Fernando Machado

Blog

Tag comunismo

Não Podemos Esquecê-los (VI)

Em Memória dos que foram assassinados pelo Brasil Livre do Comunismo lembramos, hoje, aqueles de 1972: Da Policia Militar o sargento Tomaz Paulino de Almeida e Rozendo, os cabos Sylas Bispo Feche, Luzimar Machado de Oliveira e Benedito Monteiro da Silva; do Exercito o coronel Aníbal Figueiredo de Albuquerque, o sargento Mário Abraim da Silva e o cabo Odilio Cruz Rosa.

O cabo Odilio Cruz Rosa (Foto: Divulgação)

Também o marinheiro inglês David A. Cuthberg, o estudante Eizo Ito; o segurança Manoel dos Santos; o mateiro João Pereira, o detetive de Polícia Civil Mário Domingos Panzarielo; o bancário Sílvio Nunes Alves; os civis Luiz Honório Correia, Severino Fernandes da Silva, José Inocêncio Barreto, Iris do Amaral e Napoleão Felipe Bertolane Biscaldi.

Não Podemos esquecê-los (V)

Em Memória dos que foram assassinados pelo Brasil Livre do Comunismo lembramos, hoje, aqueles de 1971: os soldados PM Américo Cassiolato, Djalma Peluci Batista, Manoel da Silva Neto e Eduardo Timóteo Filho; o major do Exército José Julio Toja Martinez; o tenente da Aeronáutica Mateus Levino dos Santos; o suboficial da reserva da Marinha José do Amaral; os cabos PM João Campos e Nelson Martinez Ponce.

O major do Exército José Julio Toja Martinez (Foto: Divulgação)

Ainda o artesão Adilson Sampaio, a empregada domestica Maria Alice Matos, os civis Antônio Lisboa Ceres de Oliveira, Alberto da Silva Machado e Jaime Pereira da Silva; o comerciário Fernando Pereira; os seguranças Jayme Cardenio Dolce, Silvâno Amâncio dos Santos, Demerval Ferreira dos Santos, José Amaral Vilela e Hélio Ferreira de Moura; o taxista Gentil Procópio de Melo e o adolescente de 14 anos Marcelo Costa Tavares.

Não Podemos esquecê-los

Em Memória dos que foram assassinados pelo Brasil Livre do Comunismo lembramos, hoje, aqueles de 1970: o tenente da PM Alberto Mendes Junior, o sargento da Aeronáutica Walder Xavier de Lima, os sargentos PM José Geraldo Alves Cursino e Antônio Aparecido Posso Nogueró, os soldados PM Newton de Oliveira Nascimento, Célio Tonelly, Garibaldo de Queiroz e José Aleixo Nunes.

O tenente da PMSP Alberto Mendes Junior foi assassinado pelo grupo terrorista de Carlos Lamarca (Foto: Divulgação)

Além dos seguranças Joaquim Melo e João Batista de Souza, os agentes da PF Irlando de Moura Régis e Hélio de Carvalho Araújo, os seguranças Isidoro Zamboldi, Vagner Lúcio Vitorino da Silva e Bertolino Ferreira da Silva, o comerciante José Armando Rodrigues e o civil José Marques do Nascimento.

Não Podemos esquecê-los

Em Memória dos que foram assassinados pelo Brasil Livre do Comunismo lembramos, hoje, aqueles de 1969: os soldados Naul José Montovani, Guido Boné, Natalino Amaro Teixeira, Aparecido dos Santos Oliveira, Mauro Celso Rodrigues, João Guilherme de Brito, Abelardo Rosa Lima, Romildo Ottenio e Elias dos Santos; o subtenente PM Joel Nunes; as donas de casa Alzira Baltazar de Almeida e Sulamita Campos Leite, o lavrador Edmundo Janot, o inspetor de policia Cecildes Moreira de Faria; os guardas civis José Antunes Ferreira e Orlando Pinto da Silva. 

Os civis Manoel da Silva Dutra e Nilson José de Azevedo Lins; o motorista Francisco Bento da Silva; o vigia bancário Luiz Francisco da Silva, os bancários Orlando Girolo e José Santa Maria; os investigadores José de Carvalho e Estela Borges Morato; o taxista Cidelino Palmeiras do Nascimento, o comerciário José Getúlio Borba; o cobrador de ônibus Samuel Pires; o comerciante Kurt Kriegel; o gente da PF Cláudio Ernesto Canton, o guarda particular Euclídes de Paiva Cerqueira e o protético Friederich Adolf Rohmann.

  • 1 2