Fernando Machado

Blog

Categoria artes plásticas

Italian Design Day

Italian Design Day será marcado com a palestra Uma viagem pelo design Italiano em dez histórias, no próximo sábado, numa realização do Consulado da Itália Recife, leia-se o cônsul  Gabor de Zagon, com o apoio do Instituto Ricardo Brennand. O evento é gratuito, com tradução simultânea, e será realizado das 10h às 12h. A especialista em design e jornalista Chiara Alessi irá abordar desde o nascimento da famosa cafeteira Moka Bialetti, a outros ícones do Made in Italy

Chiara Bialetti falará sobre o design italiano (Foto: Divulgação)

Imagens de arquivo, vídeos e histórias pessoais serão os ingredientes desta conferência que mostrará ao público como o design italiano é, em primeiro lugar, um grande romance, repleto de personagens, lugares e atmosferas, que não se encontram em nenhum outro lugar do mundo. Nos anos 50, a Itália se tornou a líder mundial em design. Os especialistas italianos começaram a usar novos materiais, como plástico, acrílicos e borracha, atribuindo uma variedade estética maior aos produtos.

Sala Lybia Queiroz Maranhão

Margot Monteiro e Sydia Maranhão (Foto: Eunice Couto)

Margot Monteiro, Gilberto Freyre Neto e Marta Freire (Foto: Eunice Couto)

O Museu do Estado, cuja diretora é a artista plástica Margot Monteiro, inaugurou mais um ambiente na Casa. Estamos nos referindo à Sala Lybia Queiroz Maranhão. Nela está uma sala de estar composto de 13 peças, do século 19. Um conjunto com marquesão e quatro cadeiras com braços, uma escrivaninha com cadeira, dois tapetes sendo um francês de parede e três lustres (dois de cristais e um em bronze).

Maria Digna Pessoa de Queiroz, Sydia Maranhão, Thereza Lapa Carneiro de Albuquerque e Vera Correa de Araujo (Foto: Eunice Couto)

Para enriquecer mais o local, o arquiteto Carlos Augusto Lira fez a montagem, completou com uma sala de jantar do acervo do museu, assim como cinco quadros do pintor pernambucano Teles Junior (1851/1914). O Museu do Estado de Pernambuco foi criado em 8 de fevereiro de 1929, pelo Governador Estácio de Albuquerque Coimbra. Seu primeiro diretor foi o jornalista Aníbal Fernandes.

Betânia Peixoto e Hilda Queiroz (Foto: Eunice Couto)

Na cerimônia de inauguração do espaço tivemos duas falas: a da diretoria Margot Monteiro e a do Secretário de Cultura, Gilberto Freyre Neto. Ambos enalteceram o valor da doação feita pela família de dona Libinha Maranhão (1917/2015), via Sydia Maranhão. Depois foi servido um coquetel cortesia do Clã Maranhão. Muita gente da família da homenageada, e amigas principalmente aquelas frequentavam os almoços que Libinha oferecia na sua casa às quartas-feiras, fizeram questão de participar do encontro.

Maria do Carmo Calado, Gilberto Freyre Neto e Rinaldo Carvalho (Foto: Eunice Couto)

Informação cultural: O palacete é do século XIX, pertenceu a Augusto Frederico de Oliveira, filho do Barão de Beberibe, tornou-se sede própria do Museu do Estado de Pernambuco a partir de 1940. No começo do século XX, o prédio foi modificado com o acréscimo do segundo pavimento e, em dezembro de 1951, foi incorporado ao patrimônio do Museu um novo pavilhão, denominado de Anexo I, ampliando o espaço cultural para novas atividades.

Geralda Farias (Foto: Eunice Couto)

Os historiadores Reinaldo Carneiro Leão e José Luiz da Mota Menezes (Foto: Rinaldo Carvalho)

Vernissage de Mickey Mouse

Sexta-feira tivemos o vernissage da exposição Mickey 90 anos no shopping JK Iguatemi São Paulo, com o apoio da Faber Castell e CVC. A reunião contou com convidados vips. Voltada para todos os públicos e idades, a exposição com mais de 840 metros quadrados celebrará o legado e a história de Mickey Mouse por meio de 12 ambientes interativos, além de uma loja.

Larissa Murais e Gabriel Chadan (Foto: Lu Prezia)

A mostra ficará aberta ao publico até o dia 21 de abril. Pela primeira vez no Brasil, o personagem mais famoso do mundo tem uma mostra exclusiva em sua homenagem. A magia começa em um túnel do tempo com as evoluções do personagem, seguindo para uma réplica dos estúdios de Walt Disney – onde tudo começou – com mesas de luz e flipbooks para o público interagir e entender os princípios da animação.

Um sucesso o vernissage de Joana Lira

Joana entre os pais Carlos Augusto Lira e Bete Paes (Foto: Josivan Rodrigues)

A artista plástica e designer Joana Lira aterrissou terça-feira, no Centro Cultural Cais do Sertão, com a exposição Quando a Vida é uma Euforia, com a curadoria de Mamé Shimabukuro e com produção de Carla Valença, da Relicário, em ritmo de carnaval. Essa mostra foi apresentada no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo com o maior sucesso. Joana Lira recebia os convidados, em grande noite, num modelo vermelho da Avesso, leia-se Cris Pontual.

O secretário de Turismo Rodrigo Novaes (Foto: Fernando Machado)

A colunista social Roberta Jungmann (Foto: Fernando Machado)

Sem dúvida um revival dos carnavais do Recife entre 2001 e 2011. No térreo vários totens de figuras carnavalescas criadas por ela para o tríduo momesco daqueles anos. As cores fortes e os traços criativos misturaram a tradição com o moderno. Também tivemos na entrada a apresentação do afoxé Omô Nilê Ogunjá. Sem dúvida um verdadeiro auê. A exposição gratuita Quando a vida é uma euforia, fica em cartaz no Centro Cais do Sertão, no Recife Antigo, até o dia 17 de março.

O competente jornalista Phelipe Rodrigues (Foto: Fernando Machado)

A bonita executiva Roseana Gonçalves (Foto: Fernando Machado)

A exposição continuava no segundo andar do Centro Cultural Cais do Sertão, na Sala São Francisco e no Espaço Umbuzeiro. E quem quisesse chegar até lá, passava por uma cortina de fitas metálicas coloridas, até alcançar o elevador. O efeito ficou deslumbrante. Nos dois salões do segundo andar, estavam expostas obras feitas para reverenciar os homenageados do carnaval durante os dez anos: Ariano Suassuna, Lula Cardoso Ayres, Abelardo da Hora, Cícero Dias, Vicente do Rego Monteiro e Tereza Costa Rêgo.

A senhora Gracinha Pereira Gomes (Foto: Fernando Machado)

O jovem tricolor Pedro Caldas também prestigiou Joana (Foto: Fernando Machado)

Materiais audiovisuais, incluindo um documentário, deram o tom multimídia na mostra. As crianças que foram curtiram muito os tambores espalhados no salão. Hoje, das 16h às 18h, no Espaço Umbuzeiro acontece uma experiência sonora com Maurício Badé: diretor musical da exposição, o músico, percussionista, estudioso da música negra brasileira convida o público para uma troca sobre o leque sonoro da mostra. Tivemos também um coquetel com petiscos do Seu Boteco acompanhados da cerveja Ekaut.

 

  • 1 2 7