Fernando Machado

Blog

Categoria futebol

Um jogo inesquecível do Santa Cruz  

Há 100 anos, o Santa Cruz vencia o poderoso Botafogo do Rio de Janeiro, no Campo do Malaquias, do Sport, por 3×2. Foi o primeiro time do norte e nordeste a vencer um time carioca. Os gols foram de Nequinho, Tiano e Miranda pelo tricolor do Arruda e Patriot (2) pelo alvinegro carioca. Naquela tarde os rubro-negros inauguravam sua arquibancada que compraram ao Fluminense do Rio de Janeiro.

O time do Santa Cruz (Reprodução do site Memórias do Santa Cruz)

O Santinha jogou com Ilo Just, Jorge e Bebé; José de Castro, Teofilo e Manoel Pedro, Neguinho, Miranda, Tiano, Pitota e Eurico. O Botafogo jogou com Abreu, Monte e Osny; Burlamaqui, Vadinho e Police, Celso, Patriot, Zé Macaco, Menezes e Leite de Castro. Não esquecer que naquela data estava no Recife, o Pai da Aviação Alberto Santos Dumont.

O time do Botafogo Futebol e Regatas (Reprodução do site Memórias do Santa Cruz)

A torcida do Mais Querido invadiu o centro da cidade. Santos Dumont estava no restaurante Leite, parece, e quando viu aquele alvoroço na Rua da Concórdia, pensou que era para ele. Ficou desapontado, pois os torcedores carregavam Tiano que deu a vitória ao Santa Cruz. Depois ele comentou que torcida animada é essa.

O goleiro Ilo Just um dos grandes nome da tarde e o troféu que o Santinha recebeu pela vitória (Fotos: Diário da Manhã e Edvaldo Leite)

Não esquecer que o juiz carioca, Carlos Nery Stelling, que veio na delegação da embaixada botafoguense, marcou um pênalti inexistente para o Botafogo. O Santa Cruz vencia por 2×1 e Patriot empatou o jogo. Mas no final da partida Tiano fez o gol da vitória e levou a torcida à loucura.

Caioba Soccer Camp

Zetti, Juninho Paulista, Djalminha, Diego Souza, Kaká e Digão (Foto: Divulgação)

Entre os dias 14 e 16 de setembro, no Club Med Lake Paradise, em Mogi das Cruzes, São Paulo, aconteceu o IV Caioba Soccer Camp. O evento promove uma experiência esportiva completa para pais e filhos. Foi com esse objetivo que o comentarista e ex-jogador de futebol Caio Ribeiro e a Turn on the Light, dos sócios Tico Sahyoun e Antônio Khoury, criaram o Caioba Soccer Camp.

Juninho Paulista, Djalminha e Kaká (Foto: Divulgação)

Entre os participantes, estavam Davi Lucca, filho do Neymar; João, filho do comentarista Caio Ribeiro, e Luca, filho de Kaká. Para essa edição, Cafu – último capitão campeão mundial pela Seleção Brasileira, Kaká, Zetti, Juninho Paulista, Djalminha e Diego Souza marcaram presenças nas atividades.

Zeti dando as dicas para os atletas mirins (Foto: Divulgação)

Passaram também pelo evento Carol Dantas, Carol Dias (namorada do Kaká) e a blogueira Maria Rudge Albuquerque, além dos YouTubers do Vosso Canal, Juninho e Rossini, além de Alê Xavier, do Desimpedidos. A próxima edição será realizada nos Estados Unidos, durante a Florida Cup, entre os dias 6 a 13 de janeiro de 2019, na cidade de Orlando, Flórida.

Carol Dantas recebendo o carinho do filho David Lucca (Foto: Divulgação)

O Hexa é Luxo

Há 50 anos, o estádio dos Aflitos, com um publico de 30 mil (23.920 pagantes), torcedores, acontecia uma partida que marcaria a imagem do Clube Náutico Capibaribe, pois ao vencer o Sport por 1×0, gol de Ramos, era hexacampeão de futebol de Pernambuco. O jogo foi apitado pelo juiz Erílson Gouveia e depois substituído por Armando Tavares.

