Fernando Machado

Blog

Categoria literatura

Ricardo Cravo Albin & Elza Soares

Muito concorrido e prestigiado a noite de autógrafos para o livro Ricardo Cravo Albin: Uma vida em imagem e som, que aconteceu no Instituto Cultural Cravo Albin, localizado na Urca, no Rio de Janeiro. A obra escrita por Cecilia Costa leva o leitor a um passeio pela música, pela pesquisa, pela gestão pública onde Ricardo Cravo Albin, atuou.

Cecilia Costa e Ricardo Cravo Albin (Foto: Marco Rodrigues)

 

Zeca Camargo e Elza Soares em tempo de retoques (Foto: João Veiga)

Segunda-feira, no Estação Net do Shopping da Gávea, no Rio de Janeiro, tivemos o lançamento do livro da cantora Elza Soares, escrito por Zeca Camargo. Um fã aproveitou o momento e mostrou para Elza, negativos de fotos que ele fez dela com Garrincha, em Paris em 1970. Num telão era exibido o documentário assinado por Elizabete Martins Campos.

Jorge José & Prefeitos do Recife

A Câmara Municipal do Recife está diretamente vinculada ao nascimento da própria Vila do Recife. No momento da criação de uma nova vila, a lei determinava que se tomassem as seguintes providências: inaugurar o Pelourinho e convocar os cidadãos locais  para eleger os primeiros vereadores. Segundo registros históricos, em 15 de fevereiro de 1710, por ordem do rei de Portugal, foi instalada a Vila do Recife e inaugurada a sua Câmara Municipal.

Jorge José e João Alberto (Foto: Fernando Machado)

Luanda Guerra Cal e Carmen Peixoto (Foto: Fernando Machado)

Foi governador de Pernambuco, Felix José Machado que em 18 de novembro de 1711, o Pelourinho foi reconstituído, sendo instalado no pátio em frente à Igreja do Corpo Santo, que foi derrubada para criar uma ampla avenida. Enfim, era reaberta a Câmara Municipal. A partir de então, o Legislativo funcionou normalmente até a Proclamação da República em 1889. Durante o governo do Marechal Deodoro da Fonseca, com a promulgação da Constituição de 1891.

Joaquim Francisco e João Lyra Neto (Foto: Fernando Machado)

Nizia e Albany Castro Barros com Admaldo Mattos de Assis (Foto: Fernando Machado)

Sendo transformado em Conselho de Intendência Municipal. Neste período, foi eleito presidente do Conselho José Mariano Carneiro da Cunha. Considerado um dos maiores políticos do seu tempo, o Conselheiro José Mariano foi o primeiro prefeito eleito do Recife. Coube ao governador Barão de Vila Bela, criar em 13 de maio de 1864, a Escola Normal, a primeira do gênero no Brasil, que em 1962 passou a chamar-se Instituto de Educação de Pernambuco.

Carmen Peixoto e João da Costa (Foto: Fernando Machado)

Eduardo Marques, Carlos Alberto Gueiros, Priscilla Krause e André Régis (Foto: Fernando Machado)

A partir de 1963, na gestão do prefeito Arthur de Lima Cavalcanti, passou a funcionar no local a Câmara Municipal do Recife. Pois foi no Salão Nobre da Câmara Municipal do Recife, funcionou a secretaria da Escola Normal, que o historiador Jorge José Santana lançou, segunda-feira, às 18h, o seu livro Prefeitos do Recife – Breve História. Por sinal a obra é muito boa e serve de orientação para os recifenses que não conhecem o lado bom da nossa política.

Geralda Farias, Artur Rebelo e João Alberto (Foto: Fernando Machado)

Glória e Albuquerque Pereira (Foto: Fernando Machado)

Luanda Guerra Cal foi a hostess do evento e também conduziu o cerimonial. Por sinal impecável. Tivemos três falas: a de Jorge José Santana, a do ex-prefeito do Recife, Joaquim Francisco de Freitas Cavalcante, cuja gestão aconteceu entre 15 de março de 1983 e 31 de dezembro de 1985, que falou em nome dos demais, e finalmenete a do presidente da Casa José Mariano, vereador Eduardo Queiroz.

Mauricio Rands e Carlos Eduardo Santos (Foto: Fernando Machado)

Gustavo Krause entre a filha Priscila e a esposa Deborah (Foto: Fernando Machado)

Uma ausência sentida foi a do atual prefeito do Recife, Geraldo Júlio de Mello Filho. Jorge José recebia os convidados ao lado da esposa, Carmen Peixoto. Impossível citar todas as presenças, mas destacaríamos Geralda Farias, esposa do ex-prefeito Antonio Farias; Ieda Lucena, esposa do ex-prefeito Augusto Lucena; os ex-prefeitos Gustavo Krause e João da Costa. Ainda o ex-governador João Lyra Neto, o ex-vereador Admaldo Matos de Assis.

