Fernando Machado

Blog

Categoria teatro

Parabéns, Isabelita dos Patins!

Isabelita dos Patins diante da torta (Foto: Rodrigo Fidalgo)

O restaurante Capelinha, em Vila Isabel, no Rio de Janeiro, terça-feira virou um templo de drags quens, graças aos 70 anos da famosa Isabelita dos Patins. Algumas divinas divas fizeram questão de prestigiar a argentina quase brasileira, Isabelita dos Patins, ou Jorge Iglesias. Jane Di Castro fez um show, revivendo as musicas de Núbia Lafayette. E depois puxou um coral de 50 vozes para os tradicionais parabéns pra você.

Camille K, Isabelita dos Patins, Jane di Castro e Juju Maravilha (Foto: Rodrigo Fidalgo)

Isabelita dos Patins e Adele de Fátima (Foto: Rodrigo Fidalgo)

O chef Fernando Luizcuida, dono do local a presenteou com uma torta remetendo ao mundo da aniversariante. Como sempre faz não a cortou, pois no dia seguinte leva para uma creche que assiste, no Morro do Macaco. Um gesto lindo. Isabelita agradeceu a todos, e não esqueceu de lembrar Emilinha Borba, Emilio Santiago, Elke Maravilha, Marilia Pêra, Lola Batalhão, etc.

Rogerio Alves, Isabelita dos Patins e Fátima Martins (Foto: Rodrigo Fidalgo)

Cinderela – A Praça é Minha

Amanhã, às 20h30, sobe ao palco do Teatro Boa Vista, o ator Jeison Wallace com uma nova versão da consagrada peça Cinderela. São 16 quadros de humor, que promete contagiar o público de gargalhadas. Nosso ator principal, Jeison Wallace, traz a Cinderela – A Praça é Minha, de volta aos palcos com um espetáculo seu, após 10 anos. Dez atores se revezam nos mais diferentes e múltiplos tipos e personagens – onde provocar uma verdadeira catarse de gargalhadas é a tônica principal.

Cinderela segundo Jeison Wallace (Foto: Divulgação)

A animadíssima coreografia de abertura e encerramento – com música do próprio Jeison Wallace – é uma aula de otimismo e bom humor – sem contar, cerca de 90 minutos de risadas o tempo inteiro – afinal, rir continua sendo o melhor remédio. Uma comédia popular – inspirada nas divertidas estórias curtas – e os tipos mais caricatos e populares, trazendo a força a e popularidade de um humorista nordestino consagrado pelo público, há mais de 25 anos. Os ingressos custam 60 e 30 reais.

 

O Diário de Um Louco

O Diário de Um Louco (1835), do autor ucraniano Nikolai Gogol, será encenado, no Teatro Apolo, entre os dias 8 e 10 de junho, sempre Às 19h. O texto e adaptação são do carioca/pernambucano Rubem Rocha Filho. A peça aborda questões sociais e políticas por intermédio dos devaneios do funcionário público Antonino Barnabé.

O ator Normando Roberto Santos (Foto: Divulgação)

A partir de situações inusitadas vividas pelo protagonista, Gogol denuncia assédio no ambiente de trabalho, amor impossível, tratamento mental inadequado e hierarquia social. O papel é interpretado pelo ator Normando Roberto Santos. O espetáculo é uma montagem da companhia Haja Teatro.

Ana de Ferro, Rainha dos Tanoeiros do Recife 

O romance entre o governador de Pernambuco durante o Brasil holandês e uma cortesã no cais do porto do Recife é o mote para narrar os amores impossíveis da boemia do século XVII. Ana de Ferro, Rainha dos Tanoeiros do Recife volta a se apresentar no Teatro Marco Camarotti/SESC de Santo Amaro nos próximos sábado e domingo, às 20h, com ingressos no valor de 40 e 20 reais.

Os atores Pedro Dias e Geraldo Cosmo (Foto: Divulgação)

Inspirada no poema de Vital Correia Araújo e em pesquisas do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico de Pernambuco, a carioca Miriam Halfim criou um texto histórico com lampejos de ficção apresentando personagens reais em situações possíveis de terem acontecido. A encenação do pernambucano Emanuel David D’ Lúcard busca criar uma ponte entre os séculos XVII e XXI, elencando perspectivas sobre gênero, religião e racismo.

João Neto e Pedro Dias em cartaz no Teatro do Sesc (Foto: Divulgação)

A realização é do Grupo Teatral Risadinha, encenação e identidade visual de Emanuel David D’ Lúcard; produção de Patrícia Assunção; o assistente de Produção Geraldo Cosmo; figurino e Adereços Francis de Souza; direção musical de Samuel Lira; coreografia Anderson Henry; maquiagem Cláudia Alves e cenário Marcelo Bonfim. No elenco está Cláudia Alves, Euclides Farias, Geraldo Cosmo, João Arthur, João Neto, Patrícia Assunção, Pedro Dias e Telma Ratta.

  • 1 2