Fernando Machado

Blog

Categoria Momento de Reflexão

O batismo de Maria Eduarda

A Igreja da Madre Deus com seu estilo Maneirista datada 1720, cujo altar-mor é deslumbrante todo recheado de talhas barrocas do século XVIII, é a mais antiga do Recife. Quando a Igreja do Corpo Santo, a primeira instalada no Recife Antigo, foi demolida, em 1913, todo seu acervo de imagens foi transferido para a Madre Deus. Pois bem, nesse cenário deslumbrante que sábado pela manhã, foi realizado o batismo de Maria Eduarda, que usou um vestido da figurinista Amanda Barcala, filha de Ana Luisa Wanderley e Breno Vieira.

Frei França erguendo Maria Eduarda e Frei França dando a abenção para Clovis, Ana Carolina, Ana Luisa, Maria Eduarda e Breno (Foto: Divulgação)

A cerimônia foi presidida pelo Frei Luiz de França Fernandes que emocionou a todos pela sua erudição religiosa. Diante da imagem de Nossa Senhora Madre Deus, que repousa no retabulo do altar mor, Frei França falou sobre o significado do nascimento de São João, via a fogueira e lembrou que São Nicodemos defendeu Jesus Cristo no Sinédrio e sepultou-o. Depois Frei França com uma estola linda from Santuário de Fátima, de Portugal, convidou os pais de Maria Eduarda, assim os padrinhos Clovis Wanderley Neto e Ana Carolina Wanderley para a liturgia batismal.

Sheila Wanderley e a neta Maria Eduarda rindo à toa (Foto: Divulgação)

Na sequencia em procissão todos foram até a pia batismo, localizada na frente da Matriz, para a cerimônia da efusão. Frei França seguiu na frente dos padrinhos, segurando à vela, dos pais, da avó materna Sheila Wanderley e dos avôs paternos José e Sandra Vieira, até o local onde seria realizado o sacramento que abre as portas da vida cristã para a criança, incorporando-a a comunidade Católica, ao grande Corpo Místico de Cristo, que é a Igreja em si. O batismo significa imergir “na morte de Cristo e ressurgir com Ele como nova criatura”.

Maria Eduarda  em tempo de efusão, Fei França com Ana Luiza, Maria Eduarda e Breno (Foto: Divulgação)

Depois ainda em procissão todos retornaram pela nave central para o altar mor onde aconteceu a benção final. Frei França ergueu Maria Luiza para ao alto e ao entrega-la para os pais cantou, que voz bonita ele tem: “Oh, Minha Senhora e também minha mãe / Eu me ofereço inteiramente, todo a vós / E em prova da minha devoção, eu hoje vos dou meu coração / Consagro a vós meus olhos, meus ouvidos, minha boca / Tudo o que sou, desejo que a vós pertença / Incomparável mãe, guardai-me e defendei-me / Como filha e propriedade vossa, Amém”.

Sheila Wanderley ao lado das filhas Ana Carolina e Ana Luiza e das netas Maria Eduarda e Alice (Foto: Divulgação)

Ao final do sacramento do batismo Sheila Wanderley movimentou um almoço, de se comer rezando para Nossa Senhora Madre Deus. Foi um festival de massas. Para sobremesas, doce de goiaba, uvinha recheadas, os doces foram de Simone Barros, os bem casados de Dona Wilde e o bolo de Lucia Cascão.  É bom lembrar que estava apenas a família Wanderley, Vieira e Sobral. E claro que este cronista, afinal de contas sou amigo de Sheila há muito tempo.

 

Momento de Reflexão

O Papa Francisco nomeou como arcebispo da Paraíba, Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, que era bispo de Campina Grande. A Arquidiocese da Paraíba estava sob comando de Dom Genival Saraiva de França, desde a renúncia de Dom Aldo Pagotto. A posse canônica de Dom Delson, que é baiano como 7º Arcebispo Metropolitano, está marcada para o dia 20 de maio.

Dol Delson e Dom Rubival (Fotos: Jornal da Paraíba e Reprodução)

Entre os dias 21 e 25 de março, em Grajau, no Maranhão, acontecerá a Acolhida e Posse de Dom Rubival Cabral Britto, como bispo daquela Diocese. A cerimônia será realizada no próximo dia 25, às 9h, na Catedral de Nosso Senhor do Bonfim. Dom Rubival substitui dom Franco Cuter que se aposentou por ter completado 75 anos.

