Fernando Machado

Blog

Categoria Corpo Consular

Parabéns, Alemanha!

Betânia Correia de Oliveira, Roberto e Maria de Siqueira Regueira (Foto: Fernando Machado)

Gilberto Freyre Neto e Maria Könning de Siqueira Regueira (Foto: Fernando Machado)

A Data Nacional da Alemanha foi comemorada, ontem, à noite no Forte de Cinco Pontas, ou Forte de São Tiago das Cinco Pontas. O Forte é uma construção no melhor estilo de edificação holandesa do século XVII, construído pelo engenheiro holandês Tobias Commersteijn e com a direção de obras de Peter Van Buerer.

Ana Laura e Guido Stütz (Foto: Fernando Machado)

Sua construção foi providenciada para garantir o suprimento d’água das cacimbas de Ambrósio Machado, no extremo sul da ilha de Antônio Vaz, único lugar onde havia água potável no Recife, assim como para impedir que barcos inimigos penetrassem pelas áreas baixas do Rio Capibaribe.

O cônsul geral dos Estados Unidos, John Barrett, Mariana Cunha e cônsul para Assuntos Administrativos dos EUA Luis Reinoso (Foto: Fernando Machado)

Em 1654, as forças brasileiras e portuguesas, comandadas por André Vidal de Negreiros e pelo general Francisco Barreto de Menezes, finalmente derrotaram os holandeses e ocuparam o Forte das Cinco Pontas, tendo a rendição ocorrido na Campina do Taborda, porta sul da cidade, nos arredores do Forte.

O diplomata Carlos Alberto Asfora e o vice-cônsul de Portugal Marco Ferreira de Melo (Foto: Fernando Machado)

Em 1677, após a rendição dos holandeses, o forte foi reconstruído em pedra e cal com apenas quatro baluartes.  Seu nome foi mudado para Forte de São Tiago, mas o povo, fiel a sua origem, logo o chamou de São Tiago das Cinco Pontas.

A diretora do Hospital Naval, Cristina Heuseler e comandante dos Portos Mauricio Bravo (Foto: Fernando Machado)

Com a expansão da cidade o forte perdeu seu sentido de defesa e ganhou novos usos. Nos séculos XVIII e XIX funcionou com prisão e mais tarde como quartel militar. Em 1938 foi tombado como patrimônio nacional e, em 1980 foi restaurado e a partir de 1982 passou a sediar o Museu da Cidade do Recife. Ali podíamos contabilizar muitas histórias que passeiam em nossas mentes, noutras não.

O cônsul da Italia, Gabor de Zagon e a consulesa Iohanna Weiss (Foto: Fernando Machado)

O pátio interno do Forte repousam sete palmeiras imperiais imponentes. Encravado na parede principal do museu está um santuário de São Tiago. Pois foi neste cenário repleto de história que a cônsul geral da Alemanha, Maria Könning de Siqueira Regueira e o marido Roberto de Siqueira Regueira receberam os convidados para festejar os 30 anos da Queda do Muro de Berlim (25/11/1989), e os 70 anos de lei fundamental.

O cônsul geral do Japão Jiro Maruhashi, o general Pedro Paulo Braga e o brigadeiro César Farias Guimarães (Foto: Fernando Machado)

Os Siqueira Regueira ao lado da diretora do Museu, Maria Betânia Correia de Araujo recebiam os convidados. Coube a Bernardo Fialho comandar o cerimonial. Tudo começou com a execução dos hinos do Brasil e da Alemanha, composto por Haydn, pela banda Encore formada dois violonistas Carlos Santos e Jade Martins, Laila Campelo na Viola e Fabiano Menezes no Violoncelo. Na sequencia tivemos uma projeção de slides sobre a queda do Muro de Berlim.

O grafiteiro Johny Cavalcanti (Yone) e vice-cônsul da Alemanha Gil Berghoff (Foto: Fernando Machado)

Ainda tivemos a execução do hino da Comunidade Europeia, a 9ª Sinfonia de Beethoven com o solo de Fernando Almeida acompanhado pelo Ensemble Vocal Cantamus. Depois a cônsul geral Maria Könning de Siqueira Regueira e o secretário de Cultura, Gilberto Freyre Neto, fizeram suas saudações. O grafiteiro Yone (Johny Cavalcanti), subiu ao tablado para grafitar uma tela de 3m20x2m50, remetendo a Queda do Muro de Berlim, que será colocada na entrada da sede do Consulado Alemão. O Thiago Henrick Trio fez o fundo musical enquanto rolava o coquetel.

 

A diretora do Conservatório de Música Roseane Hazin e o quarteto Encore (Foto: Fernando Machado)

O coquetel foi grifado pela Camila Arruda Bufê. No cardápio canapés involtine de berinjela com tomate seco e rúcula, brochete de melão Orange com presunto Parma, capaccio de mignon com molho mostarda e lascas de parmesão e cestinha de bacalhau, linguiça alemã com chucrute, tartar de salmão, dip de camarão ao curry com coentro, panelinha de risoto de pera com presunto de Parma, panelinha de pene gratinado com molho de gorgonzola e moquequinha pernambucana com farofinha de dendê. Tudo isso regado a uísque, espumante, cerveja artesanal, sucos e refrigerantes.

