Fernando Machado

Blog

Tag tristeza

Réquiem para Thais Notare Lemos

Uma nuvem de tristeza encobriu o blog  quando Angela Rocha Cartaxo comunicou que sua mãe, Thais Notare Lemos tinha falecido. Foi uma jornalista que marcou época  Ela ajudou a escrever os momentos mais encantadores das nossas festas. Agora Thais está batendo ponto no céu e quando encontrar seu afilhado e coiffeur Almir da Paixão, certamente vai dizer “Mica -era assim ela o chamava- estamos juntos novamente”.

Thais Notare Lemos em dois tempos, mas sempre linda (Fotos: Fernando Machado)

João Alberto e Thais ancoravam um programa sobre sociedade na TV Rádio Clube , chamado Top Set, e ela tinha uma coluna social no suplemento Diário de Pernambuco, aos domingos, chamada Vitrine. O Recife social glamoroso está triste. O velório será, hoje, a partir das 10 horas e o enterro, às 16h, no cemitério Memorial Guararapes, em Prazeres. Thais Notare Lemos, um nome que a história guardou.

Flashes

O percussionista Gilberto Bala e a violonista Fernanda Primo se apresentam hoje, às 19h, no projeto Gerações Musicais, na Arte Plural Galeria, localizado no Recife Antigo.

Os 161 anos da Santa Casa de Misericórdia, serão comemorados hoje, com missa na capela do Hospital de Santo Amaro, por Dom Fernando Saburido.

É com tristeza que informamos o falecimento da Radialista Alcinda Beltrão, ocorrido, segunda-feira, no Recife. Ela brilhou na era de ouro do nosso radio.

A inesquecível radialista Alcinda Beltrão (Foto: Face)

O general Carlos Duarte Pontual de Lemos passou o comando da 10ª Briagada de Infantaria Motorizada, ontem, para o general Alexandre Oliveira Cantanhede Lago.

O ortopedista José Leal Jr, do Hospital de Fraturas de Pernambuco, participou em Goiânia, Goiás do XVIII Congresso Brasileiro de Quadril.

O Instituto Dom Helder Câmara lança, hoje, às 19h, no Palácio dos Manguinhos, o livro O santo revelado – Fotobiografia Dom Helder Câmara.

Dona Lia: um nome que a história guardou

Uma nuvem de tristeza encobriu os amigos e a família da senhora Lia de Brito Alves, ontem, por conta da sua morte. Dona Lia, foi uma figura especial. Era uma grande dama, além de ser elegante e religiosa era filantropa. Têm pessoas que partem e a gente nem sente, mas outras, quando se vão, levam um pouco de nós.

Antônio de Brito Alves e dona Lia, em 1951 (Foto: Acervo da família)

Dona Lia faz parte desse segundo bloco. Era viúva do jurista Antonio de Brito Alves, mãe de José (conhecido por Manito) e de Marta. Deixou cinco netos e cinco bisnetos. No dia 9 de maio, Marta Freire comemorou o centenário de Dona Lia, com happy hour dos mais categorizados.

Com seu olhar voltado para os mais necessitados, atuou como voluntária do Banco da Providência e da Creche Menino Jesus. Depois, dedicou-se por cinco anos, de corpo e alma, ao Lar do Nenen. Foi dona Lia quem adquiriu a sede própria, da entidade, na Torre. Sem, dúvida um nome que a história guardou.

Réquiem para Marilene Silva

É com tristeza que comunicamos o falecimento, ontem em Macaé, no Rio de Janeiro, da cantora, atriz e advogada Marilene Silva. Um dos grandes nomes do nosso rádio, Marlene Pereira da Silva nasceu em Viçosa, Alagoas, em 7 de fevereiro de 1935. Começou cantando na Radio Difusora de Alagoas. Mocinha veio para o Recife e foi até a Radio Jornal do Commercio para fazer um teste. Foi aprovada e coube a Amarílio Nicéas mudar seu nome para Marilene Silva.

Marilene Silva, um nome que a historia guardou (Foto: Divulgação)

Começou como cantora e depois virou radioatriz. Quando a TV Jornal do Commercio foi inaugurada foi trabalhar no Canal 2. Atuou no programa Você Faz o Show de Fernando Castelão. Depois foi para a TV Rádio Clube, porque começou namorar Paulo Pessoa de Queiroz. Em 1970 trocou o Recife pelo Rio de Janeiro, onde concluiu seu curso de Direito, iniciado na Unicap. Em 1983, se casou com Paulo. Desde ontem que Marilene foi se encontrar com o amor de sua vida.

  • 1 2 9