Fernando Machado

Blog

Categoria Pausa Poética

Pausa Poética

“Um excesso de vez em quando é ótimo. Impede que a moderação se torne um hábito.” Somerset Maugham (1874/1965)

Pausa Poética

“Recorro a ti para não separar-me / deste chão de sargaços mas de flores, / onde há bichos que amaste e mais os frutos / que com tuas mãos plantavas e colhias”. Odylo Costa, Filho (1914/1979)

Pausa Poética

“O jornalista é um poeta do efêmero”. Padre Aloísio Mosca de Carvalho (1913/1982)

 

 

Pausa Poética

“Eu quero amor feiinho. / Amor feiinho não olha um pro outro. / Uma vez encontrado é igual fé, / não teologa mais.” Adelia Prado