Fernando Machado

Blog

Categoria teatro

Mostra de Teatro de Serra Talhada

A 11ª edição da Mostra de Teatro de Serra Talhada, que acontece de 25 a 29 de abril, conta com uma extensa programação, gratuita, com espetáculos para todas as idades. Das mais de 40 apresentações inscritas para compor a programação da Mostra, 18 foram selecionadas para se apresentar no Quintal do Museu do Cangaço, Teatro do CEU das Artes, Pátio da Feira Livre, além das escolas Cônego Torres e Irnero Ignácio.

Jadenilson Gomes e Gaby Salles na O Peru do Cão Roxo (Foto: Hans von Manteuffell)

Entre os trabalhos selecionados, estão alguns dos mais premiados do estado, como as peças Mucurana, o Peixe, O Peru do Cão Coxo, O Espelho da Lua, Frei Molambo, Chico Cobra e Lazarino, O Delator e a História de Uma Viagem Para Se Encantar. Além dos espetáculos, a programação apresentará ainda um Tributo ao Poeta serra-talhadense Antônio Vital, com a poetisa de São José do Egito Isabelly Moreira.

Reinaldo Oliveira, do bisturi ao Palco

Amanhã, às 19h, na Academia Pernambucana de Letras, será lançado o livro Reinaldo Oliveira, do bisturi ao Palco escrito por Antônio Edson Cadengue, sobre o médico, ator e acadêmico Reinaldo de Oliveira, editado pela CEPE, pela Coleção Memórias. Para Cadengue, pesquisador de teatro e psicólogo, a medicina e dramaturgia sempre atuaram juntas na trajetória de Reinaldo de  Oliveira.

Reinaldo e seu pai, Valdemar de Oliveira (Foto: Reprodução)

Reinaldo que no próximo dia 28 de junho fará 88 anos, respira desde criança teatro, pois seus pais Valdemar e sua mãe Diná de Oliveira, eram artistas do grupo Gente Nossa e depois criaram o Teatro de Amadores de Pernambuco. Para eles não existia vida sem arte, sobretudo a arte teatral. O livro de 260 páginas é movido pela admiração de Cadengue por Reinaldo, “esse homem que foi tão bom no palco e tão comprometido como médico”, diz o autor.

A peça o Peru encenado pelo Teatro de Amadores de Pernambuco (Foto: Reprodução)

A obra traz um recheio rico de fotografias históricas de personalidades e fatos públicos e privados de meados do século 20 que permeiam o caminho de uma das mais importantes figuras do teatro pernambucano e grande defensor do TAP. O legado aprendido desde a infância de Reinaldo com seu pai, Valdemar. Como diz Cadengue, “há alguma poesia nessa prosa”.

Dinah, Reinaldo e Valdemar (Foto: Reprodução)

Muitas vezes, Reinaldo precisou ocupar funções como a de iluminador, por exemplo. Mas tal como Valdemar, trazia a arte como rumo de vida, e também transitou pela música e literatura. Diz ele: “Bisturi que se reveza com a pena, não sabendo eu, hoje, se o bisturi escreve ou se a pena corta”. Cadengue conclui que “usei muito do olhar e da experiência dele para escrever o livro; Reinaldo tem uma memória prodigiosa”.

Paixão de Cristo de Nova Jerusalém

A figurinista Marina Pacheco herdou do grande figurinista Victor Moreira a missão de criar os figurinos do elenco que atua no Drama da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém. Aproximadamente 3,8 milhões pessoas já assistiram ao espetáculo. O espetáculo é realizado todos os anos durante a Semana Santa na cidade-teatro localizada no Brejo da Madre de Deus, em Pernambuco. Para 2018, vários personagens tiveram as roupas renovadas, a exemplo de Herodes, interpretado por Victor Fasano, que terá um figurino com detalhes e acabamento dignos de um rei.

A figurinista Marina Pacheco (Foto: Fernando Machado)

O figurino da rainha Herodíades, leia-se a atriz Nicole Bhals, também foi criado a partir de uma extensa pesquisa sobre a arte do Oriente Médio. Novidades também no figurino de Caifás, vivido por Ricardo Mourão, que, este ano, vai usar um colar feito com capim dourado e pedras naturais, que simbolizam as 12 tribos de Israel. Outra novidade deste ano é que a coroa de espinhos usada por Jesus (Renato Góes) que foi inspirada na do filme A Última Tentação de Cristo, de Martin Scorsese. A coroa foi feita de espinhos de juá que são mais compridos e ficam mais visíveis.

Jesus (Renato Goes), Maria (Fabiana Pirro), Anás (Tonico Pereira) e Madalena (Rita Guedes) Fotos: João Tavares

A dor e a força de Maria, interpretada por Fabiana Pirro, inspiraram a criação do traje da personagem para 2018. Para esse figurino também foram feitos vários testes de tingimento, que resultaram em uma mistura dos tons azul e cinza, transmitindo um efeito de tons esmaecidos, num jogo de claro-escuro para expressar mais peso no sentimento de dor da personagem. Para a vestimenta de Madalena, papel de Rita Guedes, foi escolhido um tom de vinho quase preto com ouro velho, além de acessórios para a cabeça, maquiagem forte e tatuagens de rena nos pés e nas mãos.

Pilatos (Kadu Moliterno), Herodes (Victor Fasano) e Herodiades (Nicole Bahls) Fotos: João Tavares

Este ano, a Paixão de Cristo de Nova Jerusalém acontecerá de 24 a 31 de março. Ao todo, 450 atores e figurantes atuam no espetáculo sob a condução dos diretores artísticos Carlos Reis e Lúcio Lombardi. Além disso, a Paixão agrega cerca de 600 profissionais incluindo técnicos, eletricistas, sonoplastas, contra regras, maquiadores, cabeleireiros, e costureiras, entre outros. As entradas que já estão à venda no www.novajerusalem.com.br custam de R$ 100,00 a R$ 140,00. Nas compras feitas pelo site, o valor do ingresso poderá ser parcelado em até 12 vezes nos cartões de créditos.