Fernando Machado

Blog

Tag trajes

Vietnã vence o Miss Terra 2018

Ontem, no Mall of Asia Arena, Pasay, nas Filipinas, tivemos a escolha da Miss Terra de 2018. O concurso foi apresentado por James Deakin e contou com a participação de 90 candidatas. A vencedora foi Phương Khanh Nguyễn representante do Vietnã, que foi coroada pela Miss Terra de 2017, Karen Basco. As Filipinas venceram três vezes. O Equador e a Venezuela faturaram a coroa uma vez.

Karen Basco passando a coroa para Phương Khanh Nguyễn (Foto: Theody Lorilla)

Depois de desfilarem de trajes típicos, de trajes de banho e de longos foi anunciado o Top 18: Margaretha de Jong (Holanda), Antonia Cristal Figueroa (Chile), Denisse Andor (Romênia), Sayonara Veras (Brasil), Mio Tanaka (Japão), Telma Filipa Ramos Madeira (Portugal), Danijela Burjan (Eslovenia), Margo Fargo (África do Sul).

Todas a candidatas na abertura (Foto: Concurso)

E Sofia Pavan (Itália), Silvia Celeste Cortesi (Filipinas), Belvy Naa Teide Ofori (Gana), Valeria María Ayos Bossa (Colômbia), Phương Khanh Nguyễn (Vietnã), Katarina Šećković (Montenegro), Diana Carolina Silva Francisco (Venezuela), Melanie Mader (Áustria), Priya Sigdel (Nepal) e Melissa Flores Godínez (México).

Misses Terra, Ar, Água e Fogo (Foto: Theody Lorilla)

Na seqüência foi anunciado o Top 12: Melissa Flores Godínez (México), Diana Carolina Silva Francisco (Venezuela), Antonia Cristal Figueroa (Chile), Margaretha de Jong (Holanda), Valeria María Ayos Bossa (Colômbia), Sofia Pavan (Itália), Margo Fargo (África do Sul), Silvia Celeste Cortesi (Filipinas), Telma Filipa Ramos Madeira (Portugal), Melanie Mader (Áustria), Danijela Burjan (Eslovênia) e Phương Khanh Nguyễn (Vietnã).

O primeiro Top 9 (Foto: Concurso)

Depois tivemos as entrevistas e a divulgação do Top 8: Melanie Mader (Áustria), Valeria María Ayos Bossa (Colômbia), Silvia Celeste Cortesi (Filipinas), Sofia Pavan (Itália), Melissa Flores Godínez (México), Telma Filipa Ramos Madeira (Portugal), Diana Carolina Silva Francisco (Venezuela)  e Phương Khanh Nguyễn (Vietnã).

O segundo Top 9 (Foto: Concurso)

Classificação final: O mais bonito Traje Típico foi para Phương Khanh Nguyễn do Vietnã. A Miss Fogo coube à Melissa Flores Godínez do México. O vestido mais bonito foi para Danijela Burjan da Eslovênia. E mais belo corpo foi o de Telma Filipa Ramos Madeira de Portugal. Melanie Mader da Áustria foi eleita Miss Ar.  Valeria María Ayos Bossa da Colômbia foi escolhida como Miss Água , e vitoriosa foi Phương Khanh Nguyễn do Vietnã.

O Top 12 de maiô (Foto: Concurso)

Miss Grand International 2018

O concurso de Miss Grand International 2018 que será realizado no próximo dia 25, no The ONE Entertainment Park, em Rangun, Mianmar. Deverão participar do festival da beleza 78 candidatas. A peruana María José Lora, Miss Grand International de 2017, é quem vai coroar a vencedora.

María José Lora, Miss Grand International de 2017 (Foto: Concurso)

O primeiro Miss Grand Internacional aconteceu na Tailândia em 19 de novembro de 2013 e teve como vitoriosa Janelee Chaparro de Porto Rico. Em 2014, a vencedora foi Daryanne Lees de Cuba. Em 2015 venceu Claire Parker da Austrália. Em 2016 a vitoriosa foi Ariska Putri da Indonésia.

Os trajes típicos de Gabrielle Vilela e de Di Lika (Fotos: Concurso)

O Brasil este ano será representado por Gabrielle Vilela que disputou o concurso de Miss Mundo de 2017 e não figurou nem no Top 15. Na seleção do melhor traje típico venceu Miss Grand Cambodja, Di Lika. A Miss Argentina, Maria Julieta Weles, é linda e certamente ficará no Top 15.

