin e Maria Emília Correa Lima (Foto: O Cruzeiro)

Ainda Claude Petit (França), Sonia Zoidou (Grécia), Maria del Rosário Molinas (Guatemala), Pastora Pagán (Honduras), Noreen Campbell (Indias Ocidentais), Margaret Rowe (Inglaterra), Ilana Carmel (Israel), Elena Fancera (Itália), Keiko Takahashi (Japão), Hanya Beydoun (Líbano), Yolanda Mayen (Mexico), Rosa Lacayo (Nicaragua), Carmen Betancourt (Porto Rico), Hillevi Rombin (Suécia), Inge Hoffman (Uruguai) e Carmen Zubillaga (Venezuela).

Miriam Stevenson coroando Hillevi Rombin e depois desfila com nova rainha da beleza (Fotos: O Cruzeiro)

Ieda Vargas: Miss Universo de 1963

O dia 20 de julho de 1963 foi muito importante para os missologos. Foi a data  nos tirou aquele complexo de segundo lugar. Em 1954 Martha Rocha e em 1957, Terezinha Morango ficaram no segundo lugar no concurso, que acontecia em Long Beach, na Califórnia. Pois bem, há 54 anos Ieda Maria Vargas, Miss Rio Grande do Sul e posteriormente Miss Brasil, era eleita no Miami Beach Auditorium, na Flórida, a primeira Miss Universo brasileira.

Foto oficial de metade das concorrentes (Foto: O Cruzeiro)

Em 1930, tivemos no Brasil um concurso no Rio de Janeiro, chamado Desfile Internacional de Beleza, onde a vencedora foi outra gaucha Yolanda Pereira. Todavia ele não é reconhecido oficialmente pelo Miss Universe Organization. Em 1963 participaram do concurso 50 candidatas. A primeira novidade da competição foi a presença da Miss Okinawa, Reiko Uehara, que causou interesse da imprensa por ser uma representante à parte do Japão. Então ocupada pelos norte-americanos.

Foto oficial das demais concorrentes (Foto: O Cruzeiro)

Algumas misses de belezas diferentes tornaram-se as favoritas, como as misses Aino Korva (Dinamarca), Lalaine Bennett (Filipinas), Helga Ziesemer (Alemanha), Marlene McKeowan (Irlanda), e a brasileira Ieda Maria Vargas, de sorriso largo e figura perfeita, transformada na favorita número 1 da América do Sul. A Miss Inglaterra, Susan Pratt, foi atropelada por um carro nas vésperas do concurso, quebrando uma perna e não pode desfilar. Mesmo assim, foi apresentada ao público na noite da final, entrando no palco em cadeira de rodas.

O Top 15 e Ieda Maria Vargas com seu traje de gaúcha estilizada (Fotos: Divulgação)

O Top 15 foi composto por Ellen Leibenberg (África do Sul), Helga Ziesemer (Alemanha), Olga Galuzi (Argentina), Gertrude Bergner (Áustria), Ieda Maria Vargas (Brasil), Ellen Leibenberg (Coréia do Sul), Cristina Alvárez (Colômbia), Aino Korva (Dinamarca), Marite Ozers (Estados Unidos), Lalaine Bennett (Filipinas), Riita Hellevi (Finlandia), Monique Lemaire (França), Gianna Serra (Italia), Marlene McKeowan (Irlanda) e Noriko Ando (Japão). O melhor traje típico foi de Sherine Ibrahim (Israel), a Miss Fotogenia foi Marlene McKeown  da Irlanda e a Miss Simpatia foi a escocesa Grace Taylor.

Dois momentos lindos. O primeiro Norma Nolan sendo apresentada ao Top 15 (Foto: Manchete)

E na comissão julgadora estavam Edilson Cid Varela (coordenador do Miss Brasil), os atores Cesare Danova e Peter Sellers, os jornalistas Earl Wilson e Kiyoshi Hara, e ilustrador Russell Patterson. Finalmente, o Mestre de Cerimônias Gene Rayburn,  anunciou as cinco finalistas, depois de desfiles trajes típicos, maiô Catalina e vestido de baile: Quinto lugar ficou Kim Myoungja (Coréia do Sul), quarto lugar Lalaine Bennett (Filipinas), terceiro lugar Marlene McKeown (Irlanda), segundo lugar Aino Korva (Dinamarca) e a grande vencedora foi a brasileira Ieda Maria Vargas.

Norma Nolan depois de ter coroado Ieda Maria Vargas e Gene Rayburn (Foto: Manchete)

Participaram do concurso: Ellen Leibenberg (África do Sul), Helga Ziesemer (Alemanha), Olga Galuzzi (Argentina), Gertrude Bergner (Áustria), Sandra Young (Bahamas), Irene Godin (Bélgica), Ana Maria Gutiérrez (Bolivia), Ieda Maria Vargas (Brasil), Jane Kmita (Canadá), Manel da Silva (Ceilão), Maria Cristina González (Colômbia), Kim Myoungia (Coreia do Sul), Sandra Chryssopulos (Costa Rica), Alicia Chia (Cuba livre), Philomena Zielinski (Curaçao), Aino Korva (Dinamarca).

Ieda Vargas ladeada por Marlene McKeowan, Aino Korva, Lalaine Bennett e Kim Myoungia (Foto: Divulgação)

Patricia Córdoba (Equador), Grace Taylor (Escócia), Maria Rosa Gómez (Espanha), Marite Ozers (Estados Unidos), Lalaine Bennert (Filipinas), Riita Kautianinen (Finlandia), Monique Lemaire (França), Despina Orgetta (Grecia), Gloria Flackman (Guiana Inglesa), Elsa Onstenk (Holanda), Marlene McKeown (Irlanda), Theodora Thordardóttir (Islândia), Sherine Ibrahim (Israel), Gianna Serra (Itália), June Bowman (Jamaica), Noriko Ando (Japão), Mia Dahm (Luxemburgo), Selma Rahal (Marrocos).

Ieda Maria Vargas no trono como Miss Universo de 1963 (Foto: O Cruzeiro)

Leda Sánchez (Nicarágua), Eva Carlberg (Noruega), Regina Scandroff (Nova Zelândia), Reiko Uehara (Okinawa), Maureen Thomas (País de Gales), Amélia Benitez (Paraguai), Dora Toledano Godier (Peru), Jeanette Blascocechea (Porto Rico), Carmen de Benito (República Dominicana), Kerstin Jonsson (Suécia), Diana Tanner (Suíça), Brigitta Hougen (Suriname), Jean Sotodart (Trindad), Guler Sumaray (Turquia), Graciela Pintos (Uruguai) e Irene Morales Machado (Venezuela).