Fernando Machado

Blog

Tag comissão

Akiko Kojima: Miss Universo de 1959

Akiko Kojima sendo coroada por Luz Marina Zuluaga (Foto: Divulgação)

Fez 60 anos ontem que no Long Beach Municipal Auditorium, na Califórnia, a japonesa Akiko Kojima era eleita Miss Universo 1959, tinha 22 anos, e 1m68 de altura, 94cm de busto, 58,5cm de cintura e 96,5 de quadris, que foi coroada pela Miss Universo de 1958, Luz Marina Zuluaga, da Colômbia. Participaram do concurso 34 candidatas e foi o último realizado em Long Beach. A nova sede passou ser Miami, na Florida. O apresentador foi Byron Palma.

Foto oficial das candidatas (Foto: O Cruzeiro)

A comissão julgadora foi composta por Maxwell Amow, Claude Berr, Ghislaine R. De Amador, Chritisne Fox, Palmi Ingvarsson, James H. Noguer, Vion Papamichalis, Joseph Ruttemberg, Vincent Trotta e Paul Wellmann. A Miss Simpatia foi Sodsai Venitwatana (Tailândia), a Miss Fotogenia foi Pamela Anne Searle (Inglaterra) e Garota Popular Oh Hyun Joo (Coréia do Sul).

Foto oficial das demais candidatas (Foto: O Cruzeiro)

O Top 15 foi formado por Carmela Künzel (Alemanha), Hélène Savigny (Bélgica), Olga Pumajero Korkor (Colômbia), Oh Hyun Joo (Coréia do Sul), Françoise St-Laurent (França), Zoidsa “Zoe” Kouroukli (Grécia), Sigridur Thorvaldsdóttir (Islândia), Rina Isaacov (Israel), Zuzanna Cembrowska (Polónia) e Marie-Louise Ekström (Suécia).

O Top 15 (Foto: Getty Images)

E resultado final ficou assim: em 5º lugar Vera Regina Ribeiro do Brasil, em 4º lugar Pamela Anne Searle da Inglaterra, em 3º lugar ficou Terri Lynn Huntingdon dos Estados Unidos em 2º lugar ficou Jorunn Kristjansen da Noruega e a Miss Universo de 1959 foi Akiko Kojima do Japão.

Akiko Kojima de maiô e de vestido de baile (Foto: O Cruzeiro)

Participaram do concurso Carmela Künzel (Alemanha), Liana Cortijo (Argentina), Christine Spatzier (Áustria), Hélène Savigny, (Bélgica), Than Than Aye (Birmânia), Corina Taborga (Bolívia), Vera Regina Ribeiro (Brasil), Eileen Butter (Canadá), Olga Pumajero Korkor, (Colômbia), Oh Hyun Joo (Coréia do Sul), Ziane Monturiel (Costa Rica), Irma Buesa Mas (Cuba).

Vera Ribeiro de maiô e vestido,  e Pamela Anne Searle de maiô (Foto: O Cruzeiro)

Ainda Lisa Stolberg (Dinamarca), Carlota Elena Ayala, (Equador), Terri Lynn Huntingdon (Estados Unidos), Françoise St-Laurent (França), Zoidsa “Zoe” Kouroukli (Grécia), Rogelia Cruz Martínez (Guatemala), Patricia Visser (Havai), Peggy Erwich, (Holanda), Pamela Anne Searle (Inglaterra), Sigridur Thorvaldsdóttir. (Islândia).

Pamela Anne Searle de vestido, Terri Lynn Huntingdon de maiô e vestido (Foto: O Cruzeiro)

E finalmente Rina Isaacov (Israel), Maria Grazia Buccella (Itália), Akiko Kojima (Japão), Josée Pundel (Luxemburgo), Mirna García Dávila (México), Jorunn Kristjansen (Noruega), Guadalupe Mariátegui Hawkis (Peru), Zuzanna Cembrowska (Polónia),  Marie-Louise Ekström (Suécia), Sodsai Venitwatana (Tailândia), Ezel Olcay (Turquia) e Claudia Bernat (Uruguai).

Maria Grazia Buccella da Itália de vestido; Jorunn Kristjansen de maiô e vestido (Foto: O Cruzeiro)

Miriam Stevenson X Martha Rocha  

Foto oficial das candidatas (Foto: Manchete)

Hoje faz 65 anos, que acontecia no Long Beach Municipal Auditorium, na Califórnia, o concurso de Miss Universo de 1954, com a participação de 33 candidatas. Tivemos um desfile, na Pacific Ocean Drive, das candidatas de maiô, num carrinho puxado por marinheiros. Era a primeira vez que o Brasil participava do concurso. A vencedora foi Miriam Stevenson (Miss Estados Unidos) e em segundo lugar Martha Rocha (Miss Brasil). A brasileira era considerada o mais bonito rosto do concurso, favorita absoluta entre os 200 jornalistas e fotógrafos que cobriam o evento.