Viva Nossa Senhora da Paz!

O diacono Sergio Santana e o Padre Cosmo (Foto: Fernando Machado)

Ontem, à noite tivemos o encerramento da Festa de Nossa Senhora da Paz, na Igreja do Largo da Paz. Primeiro tivemos uma procissão saindo da Capela de São Miguel até a Igreja de Nossa Senhora da Paz. À frente estava o pároco padre Cosmo Francisco do Nascimento. Quando o andor chegou ao átrio, do templo, os sinos repicaram e tivemos queima de fogos. É bom lembrar que os sinos foram inaugurados em março de 1928.

Um anjo da guarda, Cristo na Cruz e Nossa Senhora da Paz (Foto: Fernando Machado)

Padre Cosmo Francisco do Nascimento quando falava para a assembleia (Foto: Fernando Machado)

O templo é datado do século XVIII, pois a comunidade de Afogados tinha uma capela, em 1785, como capela, em maio de 1873, foi transformada na igreja de Nossa Senhora da Paz e no dia 6 de maio de 1873, virou paróquia de Nossa Senhora da Paz. Seu primeiro vigário foi o padre Cristovão de Holanda Cavalcanti. A igreja somente ficou concluída em 1787. De sua construção original, no estilo neo-clássico, restou apenas à fachada, pois no dia 3 de junho de 1963 o templo desmoronou.

Padre Cosmo entre Katia McCarthy e Marinanda Carvalho (Foto: Fernando Machado)

Vista do altar mor do inicio da nave central (Foto: Fernando Machado)

A missa presidida por Padre Cosmo Francisco do Nascimento foi muito solene. Ele entrou em procissão usando uma casula branca com a imagem de São José sob os aplausos da assembleia. O ministério musical foi com o Coral Regina Pacis, de 14 vozes, regido pelo maestro João Batista de Melo. A comentarista foi Isabel Viana. A primeira leitura foi lida por Maria da Conceição Amaral, o Salmo foi cantado por Virginia Leite, e a segunda leitura coube a Marcelo Pimentel.

Cerimônia de inauguração dos sinos da igreja em março de 1928 (Foto: Revista da Cidade)

Maria da Conceição Amaral e Marcel Pimentel (Foto: Fernando Machado)

A liturgia da palavra foi feita pelo diácono Sérgio Santana, que no dia 9 de dezembro será ordenado padre. E a homilia coube ao Padre Cosmo Francisco do Nascimento. Padre Cosmo encerrou cantando  “Eu era pequeno, nem me lembro / Só lembro que à noite, ao pé da cama / Juntava as mãozinhas e rezava apressado / Mas rezava como alguém que ama / Nas Ave – Marias que eu rezava / Eu sempre engolia umas palavras / E muito cansado acabava dormindo / Mas dormia como quem amava / Ave – Maria, Mãe de Jesus”.

O andor de Nossa Senhora ingressando pela nave central (Foto: Fernando Machado)

Tatiana Marques diante a imagem da Sagrada Família (Foto: Fernando Machado)

O destaque a cerimônia foi o canto da Ladainha de Nossa Senhora. Encerrada a Santa Missa a assembléia reunida na Igreja cantou o Hino de Nossa Senhora da Paz. Foi muito emocionante. E assim se passou a cerimônia religiosa com os olhos se enchendo de lágrimas e a cabeça repleta de fé, esperança e caridade. Balanço da noite: Padre Cosmo Francisco do Nascimento é mesmo o bom pastor.

José Carlos Faustino e o diácono Sérgio Santana (Foto: Fernando Machado)

Momento de Reflexão

Amanhã na Igreja de Nossa Senhora da Soledade, na Rua da Soledade, entre 17h30 e 20h30, o padre Paulo Sergio Sérgio Vieira Leite vai realizar uma celebração de Ação de Graças pelo ano de 2016. Vamos ter confissões, adoração ao Santíssimo, missa e momento cultural. É uma promoção do Vicariato Recife Soledade e Novas Comunidades.

Padre Rinaldo Pereira nos convida para a Missa da Vigília do Natal, no próximo dia 24, e para a Missa do Natal, às 11h, na Igreja da Madre Deus. Também no Dia de Natal vamos ter às 17h, missa na Igreja de Nossa Senhora do Pilar. Às 19h, na Madre Deus, será oferecido jantar para as pessoas da Comunidade do Pilar.