Fernando Machado

Blog

Tag Santa

Parabéns

Hoje, 16, Dia de Santa Margarida Maria Alacoque, Mundial da Alimentação e do Anestesista, aniversariam as jornalistas Ana Lucia Lins e Divane Carvalho,

A executiva Luciana Pessoa de Queiroz Barreto (Foto: Face)

A bibliotecária Tânia Campello (Foto: Fernando Machado)

Parabéns

Hoje, 15, Dia de Santa Teresa de Ávila, da Normalista e do Professor, aniversariam a senhora Nizete Abdenor Mendonça, o fotografo Gleyson Ramos, o maestro Ademir Araujo, a executiva Maria Inês Pessoa dos Santos,

Padre Eduardo Tenório (Foto: Face)

O engenheiro Julien Vanegue (Foto: Face)

A executiva Gileusa Freitas (Foto: Fernando Machado)

Viva Santa Dulce dos Pobres!

Hoje é um dia muito especial para os católicos brasileiros, pois a Irmã Dulce será canonizada na Praça de São Pedro, no Vaticano, às 10h. Irmã Dulce é a primeira santa nascida no Brasil. Escolhi cinco nomes para falar sobre nossa primeira santa. E sabe quem estará entre os concelebrantes da Missa presidida pelo Papa Francisco, hoje? O nosso querido Padre Cosmo Francisco. A primeira Missa em honra a Santa acontecerá amanhã, também às 10h, na Igreja de Santo Antonio dos Portugueses, em Roma.

Santa Dulce dos Pobres (Foto: Divulgação)

Padre Cosmo Francisco frisa: Assim disse a Santa Quem espalha amor não tem tempo de jogar pedras.  O reconhecimento de Santa de uma mulher que sempre mostrou à família e a todos que precisavam dela que sua missão na terra era estar perto daqueles que necessitavam de ajuda. Principalmente os enfermos e mais pobres. Uma pessoa totalmente guiada pela fé, e que agora terá o titulo de Santa.

Padre Cosmo Francisco (Foto: Instagram)

Padre Hewerton di Castro: Os santos são pessoas que viveram neste mundo e que por livre escolha decidiram servir a Deus, na proposta radical do Evangelho do Cristo. Quando a Igreja reconhece  alguém com as virtudes sinais e milagres eleva aos altares…  estamos festejando a alegria de termos uma santa Brasileira, brasileira na Bahia reconhecida e aclamada por todos como santa a tanto tempo, felizes e fortalecidos na fé nos sentimos também nós, impulsionados a trilharmos o mesmo exemplo!

Padre Hewerton di Castro (Foto: Fernando Machado)

Miss Bahia, Brasil e Universo de 1968, Martha Vasconcellos: Tudo já foi dito sobre Santa Dulce dos Pobres. O que talvez pudesse acrescentar é o relato que escutei na missa pós morte de Doutor Norberto Odebrecht. O celebrante relatou que certa vez, Irmã Dulce teria ido pedir dinheiro ao empresário que ficou a aconselhá-la como gerenciar sua Obra de maneira sustentável. A freira tapou um dos ouvidos com a mão. O empresário se aborreceu e perguntou se ela não queria escutar os seus conselhos, ao que ela respondeu que sim, que estava apenas tampando um ouvido, para que os conselhos não saíssem pelo outro, mas para que ficassem arquivados: essa história de “entrar por um ouvido e sair pelo outro,” ela não estava querendo!

A bela baiana Martha Vasconcellos (Foto: Fernando Machado)

A socialite Mary Queiroz: Irmã Dulce. Quanto amor nesta pequena, frágil e doente religiosa baiana, condições quase impossíveis para a grandeza das suas realizações. Acho que este foi seu primeiro milagre. Santa Irmã Dulce, que agora está junto a Jesus e nossa Mãe Aparecida roga pelo nosso povo sofrido neste dia tão especial para nosso país. Amém!!!

