Fernando Machado

Blog

Tag anos

Esquinas do Mundo

O Hotel e agora Palácio Quitandinha está comemorando seus 75 anos com uma exposição contando sua trajetória. A mostra ficará aberta ao publico até o próximo dia 31. Inaugurado em 12 de fevereiro de 1944 surgiu como hotel-cassino da America Latina, todavia em 1946, quando o presidente Eurico Gaspar Dutra proibiu esse tipo de jogo e ele perdeu o brilho e a força. O Quitandinha agora é administrado pelo Sesc-RJ.

No próximo sábado, a partir das 18h, na Cinelândia no Rio de Janeiro, será realizada a VI Pedalada Pelada, organizada pelo grupo World Naked Bike Ride, uma turma de ciclistas que sai às ruas montando nas bikes, nus ou seminus. O tema é Indecência é a violência e tem o objetivo chamar atenção para a vulnerabilidade desse meio de transporte. O movimento acontece em São Paulo, Salvador e Belo Horizonte.

Há 60 anos o Brasil era Campeão do Mundo

Hoje faz 60 anos, que o Brasil ao vencer a Suécia por 5×2, no Estádio Rásunda, em Estocolmo, era campeã mundial de futebol pela primeira vez. Era uma seleção de dar gosto aos brasileiros. A Copa começou em 8 de junho e terminou em 29 de junho de 1958. Com a participação de 16 seleções, na sua maioria européia: Suécia, Alemanha Ocidental, Áustria, França, Republica Tcheca, Hungria, União Soviética, Iugoslávia, Inglaterra, Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales. Pela América Latina estavam o Brasil, a Argentina, o México e o Paraguai.

A delegação brasileira que foi até Suécia (Foto: O Cruzeiro)

Castilho, Dida e Didi (Foto: O Cruzeiro)

Dino Sandi, Djalma Santos e Garrincha (Foto: O Cruzeiro)

No primeiro jogo, o Brasil venceu a Áustria por 3 x 0. Os gols foram de Mazolla (2) e Nilton Santos. No segundo o Brasil empatou com a Inglaterra em 0 x 0 e no último o Brasil venceu a União Soviética por 2 x 0. Os dois gols foram do pernambucano Vavá. Começa as Quartas de Finais. No dia 19 de junho Brasil venceu o País de Gales por 1 x 0. O único gol foi de Pelé. Chega a semifinal e o Brasil vence a França por 5 x 2. Os gols foram de Vavá, Didi e Pelé (3). Finalmente aconteceu a final e o Brasil vence a Suécia, novamente por 5 x 2. Os gols foram de Vavá (2), Pelé e Zagalo.

Gilmar, Joel e Mauro (Foto: O Cruzeiro)

Mazzola, Moacyr e De Sordi (Foto: O Cruzeiro)

Nilton Santos, Oreco e Orlando (Foto: O Cruzeiro)

Terminada a Copa do Mundo de 1958, Pelé marcou 6 gols, Vavá 5, Mazzola 2, Didi, Nilton Santos e Zagallo 1. Daquela seleção estão vivos apenas seis craques: Dino Sani, Zagallo, Pelé, Moacir, Mazzola e Pepe. O nosso capitão foi um só para toda a competição. O bonito, educado e elegante Bellini. Seu pai era descendente de italiano e caminhoneiro, que não queria o filho fosse jogador de forma alguma. E Bellini excursionou como barbeiro, para enganá-lo. Foi dele o gesto imitado pelos demais capitães: Levantar a Jules Rimet.

Pelé, Pepe e Vavá (Foto: O Cruzeiro)

Zagalo, Zito e Zózimo (Foto: O Cruzeiro)

Bellini ergendo a Jules Rimet em Estocolmo e Bellini o eterno galã (Fotos: Manchete/Marcelo Carvalho)

Nossa seleção era composta por Castilho (1927/1987), Capitão Bellini (1930/2014), Gilmar (1930/2013), Djalma Santos (1929/2013), Dino Sani (1932), Didi (1929/2001), Zagallo (1931), Oreco (1936/1985), Zózimo (1932/1977), Pelé (1940), Garrincha (1933/1983), Nilton Santos (1925/2013), Moacir (1930), De Sordi (1931/2013), Orlando (1935/2010), Mauro (1932/2002), Joel (1931/2003), Mazzola (1938), Zito (1932/2015), Vavá (1934/2002), Dida (1934/2002), Pepe (1935) e o técnico: Vicente Feola (1909/1975).

Flashes

A executiva Sheila Wanderley está em Brasília, em viagem de negócios da Tecon. Deverá voltar para o Recife amanhã.

O vice-secretário de Estado dos Estados Unidos, John J. Sullivan esteve em Brasília, terça-feira, onde foi recebido no Itamaraty.

Lucy Dubeux e Paula Bacelar estão em São Paulo para a festa dos 40 anos da Bontempo nacional, na CasaCor SP.

Lucy Dubeux e Paula Bacelar em tempo de comemoração (Foto: Vinicius Ramos)

A AACD de São Paulo movimenta feste junina, sábado, das 10h às 19h, na Unidade Lar Escola, no Jardim Lusitânia, Esquenta Junino.

A radiologista Beatriz Maranhão, do Lucilo Maranhão Diagnósticos, vai participar do Masterclass Luso-Brasileira, em Lisboa.

O filme experimental A Dança de Júlia, dirigido por Igor Lopes, será exibido hoje, no I Festival de Cinema de Carpina.

Parabéns, Benélia!

Benélia entre os filhos Mauricio, Augusto, Fernando, José e Benélia (Foto: Lula Magalhães)

Os 80 anos da senhora Benelia de Amorim Guilherme foi comemorado sábado no bufê Yoshi Lazzarine, em Setugal. A casa de recepção estava linda e foi decorada pela filha Benélia., que também se encarregou de coordenar a festa. A aniversariante estava em grande noite num modelo da Le Lis Blanc. A animação ficou por conta de uma banda e do DJ Sabiá Vibration.

Benélia entre os netos Arthur, Diljesse, José Fernando, Caio, Gabriel e Gabi (Foto: Lula Magalhães)

Meia noite um coral de 150 vozes cantou os tradicionais parabéns para você e na seqüência Benélia cortou o bolo de três andares by Lucinha Cascão. Benélia estava radiante ao lado dos filhos José, Mauricio, José Augusto, Fernando e Benélia de Amorim Guilherme da Silva; além dos nove netos.

Yara Arcoverde, Benelia de Amorim Guilherme, Lucia Maia, Yeda Lucena e Odaisa Andrade (Foto: Lula Magalhães)

O cardápio foi grifado pela chef Ivone Gama e constou de escalope de filé mignon ao molho madeira, risoto de camarão com banana da terra, peru com farofa yosk, quiches de bacalhau, de alho francês e de brie, salmão ao molho de maracujá. Os docinhos foram grifados por Lucinha Cascão.

Benélia, Lenira e Edilson Alencar com Lúcia Lopes (Foto: Fernando Machado)