Doze candidatas das 16 (Foto: O Cruzeiro)

O Top 16 (Foto: O Cruzeiro)

Elas empataram no primeiro lugar e o júri formado por nove membros decidiu que o corpo de Miriam (36-23-36) era mais perfeito. Martha (36-23-38) tinha duas polegadas a mais nos quadris. Na época o Miss Estados Unidos acontecia paralelamente ao Miss Universo. A comissão foi formada pelas atrizes Julie Adams, Piper Laurie e Susan Ball, pelos artistas plásticos Alberto Varga, Milo Anderson e Vincent Trota, pelo escultor Yucca Salamunich, pelo maquiador Bud Westmore e pelo fotografo Tom Kelly.

As misses no palco em traje de noite. Martha Rocha é a segunda da esquerda para direita (Foto: Getty)

Apresentador Bob Russell apresentou as 16 semifinalistas. Regina Ernst (Alemanha), Ivana Kislinger (Argentina), Martha Rocha (Brasil), Gloria Mesina (Chile), Marian McKeown (Costa Rica), Miriam Stevenson (Estados Unidos), Blesilda Ocampo (Filipinas), Jacqueline Beer (França), Rika Diallina (Grécia), Virgínia Chün (Hong Kong), Maria Teresa Paliani (Itália), Mona Stornes (Noruega), Liliana Torre (Panamá), Isabella Velarde (Peru), Ragnhild Olausson (Suécia) e Ana Moreno (Uruguai).

Todas as candidatas em traje de noite no palco (Foto: Divulgação)

Efi Andoroulakakis (Grecia) foi eleita Miss Simpatia e Martha Rocha a Garota mais Popular do concurso. Efi ficou em segundo lugar no Miss Grécia e foi enviada ao Miss Universo, porque a vencedora Rika Diallina, teve problemas na imigração, que depois foi resolvido. E finalmente saiu o resultado em quinto lugar ficou Ragnhild Olausson (Suécia), em quarto lugar Regina Ernst (Alemanha), em terceiro lugar Virgínia Chün (Hong Kong), em segundo lugar Martha Rocha (Brasil) e em primeiro lugar Miriam Stevenson (Estados Unidos).

Virginia June Lee, Martha Rocha, Miriam Stevenson, Regina Ernst e Ragnhild Olausson (Foto: Divulgação)

Participaram do concurso Charlein Lander (Alasca), Regina Ernst (Alemanha), Ivana Kinslinger (Argentina), Shirley Bliss (Austrália), Christiane Neckaerts (Bélgica), Martha Rocha (Brasil), Joyce Landry (Canadá), Gloria Legisos (Chile), Marjorie Lee (Cingapura), Kae Sun-Hae (Coréia d Sul), Marian McKeown (Costa Ricar), Isis Garcia (Cuba), Myrna Ros Orozco (El Salvador), Miriam Stevenson (Estados Unidos), Blesilda Ocampo (Filipinas), Lenita Airisto (Finlândia), Jacqueline Beer (França).

Miriam Stevenson depois de coroada pela Miss U 53, Cristiane Martel (Foto: Cruzeiro)

Ainda Rika Dialina (Grécia), Liliam Padilha (Honduras), Virginia June Lee (Hong Kong), Evelyn Andrade (Indias Ocidentais), Aviva Peer (Israel), Maria Teresa Paliani (Itália), Mieko Kondo (Japão), Elvira Olvera (México), Mona Stornes (Noruega), Moananui Manley (Nova Zelândia), Liliana Torre (Panamá), Isabella Dancuart (Perú), Lucy Santiago (Porto Rico), Ragnhild Olausson (Suécia), Am-mara At-savanon, (Tailândia) e Ana Moreno (Uruguai).

