Fernando Machado

Blog

Categoria Nos bastidores da Política

Nos Bastidores da Politica

Os deputados que votaram a favor da extinção da Delegacia que colocou a Máfia da Merenda na Cadeia. Para hoje lembramos Claudiano Martins Filho (PP), Clodoaldo Magalhães (PSB), Diogo Moraes (PSB), Dr. Valdi (PP), Eduíno Brito (PP), Eriberto Medeiros (PP), Everaldo Cabral (PP), Francismar Pontes (PSB), Henrique Queiroz (PR), Isaltino Nascimento (PSB), Jadeval de Lima (PMN), João Eudes (PP), Joaquim Lira (PSD), Joel da Harpa (PP), José Humberto Cavalcanti (PTB), Júlio Cavalcanti (PTB). Amanhã tem mais.

O Ceará recebe, hoje e amanhã, visita de delegação da Embaixada da República da Coreia do Sul, liderada pelo embaixador da Coreia do Sul no Brasil, Chan Woo Kim. Na oportunidade, o grupo vai ser recebido pelo governador Camilo Santana e conhecer a estrutura do Complexo Industrial e Portuário do Pecém, bem como a Zona de Processamento de Exportação do Ceará, o Porto do Pecém, a Companhia Siderúrgica do Pecém, além do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará e a Associação das Empresas do CIPP.

Rainha, Frevo e Apagão

A Rainha Elizabeth e o Príncipe descendo em solo pernambucano (Fotos: Divulgação)

Há 50 anos, a Rainha Elizabeth II e o príncipe Philip, chegavam ao Recife, pelo avião da Real Força Aérea Britânica. Às 16h15 cerca de 200 mil pessoas foram aplaudi-la na chegada no Aeroporto Internacional dos Guararapes. O governador Nilo Coelho ofereceu uma recepção para ela no Palácio do Campo das Princesas. O Chefe da Casa Civil era Paulo Fernando Craveiro.

A Rainha, o príncipe, o governador Nilo Coelho e a primeira dama Maria Teresa e o coronel Otacílio Ferraz (Foto: Edvaldo Rodrigues)

O clima de descontração quando faltou energia elétrica no Palácio (Foto: Divulgação)

Durante a festa faltou energia. A rainha Elizabeth II discretamente aproveitou a escuridão e tirou seus sapatos para descansar. Às 18h30, ao som do frevo Ultima Dia, de Levino Ferreira, ela deixou o Campo das Princesas e seguiu para o Porto do Recife a fim de tomar iate Britannia, com destino ao Rio. A rainha ganhou uma tela de Lula Cardoso Ayres e uma peça de Francisco Brennand.

Elizabeth II na Lincoln, ao lado de Nilo Coelho e Otacílio Ferraz (Foto: Divulgação)

Ainda a vitória do Capitão

O jornalista Angelo Castelo Branco escreveu no seu Face “Uma observação: O ritual fúnebre de 1 minuto de silêncio, realizado pelo PT na reunião da derrota, não pegou bem para um partido que está perdendo eleitores e precisa se reaproximar do povo. O ato pode repercutir negativamente como desrespeito à maioria que elegeu um novo presidente e ao próprio regime democrático. O PT passou 16 anos no poder e não consta que nesse período os seus adversários tenham feito minutos de silêncio por terem perdido eleições”.

Quero agradecer ao jornalista Antonio Neto essa linda mensagem: “Parabéns, Fernando, seu excelente texto me transportou para a Avenida Boa Viagem. É como se eu estivesse lá compartilhando com os milhares de eleitores de Bolsonaro essa vitória extraordinária, que entra definitivamente para a História como uma das campanhas eleitorais mais significativas, por ter sido feita espontaneamente por milhões de brasileiros, de Norte a Sul do País”.

Nossa Bandeira Jamais será Vermelha

Participei ontem à noite, na Avenida Boa Viagem, de uma comemoração emocionante. O que presenciei ontem me fez fazer uma viagem aos anos quarenta quando terminou a II Guerra Mundial. As famílias e os amigos se abraçando e muitas pessoas chorando, quando surgiu no telão o resultado da vitória de Jair Bolsonaro para Presidente do Brasil. Eu sai do II Jardim às 21h, pelo calçadão, ainda tinha gente chegando para comemorar.

Quando a Record anuncia o resultado final (Foto: Fernando Machado)

Uma carreata de veículos que não terminava. Jovens e crianças enrolados com a Bandeira do Brasil. Somente via isso nas Copas do Mundo. E coube ao Capitão unir os brasileiros. Conseguiu trazer de volta a brasilidade, que estava fora de moda. Uma lua esplendida testemunhou que todo poder emana do povo. E não esquecer que ontem era o Dia de São Judas Tadeu, o santo dos aflitos e das causas impossíveis. Não esquecer a queima de fogos de artifícios. Linda demais.

Ninguém segura a juventude do Brasil (Foto: Fernando Machado)

A partir de janeiro vamos ter um novo Brasil, sem mentiras, sem corrupções, com democracia e sem anarquia. O Brasil deverá ser passado alimpo. E lembrando a canção de Dom, da dupla Dom e Ravel, embalada para a Copa de 70: “Eu te amo, meu Brasil, eu te amo / Meu coração é verde, amarelo, branco, azul-anil / Eu te amo, meu Brasil, eu te amo / Ninguém segura a juventude do Brasil”. E como escreveu Nelson Ferreira “Quando o povo decide / Não há quem dê jeito”.