Fernando Machado

Blog

Tag Filhos

Hoje tem o Mister Ceará CNB 2019

Os 12 candidatos de sunga (Foto: Lucas Alves)

Os candidatos durante seresta (Foto: Lucas Alves)

Hoje, às 19h, no Teatro Dragão do Mar, será eleito o Mister Ceará CNB de 2019. Vão participar do concurso 12 candidatos e entre os participantes vamos ter um deficiente físico e um vegano. Os candidatos podem ser casados e ter filhos. Os apresentadores do Mister Ceará CNB são Innesa Pontes e Yasmin Martins. O vencedor receberá a faixa do Mister Ceará de 2018, Anthonio Maia. A coordenação é de Yuri Borges.

Ygor Lobo, Lucas Limas, Gabriel Amorim e Tiago Ferreira (Foto: Lucas Alves)

Rafael Sampaio, Hendson Baltazar, Rodolpho Guedes e Lucas Vieira (Foto: Lucas Alves)

Os candidatos são Tiago Ferreira (Aldeota), Gabriel Amorim (Aracoiaba), Lucas Lima (Canoa Quebrada), Ygor Lobo (Fortaleza), Lucas Vieira (Iguatu), Rodolpho Guedes (Limoeiro do Norte), Hendson Baltazar (Maracanaú), Rafael Sampaio (Maranguape), Glaudenio Vidal (Morada Nova), Leo Breno (Pacajus), Rodrigo Silva (Quixadá), Pedro Victor Nunes (Quixeramobim) e Junior Almeida (São Miguel).

Junior Almeida, Pedro Victor, Rodrigo Silva e Glaudenio Vidal (Foto: Lucas Alves)

 

 

As bodas de Diamante de Marlene e Carlos Antônio

Marlene, padre Caetano e Carlos Antônio (Foto: Fernando Machado)

Marlene by Printing e Carlos Antônio Domingues da Silva by Ricardo Almeida festejaram suas bodas de diamante de casamento com uma missa de ação de graças, na Igreja de Nossa Senhora da Piedade, na Rua do Lima. A cerimônia simples, mas muito bonita foi presidida pelo padre Caetano Pereira Pereira. A igreja foi inaugurada em 4 de setembro de 1905 e a partir de 13 de fevereiro de 1912, teve como primeiro vigário, o Padre Manoel da Silva Ferreira.

Carlos Antônio e Marlene (Foto: Fernando Machado)

Claudia by Reynaldo Lourenço e Mauro Alencar by Giorgio Armani (Foto: Fernando Machado)

Primeiro tivemos o cortejo com os filhos, genro, noras, netos e bisneto, tendo como fundo musical Jesus Alegria dos Homens de Bach. E depois entrou o casal ao som de Primavera das Quatro Estações de Vivaldi. O ministério musical, excelente, foi Maestro Ricardo Farias. A primeira e a segunda leitura foram lidas pelo filho Carlos Antônio e pela neta Beatriz respectivamente.

Carlinhos e Renata Domingues (Foto: Fernando Machado)

Flávio Domingues com a filha Helena e o futuro genro Guilherme Menezes (Foto: Fernando Machado)

A homilia do Padre Caetano foi muito bonita e com recheio de descontração. Marlene e Carlos Antônio saíram do templo, com destino ao Armazém Blu’Nelle, onde teve a recepção, ao som da Pequena Serenata Noturna de Mozart. O cerimonial foi da Trevo de Josie Campello. Por sinal muito competente. A Blu’Nelle teve uma decoração da realizada pela Kato. A animação ficou com conta do DJ Magal.

Taciano e Beth Domingues (Foto: Fernando Machado)

Claudia Alencar, Miriam e Edyr Azevedo de Melo com Marlene Domingues (Foto: Fernando Machado)

O cardápio foi grifado pelo chef Wellington Correia e constou de lichia com creme de framboesa n acama de amêndoas, mini cuscuz paulista com camarão, folhadinho Philadelphia, mini quiche de cordeiro com geleira de menta, triangulo folhado de bacalhau com oliva negra, cone de queijos finos com geleia de pimenta, cestinha de gruyere ao perfume de canela, ninho de filé com alho poro e mostarda Dijon.

Célia Gomes e Ângela Souza (Foto: Fernando Machado)

Fabiana e Ricardo Melo (Foto: Fernando Machado)

Ainda camarão crocante ao molho de rapadura, rolhinho de pato com molho de damasco, musseline de bacalhau com alho poó, gratinado com granna padano, mini creme de siri com farofinha dedendê, salada de legumes grelhados, ravióli de queijos fino com comporá de figo e lâminas de amêndoas, na manteiga de manjericão, filé fatiado ao molho demiglace com trilogia de cogumelos e mini peras ao vinho.

