Fernando Machado

Blog

Categoria Na Sala da Justiça

Defensoria Publica

A ex-defensora pública geral de Pernambuco, Marta Freire, deve estar satisfeita com a notícia da aprovação da Defensoria Pública pela população do país. Uma Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas e da Associação dos Magistrados do Brasil, divulgada no início do mês, revelou que 78% dos brasileiros aprovam a atuação da Defensoria  Pública do País. Na gestão de Marta Freire, por exemplo, ela implantou diversos programas que continuam atendendo  a população.

Por exemplo: defensoria Amiga da Comunidade, aos sábados: atendimento nas Comunidades, Defensoria Sem Fronteiras, unindo Defensores de todo país em prol de uma determinada Área como a de Execução Penal, Direito de Família, Júris, ou seja, onde  área estiver mais carente de Defensores e outros programas mais. Marta Freire sempre será lembrada pela a sua grande contribuição na Defensoria Pública de Pernambuco.

Fernando Cerqueira & Jantar

O desembargador Fernando Cerqueira com a esposa Zulene Norberto o neto Henrique (Foto: Fernando Machado)

O desembargador Eurico Barros Correia e Edina, Ismênia Pires e o ministro Leopoldo Raposo (Foto: Fernando Machado)

O Pleno do Tribunal de Justiça de Pernambuco, composto pelos 52 desembargadores da Corte Estadual, se reuniu, quarta-feira, na Escola Judicial, sob a presidência do desembargador Adalberto de Oliveira Melo, para a eleição na nova Mesa Diretora da instituição para o biênio 2020/2020. Conforme esta coluna antecipou o vencedor para presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, foi o desembargador Fernando Cerqueira Norberto dos Santos, atual corregedor geral da Justiça.

Os desembargadores Jones Figueiredo, Adalberto de Oliveira Melo e Evandro Magalhães Melo (Foto: Fernando Machado)

O desembargador Cândido Saraiva e Nara (Foto: Fernando Machado)

O desembargador Luiz Carlos de Barros Figueiredo e Maria Tereza (Foto: Fernando Machado)

Também foram eleitos para o 1º vice-presidente o desembargador Eduardo Paurá Filho, para o 2º vice-presidente o desembargador Candido Saraiva e para Corregedor-Geral o desembargador Luiz Carlos de Barros Figueiredo. Os magistrados deverão assumir os cargos em fevereiro de 2020. Depois da cerimônia de eleição aconteceu um jantar de adesão em torno do futuro presidente do TJPE, Fernando Cerqueira, na churrascaria Spettus de Boa Viagem.

O jornalista Joezil Barros e Neide (Foto: Fernando Machado)

As advogadas Maly Vita e Renata Guimarães (Foto: Fernando Machado)

Na Sala da Justiça

O Pleno do Tribunal de Justiça de Pernambuco, composto pelos 52 desembargadores da Corte Estadual, se reúne hoje, às 17h, para a eleição na nova Mesa Diretora da instituição. A votação ocorre na Escola Judicial, localizada ao lado do Fórum do Recife. Os quatro eleitos para os cargos de presidente, vices e corregedor assumirão a condução do Judiciário no biênio 2020/2022.

O desembargador Fernando Cerqueira e sua esposa Zulene Norberto (Foto: Fernando Machado)

A nova Mesa Diretora deverá ficar assim constituída: presidente desembargador Fernando Cerqueira, o 1º vice-presidente desembargador Eduardo Paurá, o 2º vice-presidente desembargador Candido Saraiva e o Corregedor-Geral desembargador Luiz Carlos de Barros Figueiredo. Os magistrados deverão assumir os cargos em fevereiro de 2020.

Cidadania com Vez e Voz

O projeto Cidadania com Vez e Voz idealizado pela Promotora de Justiça Dalva Cabral, quando assumiu a coordenação do Centro de Apoio Operacional às Promotorias. Hoje, está institucionalizado pelo Ministério Público de Pernambuco. Já foram visitados 26 municípios de Pernambuco e semana passada, realizado o primeiro projeto na Capital, em parceria com o Colégio Santa Maria, que doou livros e cestas básicas para a comunidade de Três Carneiros.

A promotora Dalva Cabral e o professor Borba, do Santa Maria (Foto: Instagram)

O Major PM conversando com essas garotinhas (Foto: Instagram)

A promotora sempre profere uma palestra de abertura sobre os eixos da Cidadania, a comunidade responde formulários sobre políticas públicas, drogas, violência contra idoso, mulher,  pessoa com deficiência, acessibilidade, discriminação, bullying, inclusão social etc e fazemos a escuta ativa, bem como a coleta de denúncias de cada comunidade. Na sequência, buscamos solução e resolutividade. Sem dúvida, um trabalho de muito importante.