Os atores Jeff Chandler e Tony Curtis aproveitaram para beijar Martha Rocha (Foto: O Cruzeiro)

Informação importante: Miriam Stevenson tinha 36 polegadas de busto e de quadris e sua cintura 24 polegadas. Já Marta Rocha tinha 36 polegadas de busto, 38 polegadas de quadris e 23 polegadas de cintura. Foi o jornalista João Martins, da revista O Cruzeiro, quem criou a lenda das duas polegadas a mais. Então Pedro Caetano, Alcyr Pires Vermelho e Carlos Renato compuseram a marchinha carnavalesca, Duas Polegadas, gravada pela própria Martha Rocha. Veja a parte final do concurso:

https://www.youtube.com/watch?v=OwvCiQFBkLI

Martha Rocha na Pacific Ocean Drive sendo puxado por marinheiros (Fotos: O Cruzeiro)

Martha Rocha em outro angulo na Pacific Ocean (Foto: O Cruzeiro)

Acontecencias

O especialista em energia, o norte-americano Owen Zinaman estará no país a convite da Embaixada e dos Consulados dos Estados Unidos no Brasil para uma série de eventos, de 22 a 26 de julho. No Recife, Zinaman proferirá a palestra Gargalos da Energia Renovável: Distribuição e Armazenamento a representantes do governo e dos setores privado e acadêmico, no Porto Digital. O evento, no dia 22 de julho, será apenas para convidados. Zinaman é sócio fundador e diretor da Clean Energy Transition Partners, empresa que fornece consultoria para governos, empresas e agências de desenvolvimento sobre melhores práticas na transição global para fontes de energia limpas.

O babalaô (sacerdote do Candomblé) e fundador da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa do Rio de Janeiro, Ivanir dos Santos, recebeu do Secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, o Prêmio Internacional de Liberdade Religiosa, em homenagem à sua corajosa atuação em prol da liberdade e tolerância religiosa. O prêmio foi entregue na segunda cúpula internacional pela liberdade religiosa, que foi encerrada ontem em Washington D.C.. Conferida pela primeira vez, a homenagem é um reconhecimento a pessoas ou organizações que trabalham para proteger, promover e fomentar a liberdade de religião ou crença.

 

Martha Rocha: Miss Brasil de 1954

Manuel Bandeira quando entregava a faixa para Martha Rocha como Miss Brasil de 1954 (Foto: O Cruzeiro)

Há 65 anos, Martha Rocha era eleita no Quitandinha, em Petrópolis, no Rio de Janeiro, Miss Brasil de 1954, o primeiro concurso oficial de Miss Brasil, dos Diários Associados. Participaram do conclave apenas seis candidatas Martha Rocha (Bahia), Patrícia Lacerda (Distrito Federal), Dorama Cury Nasser (Goiás), Zaida Souza Saldanha (Rio de Janeiro), Lygia Carotenuto (Rio Grande do Sul) e Baby Lomani (São Paulo).

Beatriz, Zaida, Martha, Lygia, Patricia e Baby (Foto: Manchete)

O festival de beleza de 1954 foi promovido pelo Diário Carioca e a Folha de São Paulo e teve na comissão julgadora o poeta Manuel Bandeira, o artista plástico Santa Rosa, o romancista Armando Fontes, a escritora Helena Silveira, os jornalistas Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos e Pompeu Souza. Primeiro, as seis candidatas desfilaram de maiô e na sequencia de traje de noite.

Martha Rocha, Zaida Saldanha e Lygia Carotenuto (Foto: O Cruzeiro)

A vencedora representou o Brasil no concurso de Miss Universo de 1954 que aconteceu em Long Beach, na Califórnia, e voltou com o segundo lugar. O Miss Brasil de 1954 teve o seguinte resultado: Primeiro lugar ficou com a baiana Martha Rocha; o segundo foi para Zaida Saldanha do Rio de Janeiro e o terceiro para Lygia Beatriz Carotenuto do Rio Grande do Sul.

Patricia Lacerda, Dorama Nasser e Baby Lomani (Foto: O Cruzeiro)

A carioca Patrícia Lacerda que era uma das favoritas não gostou do resultado criou a maior confusão. Disse que teve marmelada porque ela era neta do escritor Coelho Neto, parece que Manuel Bandeira tinha certa mágoa dele. Como sempre não deu em nada. Patrícia Lacerda virou atriz de cinema, mas sem muito sucesso.

As candidatas diante da comissão julgadora (Foto: O Cruzeiro)

Zaida Souza Saldanha tinha participado do concurso de Miss Distrito Federal e perdera para Patrícia Lacerda, mais um motivo para deixá-la furiosa. O fato é que Maria Martha Hacker Rocha do alto dos 1m70 de altura, 95 cm de busto, 60 cm de cintura, 100 cm de quadris, 58 cm de coxa, 21 cm de tornozelo, 57 kg e 21 anos, é para quem entende de Miss a Mulher do Século.