Jacione e Francisco Assis (Foto: Fernando Machado)

Francisco Assis Filho e Marlene Domingues (Foto: Fernando Machado)

Também leques de abacaxi e cebolas holandesas ao caramelo, arroz com frutas secas, mil folhas de batatas com ervas de Provence, arroz de limão siciliano com alho poro. A frente do serviço impecável da Bru’Nelle estava os gerentes Eugenio Raimundo e Robson Pontes. Marlene e Carlos Antônio depois de ouvirem os tradicionais parabéns para você cantados por um coral de cerca de 100 vozes cortaram o bolo grifado por Mana Asfora.

Carmita e Etério Galvão (Foto: Fernando Machado)

Débora Andrade e Julianne Farias (Foto: Fernando Machado)

O carnaval inesquecível de Roberto Macedo

Todos os meus carnavais são inesquecíveis, pois nasci numa terça-feira da folia e amo me divertir nessa época. Salvador é uma cidade muito festeira. Durante todo o verão é como se houvesse um eterno Carnaval. Festas todos os dias. Haja fôlego. Gosto sempre de rever as fotos, e aí me lembro dos momentos, tornando-os inesquecíveis.

Roberto no desfile dos Filhos de Gandhy (Foto: Instagram)

Mas, vou destacar um ano em especial: Era 2011 e o domingo era meu aniversário, 6 de março, dia que nem sempre cai na folia. Mas quis marcar 2011 saindo em vários blocos, indo a festas e marcando a minha estreia num dos mais tradicionais da Bahia: Filhos de Gandhy.

No esquente para enfrentar os Filhos de Gandhy (Foto: Instagram)

Foi inesquecível. Quando o desfile começou e todos cantavam Ajeumbó, desabei a chorar. Era emoção demais. Felicidade que se repetiu nos dois dias seguintes de desfiles do bloco. E, desde então, sempre que posso, tenho saído no Gandhy. O jornalista e missologo baiano Roberto Macedo.

Joana: Se Essa Marcha fosse Minha

Em qualquer parte do mundo, quando tocam os acordes da Marcha nº 1 de Vassourinhas, (Pamranranranranran!!!) é difícil alguém ficar parado ou não se lembrar de Pernambuco. Mas pouca gente sabe quem são os autores dessa música, considerada o hino do Carnaval de Pernambuco e o segundo hino do estado. Os livros contam que a música foi composta em 6 de janeiro de 1909, no subúrbio de Porto da Madeira, nos arredores de Beberibe, Cajueiro e Peixinhos.

O esquecido compositor Matias da Rocha (Foto: Divulgação)

Seus compositores são Matias da Rocha e Joana Batista que venderam os direitos autorais da música para o Clube Vassourinhas. Isso é quase tudo que se sabe. Sabe-se que ele foi um dos fundadores do Clube, tocava violão, era compositor. Joana era doméstica, teve três filhos com Amaro Vieira Ramos e morreu aos 74 anos (1952). A relação que tinha com Matias da Rocha não ficou definida. O certo é que eles nunca foram homenageados no Carnaval do Recife.

Joana Batista a parceira de Matias (Foto: Divulgação)

A produtora Tactiana Braga, da B52 Desenvolvimento Cultural, está trabalhando na pesquisa sobre essa história, que será contada num documentário e está em busca de algum parente da dupla de compositores. “Como eles venderam os direitos da música para o Clube, a única pista que poderíamos seguir, se perde. Imaginamos que os possíveis herdeiros tenham se distanciado do ambiente carnavalesco. Talvez até nem saibam da importância dos seus antepassados para a música pernambucana, brasileira até”, arrisca Tactiana.

 

A equipe do documentário sobre Joana Batista (Foto: Divulgação)

A produção do documentário Joana Se Essa Marcha Fosse Minha – idealizada pelo jornalista Camerino Neto e que conta com pesquisa da também jornalista, Maíra Brandão – está fazendo uma campanha nas redes sociais para tentar descobrir esses parentes. Imagina-se que os filhos e netos dos dois estejam em algum lugar de Pernambuco. Se você conhece alguém que seja descendente de Matias da Rocha ou de Joana Batista Ramos e Amaro Vieira Ramos pode entrar em contato pelo email joanaeamarcha@gmail.com, ou nas redes sociais, pelo facebook e instagram /joanaeamarcha.

  • 1 2 9