Fernando Machado

Blog

Parabéns, Mendonça e Tizuka!

O minsitro Mendonça Filho à côté Taciana (Foto: Fernando Machado)

O Cinema São Luiz, debruçado para o Rio Capibaribe, foi inaugurado no dia 6 de setembro de 1952. Numa noite inesquecível e com traje a rigor. Com sua rica concepção artística e arquitetônica do Recife é um dos últimos cinemas de rua do país. É lindo, pois antes de começarem as sessões os vitrais localizados nos dois lados da tela, dois grande jarros de flores laterais coloridos e belos, se acendem. É a única coisa de glamour que restou das velhas sessões do cinema. A autoria desta obra são dos artistas plásticos Aurora Lima e Henrich Moser.

Mendonça Filho cumprimentado o rei do Maracatu (Foto: André Nery)

As atrizes Clara Castanho e Luana Vitória (Foto: Fernando Machado)

Pois bem foi nesse cenário cheio de história que aconteceu, domingo, à noite, a Avant Première de 1817, A Revolução Esquecida, dirigida por Tizuka Yamazaki. O filme tem duração de 50 minutos e foi aprovado pelo banco de projetos da TV Escola, sendo produzido mediante termo de cooperação entre a produtora Rio de Cinema Produções Culturais, a TV Escola e o Ministério da Educação. O filme estreia no próximo dia 15, às 21h, na TV Escola. Hoje ele será exibido no Espaço Itau, no Rio de Janeiro.

Tizuka Yamazaki e Nádia Ferreira (Foto: Fernando Machado)

Roberto Mota e Margarida Cantarelli (Foto: Fernando Machado)

A noite de gala contou com a presença do Ministro da Educação, Mendonça Filho, que deu toda força para o projeto. Mais 900 pessoas prestigiaram a primeira exibição da pelicula. Sem dúvida um sucesso colossal, para tristeza dos petralhas. Este docudrama, avaliado em um milhão de reais, abre a série História da TV Escola e foi produzida em comemoração ao bicentenário da Revolução Pernambucana, tendo como base à obra literária A noiva da Revolução, de Paulo Santos de Oliveira.

Betânia Correa de Araújo e Paulo Santos de Oliveira (Foto: Fernando Machado)

Katia Peixoto e Eduardo Henrique Oliveira (Foto: Fernando Machado)

A maioria das cenas foi gravada no estado palco desse movimento emancipacionista. A Revolução Pernambucana, ou Revolução dos Padres, eclodiu em 6 de março de 1817 e foi o único movimento separatista do período colonial que se concretizou, tendo ultrapassado a fase conspiratória. Entre os motivos estão as enormes quantias que o governo de Pernambuco era obrigado a enviar para o Rio de Janeiro para custear os gastos da Corte portuguesa.

José Mário Austregésilo e José Luiz da Mota Menezes (Foto: Fernando Machado)

Wanessa Campos (Foto: Fernando Machado)

Para o ministro Mendonça Filho, o filme “é um elo entre cultura, história e educação”, algo que pode ser percebido ao fim da exibição, quando os integrantes do Maracatu Leão Coroado, que participa do filme, se apresentou envolvendo o público em um batuque típico de Pernambuco. O grupo é um dos maracatus mais antigos em atividade no Brasil. Ele é considerado patrimônio Vivo de Pernambuco desde 2005. Parabéns, Mendonça Filho!

Os atores Domingos Antônio, Fábio Yamazaki e Arthur Canavarro (Foto: Fernando Machado)

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.