Fernando Machado

Blog

Categoria Mister

Notícias do Ceará

Mister Ceará CNB, Antonio Maia (Fotos: Marcos Magalhães)

Aconteceu, terça-feira, às 13h, no Hotel Porto Futuro, em Fortaleza, a eleição do Mister Ceará CNB de 2018. Participaram do evento 24 candidatos. O vencedor foi Antônio Maia, de Limoeiro do Norte; em 2º lugar ficou Leonardo Peixoto de Maracanaú e em 3º lugar Victor Andrade de Acaraú. O coordenador do concurso é Yuri Borges.

Leonardo Peixoto de Maracanaú e Victor Andrade de Acaraú (Fotos: Marcos Magalhães)

O Mister Fotogenia ficou com Estevan Carloto de Canoa Quebrada; o vencedor do Beleza pelo Bem foi Rilmar Batista, de Juazeiro do Norte, o Mister Multimídia ficou com João Pedro Maia de Quixadá; o Mister Popularidade foi Mateus Candido de Morada Nova; e o Melhor Corpo foi Antonio Maia de Limoeiro do Norte.

Esquinas do Mundo

Armando Osuna do México (Foto: Drew Francisco)

No concurso de Mister International de 2017, realizado dia 29 de abril, em Mianmar, o júri escolheu os cinco misteres de corpos mais bonitos. Em primeiro lugar ficou Armando Osuna do México, em 2º lugar Elvis Murillo da Nicarágua, em 3º lugar Seung Hwan Lee da Coréia, em 4º lugar Manuel Molano da Colômbia e em 5º lugar Rubén Castilleros da Espanha.

Elvis Murillo de Nicarágua e Seung Hwan Lee da Coreia (Fotos: Drew Francisco)

O XXII Cine PE – Festival do Audiovisual será marcado pela estreia nacional de Mulheres Alteradas, dirigido por Luis Pinheiro. No elenco  temos as atrizes Deborah Secco, Alessandra Negrini, Maria Casadevall e Monica Iozzi. O Cine PE acontece de 29 de maio a 4 de junho no Cinema São Luiz. Informa Sandra Bertini, diretora da produtora BPE.

Manuel Molano da Colômbia e Rubén Castilleros da Espanha (Fotos: Drew Francisco)

O coreano Seung Lee é Mister International

O elegante e bonito Seung Hwan Lee, da Coréia, foi eleito ontem, no Teatro Nacional de Rangun, em Rangun, em Mianmar, Mister International de 2017. O host foi Michel Bristol e participaram do concurso 36 candidatos. Depois apresentações em trajes típicos, sungas e traje rigor, a comissão escolheu o top 16. Pela primeira vez tivemos um resultado justo. Aliás, por conta do nível dos representantes. Corpos quase perfeitos e rostos expressivos.

Mister International,  Seung Hwan Lee, é um famoso cantor pop na Coréia (Fotos: Concurso)

Quero parabenizar o diretor do Mister International, Alan Sim, por apresentar um evento bonito, com boa coreografia e harmoniosa. O cenário não era rico, mas correto, onde os efeitos visuais tiveram grande potencial. Foi um show sem demoras e sem muitas entrevistas. Senti muita falta do malavilhoso Mister International de 2017, o francês radicado no Líbano, Paul Inskandar, que não entregou a faixa e o troféu para o vencedor.

Alession Cosantini, Seung Hwan Lee, Trâ’n Minh Trung, Manuel Molano e Dwayne Geldenhuis (Foto: Concurso)

Mas voltando para o desfile. No Top 16 ficaram Ignácio Milles (Venezuela), Manuel Molano (Colômbia), Joseph Disdier (Porto Rico), Alessio Stafano Costantini (Suíça), Arkady Zadrożny (Polônia), Dwayne Geldenhuis (África do Sul), Trâ’n Minh Trung (Vietnã), Alvalino Kasenda (Indonésia), Taizan Matsuura (Japão), Jeremy Lensink (Holanda), Rubén Castillero (Espanha), Seung Hwan Lee (Coréia), Elvis Murillo (Nicarágua), Renz Lansangan (Filipinas), Michael Khouri (Libano) e Amando Osuna (México).

Seung Hwan Lee, Manauel Molano e Dwayne Geldenhuis (Foto: Concurso)

Na seqüência desfilaram de sunga e depois foi anunciado o Top 10: Manuel Molano (Colômbia), Dwayne Geldenhuis (África do Sul), Trâ’n Minh Trung (Vietnã), Elvis Murillo (Nicarágua), Taizan Matsuura (Japão), Alessio Stefano Costantini (Suíça), Seung Hwan Lee (Coréia), Ignácio Milles (Venezuela), Renz Lansangan (Filipinas) e Joseph Disdier (Porto Rico).

