Fernando Machado

Blog

Tag Biblioteca

Viva nossas mães!

Bibi Ferreira e sua filha Tereza Cristina em dezembro de 1953 (Revista O Cruzeiro)

Quero hoje escrever sobre as mães que foram abandonadas pelos filhos num asilo. Porém, eles devem não esquecer que vão ficar velhos também e certamente seus filhos vão jogá-los nos asilos. E lembro este poema de Bóris Pasternak: “Todas as mães, sem exceção, deram à luz grandes homens. E se a vida as enganou em seguida, delas não foi a culpa”.

Dona Santinha e o filho Manuel Bandeira em maio de 1953 (Revista O Cruzeiro)

Para Manuel Bandeira o livro mais precioso de sua biblioteca é um velho caderninho de folhas pautadas e capa vermelha, comprado na Livraria Francesa, na Rua do Crespo, 9, no Recife e em cuja página de rosto se lê: Livro de assentamento de despesas, de Francelina R. de Souza Bandeira“. Francelina era o nome de sua  mãe, todavia conhecida com Dona Santinha.

Carmen Miranda e sua mãe, Maria Emília Cunha, em dezembro de 1954 (Revista O Cruzeiro)

Anotações do Cotidiano

Amanhã, às 11h, na Biblioteca Escritor Melchiades Montenegro Filho, da Escola Athayde Acioly Lins, em Catende, o escritor Melchiades Montenegro lança o seu livro No Califado de Córdoba. Sobre o amigo, escreveu de Viena, o psicanalista Wilhelm Fliess: “É um aventureiro, no sentido freudiano do termo, se quiseres traduzir esta palavra com toda a curiosidade, a ousadia e a tenacidade deste tipo de homem”.

Clay Mattozo, Sandra Amaral e Pierre Lucena (Foto: Magali Bezerra)

A professora Sandra Amaral tomou posse, quarta-feira, como reitora do Centro Universitário dos Guararapes. A docente assume a reitoria num momento em que a UniFG expande a área de pós-graduações, passando de 34 para 67 cursos oferecidos. Para a nova etapa como reitora, Sandra Amaral tem como principal objetivo garantir a formação de excelência aos alunos por meio de experiências universitárias significativas.

 

Notícias da Paraíba

Hoje, às 17h, na Biblioteca Juarez da Gama Batista, acontece o lançamento do livro Câmara Cascudo em Quadrinhos, de Jairo César e ilustrações de Lelo Alves. Também vamos ter um Bate-papo com o autor e o grupo de Contação da Rua. Convicto de que “a verdadeira sabedoria está com o povo”, o potiguar Luiz da Câmara Cascudo construiu sua vasta obra literária no contato com cidadãos comuns. A obra tem selo da editora Patmos e é dedicada ao público infanto-juvenil. O acesso é gratuito.

Dezembro significa um período de luzes, festas, comemorações de conquistas, alegrias e renovações. Este ano, o mês de dezembro veio com um gostinho ainda mais especial para Campina Grande. É o aniversário de 10 anos da Faculdade UniNassau e quem ganha o presente é a cidade. Ontem a instituição, juntamente com a Prefeitura Municipal, promoveu a inauguração do letreiro “Eu [Amo] Campina Grande”. O evento aconteceu no largo do Açude Velho. Para a Diretora da UniNassau em Campina Grande, Marina Barros, esta homenagem representa uma realização.

Anotações do Cotidiano

O neurologista Gutemberg Guerra, diretor executivo do Hospital Esperança Olinda, vai lançar no próximo sábado o livro O Doce da Terra. Gutemberg já havia se aventurado pelo mundo da escrita em 2011, quando lançou A história da demência, um livreto em cordel para ajudar a população no combate ao mal de Alzheimer. Com informações sobre a doença e versos simples.

Antônio Neto lança hoje seu livro sobre Lampião (Foto: Divulgação)

O pesquisador Antônio Neto vai lançar hoje, às 17h30, na Bibiloteca Publica do Estado, o seu livro Lampião, à Luz da Lei. A obra apresenta fatos à luz de documentos da época analisados pelo autor, tais como queixa-crime, diligência policial, exame de corpo de delito, laudo cadavérico, portaria policial, sumário-crime, libelo-crime-acusatório, depoimentos de testemunhas e itens que compõem um processo-crime sob a égide da justiça.