Fernando Machado

Blog

Uma Queda da Bastilha pós moderna

O cônsul geral da França Romain Louvet (Foto: Fernando Machado)

Este ano, a Queda da Bastilha no estilo pós moderno foi comemorada no Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães (MAMAM) foi criado em 24 de julho de 1997, em homenagem ao artista plástico, designer e ativista cultural pernambucano, na Rua da Aurora. Está instalado em um antigo casarão do século XIX onde funcionou o Clube Internacional do Recife, de 28 de novembro de 1914 até 16 de fevereiro de 1938 quando passou para a Praça do Benfica. O prédio de três andares lembrando estilo neoclássico.

A vice cônsul da França Natacha Boguchi (Foto: Fernando Machado)

A diretora do MAMAM Beth da Matta (Foto: Fernando Machado)

No dia 31 de janeiro de 1948, a senhora Julieta Pereira Borges ao lado do cronista social Altamiro Cunha, movimentaram o I Bal Masqué do CIR. Foi neste set de muita história que o cônsul geral da França, Romain Louvet, realizou a sua primeira recepção em comemoração à Festa Nacional da França. E olha que foi uma noitada de muitas surpresas. O cônsul Louvet recebia os convidados, no fopyer, ao lado da diretora do MAMAM, Beth da Matta.

O cônsul geral dos EUA John Barrett e o vice cônsul de Portugal Marcos Ferreira de Melo (Foto: Fernando Machado)

Anne e Armando Vasconcelos na mostra de Daniel Santiago (Foto: Fernando Machado)

Quando se entravava para o grande salão, um susto. O décor era formado por muitas camas, fazia parte da performance de algum artista. No primeiro andar os convidados puderam contemplar a exposição batizada de A Bela Aurora do artista plástico Wilton de Souza. No segundo outra exposição a do artista plástico Daniel Santiago. As duas mostras por sinal são excelentes. Os tradicionais discursos foram outro suspense.

Wilton de Souza diante da sua exposição (Foto: Fernando Machado)

Marie Claire, Caju, Terezinha do Acordeon, o maestro Renato Accioly, Livia da Matta, Julio César e Karine (Foto: Fernando Machado)

Tivemos três falas. A primeira do secretário do consulado Jean-Robert Yago, o segundo da assessora Cultural Jeanne de Larrad e do próprio anfitrião. Um detalhe: Tudo em áudio. Todos procuravam os falantes e não encontravam. Sem dúvida um suspense. Depois tivemos a execução dos hinos do Brasil, da Comunidade Europeia (9[ Sinfonia de Beethoven) e o da França (La Marseillaise), também áudio, tocados pelos seis sanfoneiros (Caju, Marie Claire, Julio César, Marie Claire, Terezinha do Acordeon, Livia Matta e Karine).

João Otávio Pimentel e sua avó, Sonia Freyre (Foto: Fernando Machado)

O secretário Giovani Oliveira à côté Fátima Naomi Takada (Foto: Fernando Machado)

O bufê foi grifado Du Francês de Benoit e Simone Paquereau, cuja fábrica fica na cidade Pombos. Ele francês, especialista em fabricação de queijos e está no Brasil há 18 anos, ensinando essa arte. No cardápio tínhamos 30 tipos de queijos. O queijo de coalho maturado foi muito degustado. A sobremesa foi grifada pelo chef Joca Pontes do Restaurante Ponte Nova. Tudo isso regado a champanha e vinhos franceses.

Jeanne de Larrad e Margot Gallot, assessoras de Cultura e Imprensa do consulado (Foto: Fernando Machado)

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.