Fernando Machado

Blog

Tag produção

Paixão de Cristo de Nova Jerusalém

Termina hoje a temporada 2019 da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém realizada em Brejo da Madre de Deus. Segundo a produção a média diária de público tem sido de 6 mil pessoas. O maior número de pessoas foi registrado na estreia, quando cerca de 10 mil pessoas estiveram presentes à cidade teatro.  A maioria do público vem do Nordeste, com destaque para Pernambuco e estados vizinhos.

Carlos Reis, Juliano Cazarré e Lúcio Lombardi (Foto: Bruno Lopes)

De acordo com a pesquisa de realizada com o público, cerca de 74% dos pesquisados consideram o espetáculo ótimo ou bom e o restante não opinou. Além disso, cerca de 50% do público já assistiu a Paixão pelo menos uma vez. Ao longo dos seus mais de 50 anos de história, a Paixão de Cristo já registra um público acumulado de aproximadamente 4 milhões de expectadores.

Um sucesso o vernissage de Joana Lira

Joana entre os pais Carlos Augusto Lira e Bete Paes (Foto: Josivan Rodrigues)

A artista plástica e designer Joana Lira aterrissou terça-feira, no Centro Cultural Cais do Sertão, com a exposição Quando a Vida é uma Euforia, com a curadoria de Mamé Shimabukuro e com produção de Carla Valença, da Relicário, em ritmo de carnaval. Essa mostra foi apresentada no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo com o maior sucesso. Joana Lira recebia os convidados, em grande noite, num modelo vermelho da Avesso, leia-se Cris Pontual.

O secretário de Turismo Rodrigo Novaes (Foto: Fernando Machado)

A colunista social Roberta Jungmann (Foto: Fernando Machado)

Sem dúvida um revival dos carnavais do Recife entre 2001 e 2011. No térreo vários totens de figuras carnavalescas criadas por ela para o tríduo momesco daqueles anos. As cores fortes e os traços criativos misturaram a tradição com o moderno. Também tivemos na entrada a apresentação do afoxé Omô Nilê Ogunjá. Sem dúvida um verdadeiro auê. A exposição gratuita Quando a vida é uma euforia, fica em cartaz no Centro Cais do Sertão, no Recife Antigo, até o dia 17 de março.

O competente jornalista Phelipe Rodrigues (Foto: Fernando Machado)

A bonita executiva Roseana Gonçalves (Foto: Fernando Machado)

A exposição continuava no segundo andar do Centro Cultural Cais do Sertão, na Sala São Francisco e no Espaço Umbuzeiro. E quem quisesse chegar até lá, passava por uma cortina de fitas metálicas coloridas, até alcançar o elevador. O efeito ficou deslumbrante. Nos dois salões do segundo andar, estavam expostas obras feitas para reverenciar os homenageados do carnaval durante os dez anos: Ariano Suassuna, Lula Cardoso Ayres, Abelardo da Hora, Cícero Dias, Vicente do Rego Monteiro e Tereza Costa Rêgo.

A senhora Gracinha Pereira Gomes (Foto: Fernando Machado)

O jovem tricolor Pedro Caldas também prestigiou Joana (Foto: Fernando Machado)

Materiais audiovisuais, incluindo um documentário, deram o tom multimídia na mostra. As crianças que foram curtiram muito os tambores espalhados no salão. Hoje, das 16h às 18h, no Espaço Umbuzeiro acontece uma experiência sonora com Maurício Badé: diretor musical da exposição, o músico, percussionista, estudioso da música negra brasileira convida o público para uma troca sobre o leque sonoro da mostra. Tivemos também um coquetel com petiscos do Seu Boteco acompanhados da cerveja Ekaut.

 

Fatos Diversos

O GAC-PE realiza nos dias 8 e 9 de dezembro seu Bazar Solidário no Marco Pernambucano da Moda. A organização está contando com a participação de influenciadores digitais pernambucanos do segmento de moda. A renda será destinada para a entidade. Informações pelos telefones (81) 3423.7633, 3423.7636, 3423.7833.

A produção cênica de Pernambuco obteve três conquistas nacionais. O espetáculo Um minuto para dizer que te amo, dirigido por Rudimar Constâncio e que aborda o Mal de Alzheimer, ganhou o Prêmio Cenym de melhor elenco, maquiagem e visagismo e trilha sonora.

Dira Paes é Pureza

Pureza é um longa-metragem inspirado em fatos reais. O filme narra a história de uma mãe que procura por seu filho desaparecido e o encontra numa rede de fazendas praticando o trabalho escravo no interior da Amazônia. Ela se emprega numa dessas fazendas onde testemunha o tratamento brutal de trabalhadores rurais e o desmatamento florestal, mas consegue escapar e denuncia os fatos às autoridades Federais.

Dira Paes conversando com Renato Barbieri (Foto: Magno Barros)

O longa Pureza está sendo rodado em Marabá, com Dira Paes, que vive a protagonista que dá nome ao filme; Flávio Bauraqui, que interpreta o capataz Narciso; e Matheus Abreu que faz Abel, o filho de Pureza. Mariana Nunes, Claudio Barros e Sergio Sartório completam o elenco. O roteiro é de Renato Barbieri e de Marcus Ligocki Jr., que também assina a produção executiva ao lado de Affonso Beato e Paulo Morelli. O filme é produzido pela Gaya Filmes e Ligocki Entretenimento.

  • 1 2 6