O maestro Gilson Celerino e o Ensemble Vocal Cantamus (Foto: Fernando Machado)

Cleison Almeida e Camila Arruda responsáveis pelo bufê (Foto: Fernando Machado)

 

Parabéns, Republica Popular da China!

Shang Siynan e Yan Yuqink (Foto: Fernando Machado)

O Consulado Geral da China no Recife, leia-se a cônsul geral Yan Yuqing, comemorou ontem à noite, no Sheraton Reserva do Paiva, os 70 anos de fundação do seu país. Tudo aconteceu no Salão Luiz Felipe Brennand, que estava com uma decoração vistosa remetendo aos símbolos da China, grifada por Anderson Barbosa, onde o vermelho imperou, assim como os balões também vermelhos.

O brigadeiro César Farias Guimarães e Taciana Moury (Foto: Fernando Machado)

O general Pedro Paulo Braga e Tânia (Foto: Fernando Machado)

Nara e o desembargador Cândido José da Fonte Saraiva de Moraes (Foto: Fernando Machado)

Yan Yuqing, em grande noite num qipao, traje tradicional do seu país, recebia os convidados, ao lado do cônsul-geral Adjunto, Shang Siynan. Tivemos a execução dos hinos do Brasil e da China pela Orquestra Criança Cidadã. Coube a Luiza Gross comandar o cerimonial com direito a fala da diplomata Yan Yuqinga, por sinal muito bonita. Após sua fala a Orquestra Criança Cidadã e o Maestro Spok tocaram alguns frevos. E um grupo de passistas dançou o frevo rasgado.

O cônsul da Itália Gabor de Zagon com a tia Emma Ercoli e Elda Torres (Foto: Fernando Machado)

A cônsul geral da Alemanha Maria Konning de Siqueira Regueira e o cônsul geral dos Estados Unidos John Barrett (Foto: Fernando Machado)

O coronel Marcelo Succo e Carin (Foto: Fernando Machado)

Uma pena que o hino do nosso carnaval, Vassourinhas de Mathias da Rocha, foi deletado do programa. Somente no Recife acontecem essas coisas. Depois foi servido um jantar grifado pelos chefs Wen Gongshi com cardápio chinês e Fernando Fonseca com o cardápio brasileiro. Entre os itens destacamos rolinhos primavera, frango xadrez, legumes no vapor, camarão empanado, arroz frito de yangzhou. Como sobremesas tortas (banana e chocolate), jorgelin sorridente e bolo de lua.

Rafaela Ota e Leonardo Cerquinho (Foto: Fernando Machado)

Corpo Consular

Após uma cuidadosa análise da demanda de vistos e da capacidade dos serviços consulares já oferecidos em todo o Brasil, o Departamento de Estado dos EUA não construirá um novo consulado em Belo Horizonte em um futuro previsível. Contudo, os serviços de renovação de visto e coleta de dados biométricos oferecidos pelo Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto, já existentes na capital mineira, serão mantidos e oficiais consulares virão a Minas Gerais rotineiramente, e em casos de emergência, para prestar serviços aos cidadãos americanos.

O cônsul geral John Barret e o Encarregado de Negócios da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília William W. Popp (Foto: Fernando Machado)

Os serviços consulares continuarão sendo oferecidos pela Embaixada em Brasília e nos consulados gerais no Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Porto Alegre. Além disso, o Escritório da Embaixada dos EUA em Belo Horizonte continuará a promover intercâmbios educacionais, culturais e profissionais, bem como o comércio entre os Estados Unidos e Minas Gerais.  No Brasil em geral, os Estados Unidos estão investindo mais de US $ 1,2 bilhões nos próximos anos para construir um novo complexo na embaixada em Brasília e novas instalações nos consulados gerais no Rio de Janeiro e no Recife.

Um instante Maestro

Amanhã, às 19h, no Teatro de Santa Isabel, vamos ter um recital do violoncelista italiano, Pierluigi Ruggiero, com o apoio do Consulado da Itália. Ele já tocou em festivais com direção de maestros como G. Sinopoli, C. M. Giulini e R. Muti; venceu concurso em seu país em 1996 e em 2001 foi o único italiano a ganhar uma bolsa de estudos na Academia Liszt de violoncelo da Universidade de Budapeste.

O celista italiano Pierluigi Ruggiero novamente no Recife (Foto: Divulgação)

Ao seu lado estarão a pianista Liliana Michesen e o maestro Lines Lerner. No programa Camille Saint-Saens (1835/1921), Gabriel Fauré (1845/1924|), Felix Mandelssohn (1809/1847), Jacques Offenbach (1819/1890), Severio Mercadante (1795/1870), Heitor Villa-Lobos (1887/1959), Gaetano Braga (1829/1907) e Astor Piazzolla (1921/1992). Para quem gosta de música erudita é uma excelente opção.