Miss Argentina, María Julieta Weles (Foto: Concurso)

Esquinas do Mundo

Paran Pitijirankun da Tailandia (Foto: Drew Francisco)

No concurso de Mister International 2017, realizado, domingo, em Mianmar, o desfile de trajes típicos, pela vez eram realmente trajes típicos, e não alegorias, o top 5 foi: em 1º lugar, Paran Pitijirakun (Tailândia); em 2º Darasing Khurana (Índia), em 3º Trần Minh Trung (Vietnã), em 4º Elvis Murillo (Nicarágua) e em 5º Juan Manuel Herbert (Peru).

Darasing Khurana da India e Tran Minh Trung do Vietnã (Foto: Drew Francisco)

Quem não se lembra o Hotel Othon localizado na Avenida Boa Viagem. Pois bem, o grupo inaugurou, este ano, na Ilha do Leite, o Othon Suítes Recife Metropolis, sem nenhuma divulgação. São 17 andares com 84 apartamentos que visam atender todas as necessidades. O hotel fica na Rua Estado de Israel, 203. A Rede de Hotéis Othon, fundada por em 1943, no Rio de Janeiro, por Othon Lynch Bezerra de Mello.

Elvis Murillo da Nicaragua e Juan Manuel Herbert do Peru (Foto: Drew Francisco)

Margaretha: Miss Universo de 1966

As misses no palco durante a apresentação dos trajes típicos (Foto: Manchete)

Há 51 anos, foi acontecia o Miss Universo de 1966, no Miami Beach Auditorium, em Miami Beach, na Flórida, EUA. Participaram do concurso 58 candidatas. Algumas novidades, nas regras e nas tecnologias, aconteceram nesta edição. Pela primeira vez desde 1952, as 15 semifinalistas passaram a ser anunciadas ao vivo. Antes era feito no final das preliminares. A vencedora, Margaretha Arvidsson, foi coroada pela Miss Universo de 1965 Apasra Hongsakula.

Miss U-65, Apasra Hongsakula coroando Margaretha e depois coroada (Fotos: O Cruzeiro)

Ana Cristina Ridzi e Margaretha de maiôs e de Margaretha de traje típico (Fotos: O Cruzeiro)

A maior injustiça do concurso foi com a Miss Brasil, Ana Cristina Ridzi, não ter figurado no Top 15. Coisas de concursos de beleza. Quatro ex Misses Universo prestigiaram o concurso: Gladys Zender (1967), Akiko Kojima (1959), Marlene Schmidt (1961) e Kiriaki Tsopei (1964). O host, Jack Linkletter, depois dos desfiles das candidatas em trajes típicos, de maiô e de noite anunciou as 15 semifinalistas.

Jeeranun, Yasmin, Satu, Margaretha e Aviva (Foto: O Cruzeiro)

Aviva Israeli sendo entrevistada pelo host Jack Linkletter (Foto: O Cruzeiro)

Top 15 ficou Marion Heinrich (Alemanha), Edna Rudd (Colômbia), Gitte Fleinert (Dinamarca), Paquita Torres (Espanha), Maria Judith Remenyi (Estados Unidos), Maria Clarinda Garcês (Filipinas), Satu Östring (Finlandia), Margem Dome (Holanda), Yasmin Daji (India), Janice Whiteman (Inglaterra), Aviva Israeli (Israel), Siri Nilsson (Noruega), Madeleine Hartog (Peru), Margaretha Arvidsson (Suécia), Jeeranun Savettanun (Tailandia).

Gitte Fleiner, Ana Cristina Ridzi,  Katia Balafouta e Paquita Torres (Foto: Manchete)

O top 15 de maiô diante da comissão julgadora (Foto: O Cruzeiro)

O resultado final foi este: Margaretha Arvidsson (Suécia) como Miss Universo de 1966, em 2º lugar ficou Satu Östring (Finlândia), em 3º lugar ficou Jeeranun Savettanun (Tailândia), em 4º lugar ficou Yasmin Daji (Índia) e em 5º lugar Aviva Israeli (Israel).  Paquita Torres da Espanha foi escolhida Miss Simpatia; Margaretha Arvidsson da Suécia como Miss Fotogenia e o melhor traje típico foi para Aviva Israeli do Israel.

Margaretha de maiô e quando recebeu o troféu de Miss Fotogenia (Foto: Manchete)

Ana Cristina Ridzi na praia aproveitando o sol de Miami (Foto: O Cruzeiro)