Fernando Machado

Blog

Confetes & Serpentinas

Graças a Deus o Carnaval do Recife tem ainda, os blocos líricos, senão nossa tradição estava destruída.  Quem tem o frevo, o maracatu, e o caboclinho não precisa importar ritmos estrangeiros. Somente para lembrar, o compositor Matias da Rocha (1864/1907), leia-se o hino do nosso Carnaval, Vassourinhas, nem sei se ainda é, nunca foi homenageado no nosso Carnaval. Fiquei emocionado ao ouvir, sábado, no desfile do Bola Preta, no Rio de Janeiro, Vassourinhas. Foi arretado.

Leonardo Dantas pensando no carnaval  do Recife (Foto: Mariana Dantas)

O carnavalesco e pesquisador Leonardo Dantas Silva escreveu no seu face: “Neste Carnaval de 2019, o frevo não teve vez no palco do Marco Zero, o espaço nobre foi cedido para grupos mais representativos do nosso Carnaval, a exemplo de Paralamas do Sucesso, Alcione, Monobloco, Leci Brandão, Jota Quest, Zezé Mota, Tony Tornado… — Segundo os que fazem à Prefeitura do Recife, sem eles não há Carnaval!”

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.