Fernando Machado

Blog

Categoria Pausa Poética

Pausa Poética

“Do bloco a marcha-regresso / E era o sucesso dos tempos ideais / Do velho Raul Moraes / Adeus adeus minha gente / Que já cantamos bastante / E Recife adormecia / Ficava a sonhar / Ao som da triste melodia”. Nelson Ferreira (1902/1976)

 

Pausa Poética

“O mundo quer-me mal porque ninguém tem asas como eu tenho”. Florbela Espanca (1894/1930)

Pausa Poética

“O homem só é superiormente feliz quando é superiormente civilizado”. Maneco Müller (1923/2005)

Pausa Poética

“Deixa o amor pingar nas bicas desses, olhos de pipocas, nesses lábios que ressecas como o lodo das charnecas”. Austro Costa (1909/1984)