Terezinha Nunes e Jorge José (Foto: Fernando Machado)

Ronan Drummond. Miguel Santos e Cleo Niceas (Foto: Fernando Machado)

Os jornalistas João Alberto, Cleo Niceas, Ronan Drummond, Inês Calado, Leda Barros Lima e Marcelle Farias, o secretário de Imprensa da PCR Carlos Eduardo Santos, as deputadas Priscila Krause, e Terezinha Nunes, os vereadores André Régis e Carlos Alberto Gueiros. Também a presidente da APL Margarida Cantarelli, Heliane e Geovane Tenório, Cristina Freyre, Fátima Quintas, Nizia e Albany Castro de Barros, Artur Rebelo, Mauricio Rands, Miguel Santos, Glória e Albuquerque Pereira.

Carlos Ranulpho: O Mercador da Beleza

Maria José das Neves e João Ranulpho (Fotos: Reprodução do livro)

Hoje, às 19h, vamos ter na Galeria Ranulpho, no Recife Antigo, o lançamento do livro Carlos Ranulpho – O Mercador de Beleza, escrito pelo competente jornalista Marcelo Pereira. Paralelamente acontece uma exposição intitulada Uma História de Arte. Na obra Marcelo nos leva para tour pelo mundo deste colecionador e galerista. Começa falando sobre o seu pai, J. Ranulpho, caricaturista e desenhista e que era fã de Luiz Carlos Prestes e por isso, recebeu o nome Carlos.

Filipe entre os pais Carlos Ranulpho e Maria Dulce (Foto: Reprodução do livro)

Carlos Ranulpho de Albuquerque nasceu na Rua da Praia, no Recife, em 28 de abril de 1929, filho de João Ranulpho Lopes de Albuquerque e Maria José das Neves. Antes de ser marchand, Ranulpho foi comerciante, sua primeira loja foi na Rua da Aurora, a It Presentes, depois virou Ranulpho Joalheiros. Seu primeiro trabalho como marchand foi com o artista plástico cearense Chico Silva. Os maiores nomes das artes plásticas como Cícero Dias, Vicente do Rego Monteiro, Wellington Virgolino, para citar apenas nomes, passaram pela sua galeria.

O biografo e jornalista Marcelo Pereira (Foto: Heudes Régis)

Nesta viagem sentimental Marcelo Pereira coloca com maestria dados importantes da vida de Carlos Ranulpho, como o casamento com Maria Dulce, seu filho Filipe (ambos já falecidos), dos vernissages que mexiam com a sociedade pernambucana. Em abril de 1975 ele inaugurou a Galeria na Rua dos Navegantes, em Boa Viagem e em 2001 a atual, na Rua do Bom Jesus, onde acontecerá a festa de hoje. Adorei o livro, com suas imagens que me levaram ao Recife do glamour.

Uma noite de memória global

Caco Barcellos e Tadeu Schmidt (Foto: Rogerio Fidalgo)

O livro Correspondentes – Bastidores, histórias e aventuras de jornalistas brasileiros pelo mundo, transformou a livraria Travessa do Shopping Leblon, quarta-feira, numa redação. Na obra estão experiências e os desafios do trabalho de Caco Barcellos, César Tralli, Edney Silvestre, Ernesto Paglia, Ilze Scamparini, JOrge Pontual, Lucas Mendes, Luís Fernando Silva Pinto, Marcos Losekann, Marcos Uchoa, Pedro Bial, Renato Machado, Ricardo Pereira, Roberto Feith, Roberto Kovalick, Rodrigo Alvarez, Sandra Passarinho, Sérgio Motta Mello, Silio Boccanera e Sônia Bridi.

Renato Machado e Sandra Passarinho (Foto: Rogério Fidalgo)

Infelizmente alguns não foram, mesmo assim tinha muitos repórteres da TV Globo no pedaço que resultou num sucesso colossal. Esse jornalistas tem mais de 40 anos de cobertura na Vênus Platinada. Na fila para os autógrafos tínhamos ícones que somente poderemos ver na telinha. Atentem para os nomes que pintaram na Livraria Travessa de Ipanema: Ilze Scanparini, Sandra Passarinho, Caco Barcellos, Marcos Uchôa, Sérgio Motta Mello, Renato Machado. São os imortais de uma academia que ainda não foi criada, quem sabe num futuro.

Tony Ramos e Washington Olivetto (Foto: Rogerio Fidalgo)

  • 1 2