Fernando Machado

Blog

Pausa Poética

jose-mariano-carneiro-da-cunha

“Era o rio da Vida; a água paciente / Que, arrastando calhaus, de frágua em frágua / Ora beijava a sombra na corrente, / Ora abraçava o Sol com os braços de água.” José Mariano (1850/1912)

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.