Fernando Machado

Blog

Categoria casamento

Bodas de Ouro de Maria Alice e Claudio

Claudio Fernandes, Padre Fabio e Maria Alice Fernandes (Foto: Fernando Machado)

A Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem, foi fincada até a metade do século XVII, no território da Barreta, correspondendo toda a área costeira, que se estendia do Pina até Candeias. Não se tem conhecimento de uma fonte precisa que assegure a data da abertura da igreja. Em 1743 o templo já estava pronto. Em 1707, Balthazar da Costa Passos e sua esposa, Ana de Araújo Costa, doaram ao padre Leandro Camelo o local onde havia um “oratório” a Jesus e Maria. Em 1772 o altar foi entalhado pelo mestre João Pereira e dourado pelo artista Francisco Teixeira Ribeiro.

Claudio e Maria Alice com os filhos Daniel e Claudia (Foto: Fernando Machado)

Uma coisa é certa foi a Capelinha de Boa Viagem que deu nome à famosa praia. Em 8 de setembro de 1948, por decreto do Arcebispo Dom Miguel de Lima Valverde, foi criada a Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, com a elevação de sua igreja à categoria de matriz, sendo seu primeiro Pároco Monsenhor Romeu Vasconcelos de Sá Barreto, que aqui permaneceu de 1º de janeiro de 1949 a 6 de agosto de 1967, quando faleceu.

Ana Luíza Fernandes e Flavio Coelho (Foto: Fernando Machado)

Pois bem foi nesta Igreja, que Maria Alice e Claudio Fernandes promoveram uma missa em torno dos 50 anos de casados. Não esquecer que Claudio se batizou nesta igreja e os noivos se casaram na Igreja de Nossa Senhora do Perpetuo do Socorro em São Paulo. A missa foi conduzida pelo padre Fábio. O ministério musical, por sinal muito bom, foi com Marcos Eventos Religiosos.

Eliane Luna, Claudio e Maria Alice com Tania Spinelli (Foto: Fernando Machado)

A primeira leitura e o Salmo foram feitos pela filha Claudia. Terminado as benções a nora Ana Claudia Fernando pediu para Maria Alice e Claudio se beijarem. Maria Alice e Claudio têm três filhos, Eduardo, Daniel e Claudia; e sete netos. Foi uma cerimônia religiosa simples, mas muito bonita. Depois dos cumprimentos, os convidados receberam um mimo (uma caixa com doces de nozes, hóstia, castanha, bom-bocado de chocolate e amêndoa).

Carlos Henrique Barbosa e a irmã Taciana (Foto: Fernando Machado)

O Sim de Maria Eduarda e Rodrigo

Dos mais bonitos o casamento de Rodrigo Tavares Correia e Maria Eduarda Matos, by Maison que aconteceu na Capela do Menino de Jesus, em Boa Viagem. A cerimônia será presidida pelo Padre Francisco Barreto. A decoração estava belíssima em orquídeas e rosas branca e muitas folhagens.

Rodrigo e sua avó Suzana Tavares Correia; Maria Eduarda Matos, Rodrigo Tavares Correia e Frei Francisco Barreto (Fotos: Face)

A recepção aconteceu na Arcádia de Boa Viagem. Para as danças tocou a Banda de Kelvim Duran. A mãe da noiva, Juliana Matos estava muito feliz. A avó Suzana Tavares Correia e a mãe do noivo, Ana Paola Tavares Correia, usaram modelos da Neiman Marcus de Miami. O bolo foi assinado por Lucinha Cascão.

Amanda, Clóvis e Recepção

Os noivos Clovis e Amanda (Foto: Fernando Machado)

Na Usina Dois Irmãos a gente pisa em parte da história do saneamento recifense. Como frisei ontem tudo começou no século XIX, quando os ingleses a construíram para sediar a Companhia do Beberibe, o que corresponde a uma companhia de abastecimento de água. O terreno era numa riquíssima reserva da mata atlântica e a Companhia do Beberibe foi inaugurada no dia 1 de julho de 1887. Localizada no pátio do antigo e tradicional Engenho Dois Irmãos, a Companhia do Beberibe emergiu como referência de modernidade em pleno Século XIX.

Sheila, Clovis Fernando e Ana Carolina WAnderley (Foto: Fernando Machado)

A mãe do noivo Linda Wanderley (Foto: Fernando Machado)

Amanda Barcala e Clóvis Wanderley Vinhosa receberam os convidados neste lindo set, que estava maravilhoso graças a decoração de Paulinho Melo. O grande salão foi divido em duas partes. Na maior ficaram as mesas e na outra o dancing, o palco onde subiram Neto Brayne, Nanara Belo e o próprio noivo que tinha uma banda. O DJ Wagner Campos apresentou um repertório que agradou a gregos e troianos. No espaço onde estavam os doces de Dona Brigadeiro e Benta Brigadeiro e o bolo de quatro andares by Lucinha Cascão, uma cortina de folhas de jasmins, rosas, lírios e orquídeas deu o tom de beleza.

Os irmãos João Alberto e Maria do Carmo Martins Sobral (Foto: Fernando Machado)

As irmãs Ana Luiza e Ana Carolina Wanderley (Foto: Fernando Machado)

A decoração do salão principal remetia a um imenso jardim. Do teto caiam 18 luminárias de madeira e ainda um pergolato de galhos secos tendo como contraponto esferas de vidro com orquídeas.  O bufê de a gente comer rezando para Nossa Senhora de Fátima foi grifado pela Blu’Nelle, leia-se o chef Welllington Correia. No coquetel volante tínhamos salada vietnamita com camarão, carpaccio de filé mignon, com emince de rúcula e chips de parmesão; lichia com creme de framboesa na cama de amêndoas.

