Jarbas, Impeachment e Concessões

Para o deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB), o julgamento do impeachment da presidente Dilma, iniciado ontem no Senado Federal, é um processo irreversível. “Estou otimista. Não tenho dúvidas que ela vai ser definitivamente afastada e Temer terá a sua permanência no cargo efetivada. E o ideal era o desfecho disso ainda em agosto para começarmos setembro livre desse processo”, afirma. Segundo ele, Dilma não reúne mais nenhuma condição de retomar a presidência. “Ela continua no mundo da lua.

“Ela se faz de vítima como se não tivesse nenhuma responsabilidade sobre as pedaladas e os escândalos ocorridos em seu governo”. Na avaliação do parlamentar, todo o processo de afastamento da presidente foi duro, conturbado, mas necessário para que o País possa ter as condições necessárias para sair da crise política, econômica e social por qual passa atualmente. Para Jarbas, as reformas da previdência e a política devem ser encaradas como prioridade pelo Governo Federal.

E se o tempo curto for um fator limitador para ações futuras, pelo menos dois pontos da reforma política devem ganhar urgência; a proibição de coligações proporcionais nas eleições legislativas e cláusula de desempenho. “É público e notório que Temer fez concessões nos últimos meses. Porém essas concessões terão que ser encerradas terminando essa questão da interinidade dele. Só assim poderemos viver um novo momento”, concluiu Jarbas Vasconcelos.