A socialite Mary Queiroz (Foto: Fernando Machado)

A executiva Sheila Wanderley: “Minha amorosa, bondosa, piedosa e doce Dulce. Hoje, agora e sempre Santa Dulce dos Pobres. Sempre acreditei em vós! Sempre senti no meu coração a força do seu amor. Aquele amor poderoso que tudo transforma! Conhecemos em vós o amor mais lindo, aquele  que oferecestes a quem mais precisava, os mais humildes que nada tinham a oferecer. Sóis feita dessa pura essência de amor! O amor pleno que Jesus nos ensinou! É esse amor que me faz ser tão feliz e tão grata por tudo que sou, por todos aqueles que me cercam. Antes de sua canonização, já posso dizer que fiz um pedido e minha graça foi alcançada. Muito obrigada minha doce Santa Dulce. Serei sempre um soldado do seu exercito de bondade! Que meu coração sempre esteja conectado ao seu. Assim, nele só terá espaço para o amor! Abençoe a todos nós! Abençoe nosso Brasil! Amém!”

A executiva Sheila Wanderley (Foto: Fernando Machado)

A executiva Misa Lilioso explica como a Santa Irmã Dulce dos Pobres, chegou a nossa casa. Minha irmã Valdecira Lilioso (Cira) é médica. Algumas décadas atrás, ela era Coordenadora de Residência médica do Norte e Nordeste e Visitadora nacional, a fim de saber se o Hospital atendia ou não as exigências do programa nacional de Residência médica/MEC. O Hospital Santo Antônio, da Irmã Dulce, estava um caos, mas, minha irmã sugeriu a Comissão Nacional, fazer umas exigências a fim de adaptá-lo ao programa nacional e não o seu descredenciamento. A partir daí, começou a luta organizacional, com a chegada da Maria Rita, sobrinha da Irmã Dulce, para administrar o órgão, tudo melhorou. Por conta disso Irmã Dulce, criou um elo afetivo muito grande com Cira. Em uma das últimas visitas a Irmã Dulce, Cira, estava exausta e com uma forte dor de cabeça, então ela presenteou Cira uma touquinha, para que ela colocasse em sua cabeça, a fim de aliviar a dor, já havia prenúncios de santidade… e hoje, a nossa casa é sacrário de uma preciosa relíquia da Santa Irmã Dulce.

A executiva Misa Lilioso (Foto: Fernando Machado)

Santa Dulce dos Pobres II

O seminarista Davi Melo escreveu sobre a Santa Dulce dos Pobres: “Hoje, 13 de outubro, o Papa Francisco canonizou a primeira santa genuinamente brasileira, a Ir. Dulce, conhecida como o Anjo bom da Bahia, ou, simplesmente, Dulce dos pobres. Desde pequena, apesar das dificuldades na infância, – como, por exemplo, a perda de sua mãe quando tinha 7 anos de idade – sempre tivera uma sensibilidade com os mais necessitados. Era mais do que um mero assistencialismo. Via neles o próprio Cristo que dissera “Tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber… tive doente e fostes me visitar”. Acolhia muitos doentes e famintos em sua residência.

Merecidamente Irmã Dulce virou Santa (Foto: Divulgação)

Essa preocupação com os demais despertou nela a vocação à vida religiosa, entrando no convento aos 18 anos. Cada santo tem a sua peculiaridade. Mas podemos dizer que a Ir. Dulce foi uma espécie de Madre Tereza brasileira. As suas obras foram reconhecidas, ainda em vida, por toda a Bahia. O hospital criado, que nasceu desse cuidado com os mais necessitados, atende hoje atualmente mais de 4 milhões de pessoas anualmente.”Quando nenhum hospital quiser aceitar algum paciente, nós aceitaremos. – dizia a Ir. Dulce – Esta é a última porta e por isso eu não posso fechá-la”. Por duas vezes estivera com o Papa João Paulo II. Quem diria que os dois estariam nos altares? Os planos de Deus são insondáveis… Morreu como viveu: santamente. A fama de santidade acelerou o processo, sendo a terceira santa mais rápida a ser canonizada na história recente da Igreja.

O seminarista Davi Melo (Foto: Face)

Na Bahia, foi convocada uma semana oficial de ação de graças para festejar o seu Anjo Bom. Personalidades e cantores baianos foram a Roma para participar do evento. Outras, como Ivete Sangalo, gravaram músicas em homenagem à santa baiana. Em tempos de demagogia e polarização política, a Santa Dulce dos pobres ensina-nos que o verdadeiro amor aos mais necessitados é profundamente evangélico e não um palco para promoção eleitoral. Santa Dulce, rogai por nós!”