Sheila Wanderley, tia do noivo (Foto: Fernando Machado)

Clóvis Fernando Wanderley, Amanda Salles e Paulo Queiroz Neto (Foto: Fernando Machado)

No coquetel quente podia-se degustar funil com creme de palmito e lâminas de Parma, folhadinho Philadelphia, real de queijos finos com frutas secas, dadinho de tapioca com queijo de coalho e geléia de pimenta, cestinha de gruyere no perfume de canela, tartalete de salmão ao siciliano, mini quiche de cordeiro com geléia de menta, guiyoza ao molho ponzu, ninho de filé mingnon com alho poro e mostarda Dijon, camarão com crisp de coco ao molho agridoce picante, camarão crocante com molho de rapadura.

Felipe Cadena e Camila Marinho (Foto: Fernando Machado)

Francisco Monteiro e Dafne Barcala (Foto: Fernando Machado)

Também tivemos mini entradas creme de siri com farofinha de dendê, canelone de queijos finos com tomate seco ao perfume de manjericão; rondelli de filé migon, ao molho cremoso de Shiimeji, musselin de bacalhau com fios de alho poro, gratinado com Grana Padano; arroz cremoso de bacalhau; anel de abóbora com camarão (uma delicia), peru com molho chutney, farofa Brunelle, pernil defumado, lamina de lombo marinado ao azeite de ervas, terrine que queijos finos; saladas (pernambucana, italiana e Bru’Nelle).

Os pais do noivo João Vinhosa e Linda Wanderley (Foto: Fernando Machado)

Os pais do noiva Ocir Marques e Mayra Barcala (Foto: Fernando Machado)

Não esquecer de que mulheres elegantes estavam no casamento, como Linda, Sheila, Ana Luiza e Ana Carolina Wanderley by Maison, Amanda Barcala, Camila Marinho, Dafne Barcala, Livia Barroso, Aline Almeida, Theresa Camilo. De parabéns o gerente Robson Pontes e o maitre Edson Luiz, da Brunelle, sempre atenciosos e competência.

Pedro Henrique Carvalho e Aline Almeida (Foto: Fernando Machado)

A elegante Theresa Camilo (Foto: Fernando Machado)

 

O Sim de Amanda e Clóvis

Os pais e os noivos diante da juíza (Foto: Fernando Machado

Sábado, quando acontecia o por do sol tivemos o casamento civil Amanda Barcala e Clóvis Wanderley Vinhosa na Usina Dois Irmãos. O local tem muita história. Tudo começou no século XIX, quando os ingleses a construíram para sediar a Companhia do Beberibe, o que corresponde a uma companhia de abastecimento de água. O terreno era numa riquíssima reserva da mata atlântica e a Companhia foi inaugurada no dia 1 de julho de 1887.

Roberta Barcala, Clovis Vinhosa e Amanda Barcala (Foto: Fernando Machado)

Localizada no pátio do antigo e tradicional Engenho Dois Irmãos, a Companhia do Beberibe emergiu como referência de modernidade em pleno Século XIX. Sua construção é no estilo neoclássico e todo seu material veio da Inglaterra. Destaque-se o teto de estrutura metálica, ainda preservada. No local onde se encontrava a antiga estação ferroviária construída, na década de 50, está a Praça Faria Neves, projetada pelo paisagista Roberto Burle Marx.

João Vinhosa, Linda Wanderley, Clovis, Amanda, Ocir Marques e Mayra Barcala (Foto: Fernando Machado)

A cerimônia civil aconteceu na área externa que recebeu uma decoração bonita assinada por Paulinho Melo. Na nave onde aconteceu o cortejo tinha sete pares de arranjos (cestos em pé e deitados, peças rústicas e uma jardineira). Paulo ergueu um carramanchão onde se podia observar uma nuvem de gipsofilas, lírios, rosas e gérberas. Abaixo da mesa onde a juíza Roberta Barcala presidiu a cerimônia, repousava uma jardineira com estas flores.

Os noivos com as daminhas Alice Wanderley, Adelia Lima e Duda Wanderley (Foto: Sheila Wanderley)

Sobre a platéia de convidados tinha uma gambiarra com luminárias de ferro estilo industrial. Primeiro entraram os padrinhos do noivo ao som de Over the Rainbow e os da noiva com You Raise Me Up. O noivo Clóvis Wanderley Vinhosa muito elegante by Hugo Boss entrou ao lado mãe, Linda Wanderley esplêndida num modelo da Maison, tendo como fundo musical I’ll be there. As daminhas, Adélia Vitória Lima, Alice e Duda Wanderley surgiram com a trilha sonora Beauty and the Beast.

Lívia Barroso e Osvaldo Marques (Foto: Fernando Machado)

A noiva Amanda Barcala estava belíssima num modelo linha princesa de tule e com aplicações de renda, confeccionado por ela, pois é estilista. Ela entrou na nave central com o pai Ocir Marques. Os noivos estavam visivelmente emocionados. Clovis leu um bela declaração de amor para Amanda que leu também outro texto poético. Amanda e Clovis deixaram o local ao som de Com te Partiro. O conjunto de Cinthia Morais , aliás muito bom, tocou para a cerimônia. Amanhã escreverei sobre a recepção.

A soprano Cinthia Morais e o tenor Diel Rodrigues (Foto: Fernando Machado)

 

  • 1 2