Fernando Machado

Blog

Tag direitos

Dom Fernando Saburido brilha no João Canuto

O arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, em breve palavras disse tudo que os outros premiados falaram, mas de uma forma sutil, na festa da entrega do Premio João Canuto. O evento realizado na Universidade Federal do Rio de Janeiro aconteceu ontem à noite, reunindo o creme-de-la-crema dos direitos humanos no Brasil.


Italo Rocha, Dom Fernando Saburido e a diva da imprensa Jô Mazzarolo (Foto: Fernando Machado)

Dom Fernando Saburido começou seu discurso lembrando Dom Vital, Dom Helder Camara e o Padre Henrique. Com isso ele resumiu tudo que o Movimento Humanos Direitos, leia-se a diretora geral Dira Paes, que remete à promoção dos Direitos Humanos. O Dom dos Direitos Humanos com aquele sorriso de quem somente tem intimidade com os céus, concluiu: “Fiquei feliz, pois todos que falaram mostraram nossa Igreja como elo nos Direiros Humanos.”


Padre Ricardo Rezende, atriz Priscila Camargo e o ator Eduardo Tornaghi (Foto: Fernando Machado)

A solenidade foi organizada por Salete Hallack, tendo como coordenadores artísticos Eduardo Tornaghi e Priscila Camargo. A apresentação foi de Dira Paes. Durante o show tivemos a participação especial de Bete Mendes, Gilberto Miranda, Leticia Sabatella, Marcos Winter e Osmar Prado. Nesta 9ª edição do Prêmio, Valdinei Arruda, Comissão Estadual pela Erradicação do Trabalho Escravo do Estado do Mato Grosso, lançou o Premio de Jornalismo Dom Pedro Casaldáliga. Com direito a um vídeo do sacerdote.


A atriz e diretora geral do MHuD Dira Paes (Foto: Fernando Machado)

Também tivemos a entrada de oito artistas com instrumentos musicais indígenas numa coreografia que encantou o público. Além de muitos cariocas tivemos caravanas do Distrito Federal, Mato Grosso, Pará e Pernambuco. A nossa perdeu apenas em quantidade os paraenses. Entre a entrega de um premio e outro os artistas leram fragmentos escritos por Frei Leonardo Boff, que também estava na platéia e depois falou.

Solenidade de entrega do Premio João Canuto

O Premio João Canuto foi criado pelo Movimento Humanos Direitos, fundado em 2003, por um grupo de artistas, intelectuais, padres, professores, com a intenção via a imagem pública de artistas engajados na causa, dar visibilidade às violações dos direitos humanos como o trabalho escravo, a prostituição infantil, a luta pela demarcação das terras indígenas e das áreas dos quilombolas e em favor de ações socio-ambientais.


Dom Fernando Saburido e Ricardo Paiva (Foto: Fernando Machado)

Após várias ameaças de morte, o dirigente sindical, João Canuto, foi assassinado com 18 tiros, no dia 18 de dezembro de 1985. Ele era perseguido principalmente por sua luta pela reforma agrária. O crime foi planejado por um grupo de fazendeiros do sul do Pará, entre eles Adilson Carvalho Laranjeira, fazendeiro e prefeito de Rio Maria na ocasião do assassinato, e Vantuir Gonçalves de Paula. O prêmio é uma homenagem a esse herói paraense.


A atriz Bete Mendes e o desembargador Damir Vrcibradic (Foto: Fernando Machado)

Coube ao ator Sergio Marone entregar o primeiro premio João Canuto da noite e ele foi para o desembargador da Republica do Pará Felicio de Araujo Pontes Jr. Na seqüência tivemos a atriz Bete Mendes entregando a diretora geral da Policia Rodovi´ria Federal Maria Alice Nascimento Sousa, que foi representada por Márcia Freitas Vieira. O ator Osman Prado o entregou da professora e ambientalista do Pará Laísa Santos Sampaio.

Dira Paes e Priscila Camargo com os oito premiados (Foto: Fernando Machado)

O ator Eduardo Tornaghi foi incumbido de entregar o João Canuto para o educador e defensor dos Direitos Humanos do Maranhão Gil Quilombola, que se entusiasmou e quase não deixa o palco. Chegou até a cantar músicas do quilombo. O quinto a receber o premio foi o nosso querido arcebispo Dom Fernando Saburido e a entrega coube à Dira Paes.


Laisa Sampaio e Osman Prado (Foto: Fernando Machado)

Ainda tivemos Dira Paes entregando o da secretária da Mulher do Recife e fundadora da Ong Apitação Rejane Pereira. Como não podia deixar de acontecer ela levou apitos e comandou uma orquestra de apitaços. A cineasta carioca Lucia Murat recebeu o seu premio do ator Marcos Winter e a Leticia Sabatella entregou o último para a teóloga e defensora dos direitos humanos do Rio de Janeiro Marcia Miranda. Também gostei muito do seu speeh.


O deputado federal do PT Alessandro Molon (Foto: Divulgação)

A presença mais elegante e bonita não foi nenhum ator e sim o deputado federal Alessandro Molon. Também anotamos o secretário Antônio Figueira, presidente da Hemobras Romulo Maciel Filho, Ricardo Paiva do Creme-pe, os jornalistas Italo Rocha e Jô Mazzarolo com o irmão frei Isidoro, a economista Telma Liege.

Dom Fernando & Direitos Humanos

Conforme esta coluna já divulgou, o arcebispo de Olinda e Recife, Dom Antonio Fernando Saburido, recebe hoje, às 18h, no Centro de Filosofia e Ciências Humanas da UFRJ, o Premio João Canuto 2012. É uma promoção do Movimento Humanos Direitos e do Grupo de Pesquisa Trabalho Escravo da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Estarão aplaudindo Dom Fernando Saburido Jô Mazzarolo, Italo Rocha, Telma Liege e esse cronista.


A jornalista Jô Mazzarolo e dom Antônio Fernando Saburido (Foto: Fernando Machado)

Além de Dom Antonio Fernando, vão receber o prêmio Felicio de Araújo Pontes Jr (Procurador da República do Pará), Gil Quilombola (Educador e Defensor dos Direitos Humanos do Maranhão), Laísa Santos Sampaio (Professora Ambientalista do Pará), Lucia Murt (Cineasta do Rio de Janeiro), Márcia Miranda (Teóloga e Defensora dos Direitos Humanos do Rio de Janeiro), Maria Alice Nascimento Sousa (Diretora Geral da Policia Rodoviária Federal) e a ONG Apitaço (cuja fundadora é Rejane Maria Pereira da Silva de Pernambuco).

Notícias da Alemanha

No dia 7 de março o Instituto Alemão de Direitos Humanos, uma instituição nacional e independente da Alemanha, fundada sob os Princípios de Paris da Organização das Nações Unidas, completou dez anos. Com o objetivo de contribuir para a proteção e promoção dos direitos humanos dentro da Alemanha e pela Alemanha em outros países, promove aconselhamentos políticos, humanos e educacionais, pesquisas aplicadas e colaboração com organizações internacionais.

Sobre o jubileu, Markus Löning, Comissário do Governo da Alemanha para Política de Direitos Humanos e Ajuda Humanitária do Ministério das Relações Exteriores, comentou sobre a política alemã voltada para o tema. No cenário internacional dos direitos humanos, a Alemanha participa ativamente de campanhas dentro das Nações Unidas, por exemplo. Quem nos informa é o Adido de Imprensa do Consulado da Alemanha, Martin Mahn.

  • 1 2