O time que levou os torcedores à loucura (Foto: Náutico)

O Nautico jogou com Walter, Gena, Matias, Limeira e Toinho; Jardel (Ede) e Ivan; Miruca (Rato), Ramos, Nino e Lala. O tecnico foi Duque. O Sport jogou com Miltão, Valdeci, Bibiu, Gilson e Altair (Zequinha); Valter e Soares; Acelino, Zezinho e Garcia (Cesar). O técnico Zezé Moreira.

Há 60 anos o Brasil era Campeão do Mundo

Hoje faz 60 anos, que o Brasil ao vencer a Suécia por 5×2, no Estádio Rásunda, em Estocolmo, era campeã mundial de futebol pela primeira vez. Era uma seleção de dar gosto aos brasileiros. A Copa começou em 8 de junho e terminou em 29 de junho de 1958. Com a participação de 16 seleções, na sua maioria européia: Suécia, Alemanha Ocidental, Áustria, França, Republica Tcheca, Hungria, União Soviética, Iugoslávia, Inglaterra, Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales. Pela América Latina estavam o Brasil, a Argentina, o México e o Paraguai.

A delegação brasileira que foi até Suécia (Foto: O Cruzeiro)

Castilho, Dida e Didi (Foto: O Cruzeiro)

Dino Sandi, Djalma Santos e Garrincha (Foto: O Cruzeiro)

No primeiro jogo, o Brasil venceu a Áustria por 3 x 0. Os gols foram de Mazolla (2) e Nilton Santos. No segundo o Brasil empatou com a Inglaterra em 0 x 0 e no último o Brasil venceu a União Soviética por 2 x 0. Os dois gols foram do pernambucano Vavá. Começa as Quartas de Finais. No dia 19 de junho Brasil venceu o País de Gales por 1 x 0. O único gol foi de Pelé. Chega a semifinal e o Brasil vence a França por 5 x 2. Os gols foram de Vavá, Didi e Pelé (3). Finalmente aconteceu a final e o Brasil vence a Suécia, novamente por 5 x 2. Os gols foram de Vavá (2), Pelé e Zagalo.

Gilmar, Joel e Mauro (Foto: O Cruzeiro)

Mazzola, Moacyr e De Sordi (Foto: O Cruzeiro)

Nilton Santos, Oreco e Orlando (Foto: O Cruzeiro)

Terminada a Copa do Mundo de 1958, Pelé marcou 6 gols, Vavá 5, Mazzola 2, Didi, Nilton Santos e Zagallo 1. Daquela seleção estão vivos apenas seis craques: Dino Sani, Zagallo, Pelé, Moacir, Mazzola e Pepe. O nosso capitão foi um só para toda a competição. O bonito, educado e elegante Bellini. Seu pai era descendente de italiano e caminhoneiro, que não queria o filho fosse jogador de forma alguma. E Bellini excursionou como barbeiro, para enganá-lo. Foi dele o gesto imitado pelos demais capitães: Levantar a Jules Rimet.

Pelé, Pepe e Vavá (Foto: O Cruzeiro)

Zagalo, Zito e Zózimo (Foto: O Cruzeiro)

Bellini ergendo a Jules Rimet em Estocolmo e Bellini o eterno galã (Fotos: Manchete/Marcelo Carvalho)

Nossa seleção era composta por Castilho (1927/1987), Capitão Bellini (1930/2014), Gilmar (1930/2013), Djalma Santos (1929/2013), Dino Sani (1932), Didi (1929/2001), Zagallo (1931), Oreco (1936/1985), Zózimo (1932/1977), Pelé (1940), Garrincha (1933/1983), Nilton Santos (1925/2013), Moacir (1930), De Sordi (1931/2013), Orlando (1935/2010), Mauro (1932/2002), Joel (1931/2003), Mazzola (1938), Zito (1932/2015), Vavá (1934/2002), Dida (1934/2002), Pepe (1935) e o técnico: Vicente Feola (1909/1975).