Paran Pitijirankun  da Tailândia e  Juan Herbert do Peru (Fotos: Concurso)

Tivemos a entrega de prêmios especiais, como o melhor Traje típico para Paran Pitijirakun da Tailândia, o de Mister Fotogenia para Leonardo Nobre do Brasil, o de Mister Simpatia para Jeremy Lensink da Holanda, o do melhor Corpo para Armando Osuna do México, o de mais Elegante para Seung Hwan Lee da Coréia e a melhor Entrevista foi a de Alessio Costantini da Suíça.

Leonardo Nobre do Brasil e Armando Osuna do Mexico (Fotos: Concurso)

Veio então a parte final, quando foi chamado o Top 5: Alessio Stefano Costantini (Suíça), Dwayne Geldenhuis (África do Sul), Seung Hwan Lee (Coréia), Manuel Molano (Colômbia) e Trâ’n Minh Trung (Vietnã). Quando aconteceram as entrevistas, breves) e foi divulgado o Top 3: Seung Hwan Lee (Coréia), Dwayne Geldenhuis (África do Sul), e Manuel Molano (Colômbia).

Os malavilhosos Arkady Zadrożny da Polônia e Ignacio Milles da Venezuela (Fotos: Concurso)

E o resultado final foi este: 3º lugar Manuel Molano (Colômbia), em 2º Dwayne Geldenhuis (África do Sul) e o vencedor Seung Hwan Lee (Coréia). Estava torcendo Ignacio Milles da Venezuela, Joseph Disdier de Porto Rico, Arkady Zadrożny da Polônia e Michael Khouri do Libano. Todavia suas ausências não prejudicaram o resultado. Assista a final do concurso no link:  https://www.youtube.com/watch?v=usKojjmudAE

Hoje é a dia do Mister International

Um deles será eleito Mister International de 2017 (Foto: Drew Francisco)

Hoje, no Teatro Nacional de Rangun, em Rangun, em Mianmar, será eleito o Mister International de 2017, participam do concurso 36 candidatos. O vencedor vai receber a faixa do Mister International de 2016, o francês radicado no Líbano, Paul Inskandar. O concurso será apresentado por Michel Bristol. Vamos ter um desfile de trajes típicos, sunga, e outro de traje de noite. Paul Instankar, Mister International de 2016, é quem entregar a faixa ao vitorioso.

Leonardo Nobre é Brasil (Foto: Drew Francisco)

Darasing Khurana é da Índia (Foto: Drew Francisco)

Primeiro será escolhido o Top 15, depois o Top 10 e finalmente o Top 5. Os candidatos são: Dwayne Geldenhuis (África do Sul), Robby Voets (Bélgica), Rubén Herrera (Bolívia), Leonardo Nobre (Brasil), Yang Zhenhuan (China), Manuel Molano (Colômbia), Seung Hwan Lee (Coréia do Sul), Miguel Arévalo (El Salvador), Rubén Castillero (Espanha), Nelson Rivera (Estados Unidos).

Taizan Matsuura é Japão (Foto: Drew Francisco)

Armando Osuna é México (Foto: Drew Francisco)

Ainda Renz Lansangan (Filipinas), Aki Parviainen (Finlândia), Jordane Reiser (França), Jaren Guerrero (Guão), Jeremy Lensink (Holanda), Sean Lee (Hong Kong), Darasing Khurana (Índia), Alvalino Kasenda (Indonésia), Taizan Matsuura (Japão), Michael Khouri (Líbano), Malcolm Camilleri (Malta), Armando Osuna (México), John Ko Ko (Minanmar), Sajid Alam (Nepal), Elvis Murillo (Nicarágua).

Elvis Murillo é Nicarágua (Foto: Drew Francisco)

Arkady Zadroznay é Polônia (Foto: Drew Francisco)

E finalmente Husam Ahmad (Panamá), Juan Herbert (Perú), Arkady Zadrożny (Polônia), Joseph Disdier (Porto Rico), Matyáš Hložek (Republica Tcheca), Kenny Rodríguez (Republica Dominicana), Marvin Soh (Singapura), Yohan Rowel (Sri Lanka), Alessio Costantini (Suíça), Paran Pitijirakun (Tailândia), Ignacio Milles (Venezuela) e Trần Minh Trung (Vietnã).

Kenny Rodriguez é República Dominicana (Foto: Drew Francisco)

Essa malavilha Alessio Costantini é Suíça (Foto: Drew Francisco)

O concurso este ano não tem nenhum candidato negro. Uma pena. O Mister Brasil, Leonardo Nobre, poderá ficar no Top 15, apesar de não ter um corpo bonito. Estou sentindo que o candidato da Suíça, Alessio Costantini tem muita chance de sair de Rangun como o vitorio. Os representantes do Líbano Michael Khouri e da Venezuela Ignácio Milles também poderão vencer a prova. Os latinos são muito fortes.

Ignacio Milles é Venezuela (Foto: Drew Francisco)